Em Dublin, Irlanda e Japão comemoram vagas na Série Mundial Feminina

Fim novamente de sonho para o Brasil na Série Mundial de Sevens Feminino. Pelo segundo Qualificatório seguido, a Seleção Brasileira Feminina não atingiu a meta de se tornar uma seleção fixa do circuito, caindo nas quartas de final do torneio de Dublin, na Irlanda. Na primeira fase, o Brasil já havia sido derrotado duas vezes, por Japão e Gales, batendo apenas Samoa e passando como a melhor terceira colocada. Nas quartas, veio a Holanda e a derrota de 12 x 10 custou a eliminação. O Brasil ainda se reergueu no fim e foi campeão da Taça Prata, acabando com o quinto lugar com vitórias sobre Gales (10 x 5) e Hong Kong (17 x 0).

 

As duas preciosas vagas na Série Mundial de Sevens ficaram com Irlanda e Japão, o que significa renovação de suas seleções na temporada que vem, com as eliminações de África do Sul e China, que foram seleções centrais em 2014-15. Na grande final, as japonesas venceram a Irlanda e comemoraram o título em Dublin. Irlanda e Japão se juntam a Nova Zelândia, Austrália, Canadá, Estados Unidos, Inglaterra, França, Rússia, Espanha e Fiji na temporada 2015-16, ao passo que o Brasil aguarda por convites do World Rugby. Em breve, a entidade deverá anunciar o calendário oficial do circuito.

 

Dura primeira fase

A primeira fase foi dura com a seleção brasileira, que caiu no grupo mais complicado e não foi bem. Apesar de terem terminado a temporada passada em décimo lugar, as Tupis não conseguiram superar Japão e Gales, que não jogaram nenhuma etapa do último circuito.

 

Na estreia, o Brasil caiu diante do Japão por 19 x 10. As japonesas saíram na frente, com try de Yamaguchi após longa sequência de fases. A resposta brasileira foi imediata com Claudinha disparando na ponta, mas o Japão logo daria o troco, atropelando a defesa brasileira, que exibiu posicionamento defensivo errado, 12 x 5 no intervalo. Na segunda etapa, o Brasil foi reduzido a 6 jogadoras e se safou do try com tackle salvador de Haline em cima do in-goal. A pressão era forte e o terceiro try japonês veio, fazendo jus à superior posse de bola. Paulinha ainda faria lindo try no fim, mas já não havia mais tempo de nada.

 

No segundo embate, o Brasil se reergueu atropelando Samoa no segundo tempo. A primeira etapa foi perigosa, de muitos erros brasileiros e com a força do pack samoano falando alto. Mas, lento demais, o time de Samoa não resistiu às corridas de Claudinha e Mari, que deram 14 x 5 ao Brasil. No segundo tempo, as falhas foram corrigidas e a velocidade brasileira matou o jogo, com Haline, Ju Michele, Raquel e Izzy cruzando o in-goal para fechar 40 x 5.

 

No terceiro jogo, o Brasil voltou a ter problemas e não se encontrou em campo e Gales dominou por completo a posse de bola, correndo para três tries sem resposta e 17 x 0 no marcador. As galesas vinham de derrota para o Japão, que terminou no primeiro lugar do grupo, enquanto Samoa não conheceu vitórias.

 

Nos demais grupos, vida fácil para China e Holanda, de um lado, Irlanda e África do Sul, de outro, que passaram pelas frágeis Quênia, Colômbia, Hong Kong e México. Hong Kong ainda emergiu com a classificação como pior terceiro colocado. Destaque para a vitória das sul-africanas sobre as anfitriãs irlandesas, com belo try final de Veroeshka Grain.

 

Fim do sonho contra as laranjas

As quartas de final abriram o domingo com jogos de vida ou morte. A África do Sul despachou Hong Kong como esperado, a Irlanda bateu a China, 27 x 5, mostrando que as chinesas – agora treinadas pela lenda inglesa Ben Gollings – ainda têm muito a evoluir, e o Japão se impôs em jogo complicado contra Gales, 17 x 0, provando sua superioridade.

 

Já Brasil e Holanda fizeram o jogo mais parelho da fase, com a Holanda largando na frente com try, após longa pressão, na qual o Brasil teve bons tackles, mas não recuperou a bola. A resposta veio com Raquel cruzando o in-g0al para o Brasil, mas sem a conversão o placar ficou em 7 x 5 para as laranjas. No segundo tempo, o Brasil furou tackle e permitiu que a Holanda escapasse pela ponta para mais um try, porém, sem conversão. Com esperança, o Brasil foi para cima e Paulinha fez o try brasileiro, mas sem a conversão a derrota se consumou. 12 x 10, eliminação.

 

Deu Irlanda e Japão

O Brasil ainda se reergueria com uma vitória de 10 x 5 muito positiva na Semifinal Prata, com Claudinha e Baby fazendo os tries, enquanto a China caiu um pouco mais perdendo inesperadamente para Hong Kong (treinado por Anna Richards, lenda das Black Ferns), ao passo que nas Semifinais Bronze, a Colômbia festejou sua vitória contra Samoa. Contudo, as atenções estavam nas Semifinais Ouro, valendo as duas vagas na Série Mundial 2015-16. E a festa foi de Irlanda e Japão.

 

As irlandesas se levantaram da derrota no sábado para a África do Sul e em jogo cheio de tries emergiram vitoriosas, para a festa da torcida, por 26 x 14, enquanto o Japão passou pela Holanda em dura batalha, abrindo 10 x 0 e segurando a reação laranja.

 

Brasil encerra em quinto e Japão levanta a taça

As Tupis encerraram o torneio com mais uma vitória, essa vez contra Hong Kong. O Brasil pressionou longamente no primeiro tempo, mas só quebrou a defesa pouco antes do intervalo, 5 x 0 com Luiza. No segundo tempo, Claudinha e Baby fecharam o marcador, 17 x 0, dando o quinto lugar ao Brasil.

 

Já na grande final do torneio, o título ficou com o Japão, que frustrou a Irlanda ao virar o placar no minuto final. 13 x 12.

 

world rugby logo

Torneio Qualificatório para a Série Mundial de Sevens Feminina 2015-16 – em Dublin, Irlanda

*Horários de Brasília

Sábado, dia 22 de agosto

07h00: China 29 x 07 Quênia

07h22: Holanda 33 x 00 Colômbia

07h44: Brasil 10 x 19 Japão

8h06: País de Gales 33 x 12 Samoa

8h28: África do Sul 33 x 05 Hong Kong

8h50: Irlanda 64 x 00 México

09h54: Holanda 22 x 07 Quênia

10h16: China 26 x 00 Colômbia

10h38: País de Gales 14 x 17 Japão

11h00: Brasil 42 x 05 Samoa

11h22: Irlanda 50 x 00 Hong Kong

11h44: África do Sul 38 x 00 México

12h38: Quênia 12 x 07 Colômbia

13h00: China 10 x 22 Holanda

13h22: Japão 31 x 00 Samoa

13h44: Brasil 00 x 17 País de Gales

14h06: Hong Kong 48 x 00 México

14h28: África do Sul 17 x 05 Irlanda

 

Classificação

Grupo A: 1 Japão, 2 Gales, 3 Brasil, 4 Samoa

Grupo B: 1 Holanda, 2 China, 3 Quênia, 4 Colômbia

Grupo C: 1 África do Sul, 2 Irlanda, 3 Hong Kong, 4 México

 

Domingo, dia 23 de agosto

06h30: Quartas de final 1º x 8º – África do Sul 21 x 05 Hong Kong

06h52: Quartas de final 4º x 5º – Irlanda 27 x 05 China

07h14: Quartas de final 3º x 6º – Japão 17 x 00 Gales

07h36: Quartas de final 2º x 7º – Holanda 12 x 10 Brasil

07h58: Semifinal Bronze 9º x 12º – Quênia 31 x 00 México

08h20: Semifinal Bronze 10º x 11º – Samoa 05 x 12 Colômbia

09h36: Semifinal Prata – Hong Kong 14 x 10 China

09h58: Semifinal Prata – Gales 05 x 10 Brasil

10h20: Semifinal Ouro – África do Sul 14 x 26 Irlanda

10h42: Semifinal Ouro – Japão 10 x 05 Holanda

11h04: Disputa do 11º lugar – México 00 x 22 Samoa

11h50: Final Bronze – Disputa do 9º lugar – Quênia 05 x 00 Colômbia

12h20: Disputa do 7º lugar – China 07 x 29 Gales

12h42: Final Prata – Disputa do 5º lugar – Brasil 17 x 00 Hong Kong

13h12: Disputa do 3º lugar – África do Sul 12 x 00 Holanda

13h38: FINAL – Irlanda 12 x 13 Japão

 

Classificação final: 1 Japão, 2 Irlanda (classificados como seleções fixas da Série Mundial de Sevens Feminina 2015-16), 3 África do Sul, 4 Holanda, 5 Brasil, 6 Hong Kong, 7 Gales, 8 China, 9 Quênia, 10 Colômbia, 11 Samoa, 12 México.

 

Seleção Brasileira:

Paula Ishibashi (c) – SPAC

Angélica Gevaerd “Binha” – SPAC

Beatriz Futur “Baby” – Niterói

Cláudia Teles “Claudinha” – Niterói

Haline Scatrut – Curitiba

Raquel Kochhann – Charrua

Thaís Rocha “Xuxu” – SPAC

Isadora Cerullo – Niterói

Mariana Ramalho – SPAC

Luiza Campos – Charrua

Edna Santini – São José

Juliana Michele – Curitiba

 

Foto: ©INPHO/Dan Sheridan

 

 

Comentários