Austrália conquista o Dubai Sevens Feminino! Brasil termina em 10º

ARTIGO COM VÍDEOS – Foi dada a largada para a temporada 2015-16 da Série Mundial de Sevens Feminina, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, nestas quinta e sexta. E as surpresas apareceram, com a atual campeão Nova Zelândia sofrendo grande revés e ficando somente com o quinto lugar, igualando sua pior colocação em um torneio – o mesmo quinta lugar da última etapa da temporada passada, em Amsterdã. O título ficou com a Austrália, que mostrou grande força e superou na final a surpreendente Rússia.

 

O Brasil, convidado da etapa, saiu com uma importante vitória do torneio, triunfando sobre a Irlanda e terminando com o 10º lugar. O Brasil será a sede da próxima etapa do circuito, que acontece nos dias 20 e 21 de fevereiro, na Arena Barueri, na Grande São Paulo.

 

Surpresas na quinta

O primeiro dia de jogos começou com grandes surpresas. A largada do torneio viu o Canadá, vice campeão da temporada passada, sucumbir na abertura para Fiji, que mostrou grande evolução no primeiro torneio. Na sequência, foi a vez dos EUA caírem da recém promovida Irlanda, e, logo depois, a campeã Nova Zelândia foi atropelada por uma magnífica Rússia, mostrando preparo físico invejável. Os favoritos, no entanto, entraram nos eixos nas partidas seguinte, mas o estrago já estava feito para alguns países. Favoritas de seus grupos, a Nova Zelândia terminou com o perigoso segundo lugar, sendo jogada no mata-mata diante da Austrália, enquanto os EUA terminaram no último posto.

 

O Brasil acabou perdendo seus três jogos na primeira fase, caindo em grupo dificílimo. No primeiro desafio, as Tupis perderam da França por 25 x 5, após 15 x 0 no intervalo. O jogo aberto e veloz das francesas foi intenso demais para as brasileiras, que não acompanharam as movimentações das Bleues. No fim do jogo, no entanto, o Brasil viveu seu grande momento, com a jovem Bianca, de 17 anos, entrando em campo e arrancando para o único try brasileiro logo na primeira bola que caiu em suas mãos.

 

No segundo jogo, o Brasil encarou uma “mordida” Nova Zelândia, que não deu chances às Tupis, aplicando 36 x 5. Edninha fez o único try brasileiro. Por fim, no último jogo contra a Rússia a derrota foi mais pesada, 41 x 0, com a gigante Khamidova fazendo quatro tries para as russas.

 

Vitória brasileira e título australiano

Na sexta-feira, o Brasil encarou as disputas das Semifinais Bronze e começou muito bem, vencendo a Irlanda por indiscutíveis 29 x 7. O Brasil começou de forma brilhante, com três tries sem resposta no primeiro tempo. O placar foi aberto com Haline, na tradicional velocidade, e Luiza cravou logo depois o segundo. Antes do intervalo, Edninha fez o try mais bonito do Brasil no torneio, uma pintura costurando lateralmente a defesa verde. A Irlanda reduziu com try na volta do intervalo, mas Baby correu o campo todo para dar o troco para o Brasil e Ju Menezes fechou o placar. Foi a quarta vitória do Brasil sobre a Irlanda em cinco jogos entre os dois países.

 

O Japão venceu os decepcionante Estados Unidos na outra semifinal e encarou o Brasil na decisão da Taça Bronze (9º lugar). Porém, as japonesas foram superiores a partida toda e venceram por 13 x 0. O primeiro tempo se encerrou em 0 x 0, mas com posse de bola maior para as asiáticas, que quebraram a boa parede defensiva brasileira com dois tries e um último penal na segunda etapa.

 

Na luta pelo título, as quartas de final não tiveram surpresas. O grande jogo, como esperado, se deu entre Austrália e Nova Zelândia e foram as Wallaroos que emergiram triunfantes. 15 x 12, com Casslick, Turner e Green fazendo os tries australianos. Já a Inglaterra derrotou o Canadá por 17 x 12 no outro jogo muito aguardado. A Rússia passou pela Espanha com tranquilidade, 24 x 0, ao passo que a França derrotou a surpresa Fiji pelo mesmo placar, com dois tries de Le Duff.

 

Na Taça Prata, Nova Zelândia e Canadá acabaram se encontrando na decisão do 5º lugar e, com bela partida de Niall Williams, irmã de Sonny Bill Williams, as Black Ferns venceram por 24 x 19, no tempo extra.

 

Na Taça Ouro, as semifinais terminaram sem surpresas. A Austrália era favorita contra a França e não deixou dúvidas disso, fazendo 26 x 0. Já a Rússia seguiu a todo o vapor e derrotou a Inglaterra por 19 x 12, com Kazaova, Petrova e Seredina cruzando o in-goal. As inglesas ainda venceram no tempo extra o 3º lugar, 10 x 5 sobre a aguerrida França.

 

Na grande final, a Rússia não conseguiu concluir a sua campanha dos sonhos. O jogo começou parelho, com apenas 10 x 7 para as Wallaroos no intervalo. Mas, no segundo tempo a Austrália deslanchou e o poder físico russo não falou alto, já pelo cansaço. 31 x 12, com tries de Cherry, Pelite, Turner, Beck e Green, mostrando a coesão do grupo. A russa Kudinova, coração e criadora da equipe, ganhou o prêmio de melhor jogadora do torneio merecidamente.

 

SWS 2015-16 logoDubai Sevens copy copy

Dubai Sevens – 1ª etapa da Série Mundial de Sevens Feminina 2015-16 – em Dubai, Emirados Árabes Unidos

Grupo A: Nova Zelândia, França, Rússia e Brasil

Grupo B: Canadá, Estados Unidos, Fiji e Irlanda

Grupo C: Austrália, Inglaterra, Espanha e Japão

 

Quinta-feira, dia 3 de dezembro

*Das 06h30 às 14h30, hora de Brasília

Canadá 10 x 24 Fiji

Estados Unidos 05 x 12 Irlanda

Nova Zelândia 07 x 33 Rússia

França 25 x 05 Brasil

Austrália 26 x 07 Espanha

Inglaterra 35 x 00 Japão

 

Canadá 17 x 07 Irlanda

Estados Unidos 19 x 24 Fiji

Nova Zelândia 36 x 05 Brasil

França 17 x 21 Rússia

Austrália 43 x 00 Japão

Inglaterra 14 x 07 Espanha

 

Canadá 35 x 05 Estados Unidos

Fiji 27 x 10 Irlanda

Nova Zelândia 21 x 12 França

Rússia 41 x 00 Brasil

Austrália 24 x 07 Inglaterra

Espanha 26 x 12 Japão

 

Classificação final:

Grupo A: 1 Rússia, 2 Nova Zelândia, 3 França, 4 Brasil

Grupo B: 1 Fiji, 2 Canadá, 3 Irlanda, 4 Estados Unidos

Grupo C: 1 Austrália, 2 Inglaterra, 3 Espanha, 4 Japão

Sexta-feira, dia 4 de dezembro

*Das 03h00 às 12h00, hora de Brasília

Quartas de final

Rússia 24 x 00 Espanha

Fiji 12 x 19 França

Austrália 15 x 12 Nova Zelândia

Canadá 12 x 17 Inglaterra

 

Semifinais Bronze

Irlanda 07 x 29 Brasil

Estados Unidos 14 x 15 Japão

 

Semifinais Prata

Espanha 12 x 21 Canadá

Nova Zelândia 33 x 12 Fiji

 

Semifinais Ouro

Rússia 19 x 12 Inglaterra

Austrália 26 x 00 França

 

Finais Bronze

3º lugar – Irlanda 24 x 31 Estados Unidos

Final: Brasil 00 x 13 Japão

 

Finais Prata

3º lugar: Espanha 14 x 31 Fji

Final: Nova Zelândia 24 x 19 Canadá – no tempo extra

 

Finais Ouro

3º lugar: Inglaterra 10 x 05 França – no tempo extra

Final: Rússia 12 x 31 Austrália

 


 

Seleção Pontuação geral Etapa 5 (França) Etapa 4 (Canadá) Etapa 3 (Estados Unidos) Etapa 2 (Brasil) Etapa 1 (Emirados Árabes)
Austrália 94 18 16 20 20 20
Nova Zelândia 80 16 18 18 16 12
Canadá 74 20 12 14 18 10
Inglaterra 74 14 20 16 08 16
França 60 12 14 08 12 14
Rússia 42 04 06 10 04 18
Estados Unidos 46 10 08 12 14 02
Fiji 36 08 04 06 10 08
Espanha 26 06 10 02 02 06
Brasil* 12 00 03 00 06 03
Japão 12 01 01 03 03 04
Irlanda 11 03 02 04 01 01
Quênia* 02 02 00 00 00 00
Colômbia* 01 00 00 01 00 00
* seleções convidadas
Etapa Campeão
Etapa 1 (Emirados Árabes) Austrália
Etapa 2 (Brasil) Austrália
Etapa 3 (Estados Unidos) Austrália
Etapa 4 (Canadá) Inglaterra
Etapa 5 (França) Canadá

– Pontuação: 1º lugar, 20 pontos / 2º, 18 pts / 3º, 16 pts / 4º, 14 pts / 5º, 12 pts / 6º, 10 pts / 7º, 8 pts / 8º, 6 pts / 9º, 4 pts / 10º, 3 pts / 11º, 2 pts / 12º, 1 pt.

 

Reveja as partidas em:


Brasil

Amanda Araujo (Niterói)
Beatriz Futuro Mühlbauer (Niterói)
Bianca Santos (São José)
Edna Santini (São José)
Haline Leme Scatrut (Curitiba)
Isadora Cerullo (Niterói)
Juliana Esteves dos Santos (Band Saracens)
Juliana Menezes (Charrua)
Luiza Gonzalez da Costa Campos (Charrua)
Maíra Bravo (SPAC)
Mariana Ramalho (SPAC)
Raquel Kochhann (Charrua)

 

Comentários