Brasil termina Safari Sevens com duas vitórias e três derrotas

Neste fim de semana teve seleção brasileira masculina de sevens em campo! Em Nairóbi, capital do Quênia, os Tupis encararam um dos torneios mais tradicionais do sevens mundial, o Safari Sevens, que contou neste ano com seleções importantes participando. O Brasil caiu em grupo difícil com a Espanha e a seleção de desenvolvimento da Inglaterra, o Saxons, além da Zâmbia e saiu com uma vitória sobre o time africano no sábado. No domingo, o Brasil largou na disputa da Taça Bronze com uma vitória sofrida sobre Uganda graças a um penal já nos acréscimos, mas caiu nas semifinais com derrota na prorrogação contra Portugal, na melhor partida dos Tupis no torneio.

 

O título ficou com o famoso combinado internacional do Samurai International, que derrotou a seleção de desenvolvimento do Quênia, os Shujaa, na grande final.

 

Tupis vencem uma partida e terminam em terceiro

O primeiro dia de competições reservou algumas surpresas, mas a disparidade técnica entre algumas equipes se fez presente desde o princípio e as equipes mais tradicionais saíram na frente. Portugal, um dos favoritos no grupo C, caiu diante do Wailers e terminou na terceira colocação. A decepcionante Itália mostrou que tem um longo caminho pela frente no Seven-a-side, sendo superada pelo time B do Quênia e pelo Western Province sem grandes dificuldades. O Morans, time principal do Quênia, também decepcionou, encerrando sua participação na terceira colocação do grupo D, depois de um triplo empate na primeira posição com o forte combinado Samurai e o Zimbábue.

 

O Brasil começou sua campanha no Safari Sevens com derrota para a Espanha. Amplamente dominado, o Brasil teve poucas posses de bola com qualidade, conseguindo apenas dois ataques, e em um deles, aproveitou para marcar, com Drudi. Levando uma equipe renovada, com pouco tempo de treino em conjunto, foi nítida a falta de entrosamento na estreia, e isso se refletiu no placar e nas ações do jogo, mas a movimentação defensiva foi positiva, impedindo a Espanha de fazer mais pontos. No outro jogo do grupo, o Saxons não teve dificuldades para se impôr sobre a Zâmbia, abrindo 26 pontos rapidamente, mas na etapa final, deixou os africanos encostar, apostando sempre na velocidade. No final, vitória dos Saxons por 36 a 14.

 

Na segunda partida, contra o Saxons, time mais forte do grupo, os erros voltaram a se repetir, e com mais intensidade, dificultou o tackle do Brasil, e os tries apareceram. Martin descontou para os Tupis no segundo tempo, mas foi muito pouco para conter a superioridade inglesa na partida.

 

Com Josh Reeves em campo fazendo sua estreia pelos Tupis, o Brasil não teve dificuldades para superar Zâmbia, visivelmente desgastado pelos confrontos anteriores. O físico dos Tupis e a muita movimentação em toda extensão do campo, minou a frágil equipe africana, e conseguiu construir um placar tranquilo.

 

Com os resultados, o Brasil terminou na terceira colocação, e enfrentaRIA Uganda na primeira partida da Taça Bronze. No duelo pela primeira colocação, a Espanha conseguiu uma grande virada sobre o Saxons e terminou na liderança.

 

Brasil sobrevive a Uganda, mas cai contra Portugal na prorrogação

A abertura do domingo foi complicada para o Brasil, pelas quartas de final da Taça Bronze. Os Tupis largaram na frente com um try logo no início sobre Uganda, mas foi o time africano que controlou a bola na primeira etapa, enquanto o Brasil não conseguia articular suas jogadas quando retomava a posse. O resultado foram dois tries na reta final da primeira etapa para Uganda, que se colocou em vantagem de 14 x 7, punindo o Brasil pelas falhas de tackle.

 

Na segunda etapa, os Tupis reagiram e Laurent, em penal batido rápido, achou o espaço para o try, mas a conversão foi perdida. A resposta dos Cranes foi rápida e o terceiro try nasceu com outra linha quebrada no meio do campo para a arrancada africana. 21 x 12. Os Tupis ainda tiveram fôlego, controlaram a bola na reta final e Zé recebeu com espaço para arrancar e anotar o precioso terceiro try, com segundos para o fim. O kickoff foi cobrado e Uganda comeTeu penal já com o tempo esgotado, dando ao Brasil a chance da vitória. Zé foi frio, bateu o penal e os Tupis puderam sorrir. 22 x 21.

 

O adversário seguinte na semifinal Bronze foi Portugal e o Brasil fez seu melhor jogo o torneio, controlando a posse de bola durante o primeiro tempo e criando as melhores chances. Rambo chegou a fazer um try recebendo a bola no in-goal após belo chute, mas estava em posição de impedimento e o try foi invalidado. A primeira etapa acabou em 0 x 0 e Portugal voltou melhor para a segunda etapa arrancando seu primeiro try, após sustentar pressão. O Brasil tinha suas armas, Lucas Muller entrou em campo e nos instantes finais arrancou para o try do empate, levando o placar a 5 x 5. A conversão foi perdida e a disputa foi para o ponto de ouro da prorrogação. Portugal foi mais feliz e conseguiu o try em questão de pouco tempo, com disparada pela ponta. 10 x 5, Brasil fora.

 

Grupo A: Quênia Shujaa, Western Province, Itália e Burundi

Grupo B: Saxons, Espanha, Brasil e Zâmbia

Grupo C: Samurai International, Zimbábue, Quênia Morans e Uganda

Grupo D: Iconz, Portugal, Namíbia e Newcastle Wailers

 

*Horários de Brasília

Sábado, dia 3 de outubro

Iconz 38 x 05 Wailers

Portugal 19 x 17 Namíbia

Samurai 33 x 00 Uganda

Zimbábue 10 x 12 Morans

Saxons 36 x 14 Zâmbia

Brasil 05 x 12 Espanha

Shujaa 54 x 00 Burundi

Western Province 50 x 07 Itália

Iconz 26 x 24 Namíbia

Portugal 21 x 24 Wailers

Samurai 29 x 12 Morans

Zimbábue 26 x 10 Uganda

Brasil 05 x 31 Saxons

Espanha 41 x 05 Zâmbia

Shujaa 37 x 00 Itália

Western Province 71 x 00 Burundi

Namíbia 14 x 15 Wailers

Morans 34 x 00 Uganda

Brasil 34 x 00 Zâmbia

Itália 50 x 00 Burundi

Iconz 24 x 24 Portugal

Samurai 05 x 17 Zimbábue

Saxons 12 x 17 Espanha

Shujaa 10 x 10 Western Province

 

Classificação
Grupo A: 1 – Western Province, 2 – Quênia Shujaa, 3 – Itália, 4 – Burundi
Grupo B: 1 – Espanha 2 – Saxons, 3 – Brasil, 4 – Zâmbia
Grupo C: 1 – Samurai, 2 – Zimbábue, 3 – Quênia Morans, 4 – Uganda
Grupo D: 1 – Wailers, 2 – Iconz, 3 – Portugal, 4 – Namíbia

 

Domingo, dia 4 de outubro
Quartas de final Taça Bronze
Itália 07 X 45 Namíbia
Morans 31 X 00 Zâmbia
Portugal 50 X 00 Burundi
Brasil 22 X 21 Uganda

 

Quartas de final Taça Ouro
Western Province 34 X 00 Iconz
Samurai 40 X 07 Saxons
Wailers 05 X 19 Shujaa
Espanha 10 X 14 Zimbábue

 

Semifinais Estímulo

Itália 05 x 14 Zâmbia

Burundi 00 x 55 Uganda

 

Semifinais Bronze

Namíbia 07 x 28 Morans

Portugal 10 x 05 Brasil – tempo-extra

 

Semifinais Prata

Iconz 00 x 05 Saxons (?)

Wailers 07 x 36 Espanha

 

Semifinais Ouro

Western Province 19 x 21 Samurai

Shujaa 24 x 00 Zimbábue

 

Final Estímulo

Zâmbia 14 x 10 Uganda

 

Final Bronze

Morans 26 x 12 Portugal

 

Final Prata

Saxons 24 x 19 Espanha

 

3º lugar

Western Province 29 x 07 Zimbábue

 

Final Ouro

Shujaa 19 x 20 Samurai

SAMURAI CAMPEÃO

Comentários