ARTIGO ATUALIZADO – COM VÍDEO – Sexta e sábado de encerramento do Campeonato Sul-Americano de 2017. Na sexta, o Pacaembu irá encher para torcer pelo Brasil contra o Paraguai, enquanto no sábado será o Estadio Charrua que receberá Uruguai contra Chile, valendo o título do torneio e a classificação à fase final das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2019.

 

A partida entre brasileiros e paraguaios não terá mais consequências pelas Eliminatórias, já que ambos não têm mais chances de avançarem na disputa. Porém, a partida ainda vale a permanência na elite, pois o último colocado terá (ainda a confirmar) a Repescagem contra o campeão do Sul-Americano B pela frente. Portanto, tropeço é fora de questão para os Tupis, que ainda estão de olho na sua progressão no Ranking Mundial. Uma derrota apertada derrubaria o Brasil para o 34º lugar do Ranking, ao passo que uma vitória manteria os Tupis em 33º lugar, já de olho nos tests de junho contra Portugal, Chile e Romênia.

 

- Continua depois da publicidade -

A última vez que o Paraguai derrotou o Brasil foi em 2015, em Bento Gonçalves. E, para evitar os riscos de outra surpresa, Rodolfo Ambrosio convocou um elenco bem experiente dos Tupis, com 20 dos 23 atletas que encararam o Uruguai sendo mantidos no time. No XV, foram 4 mudanças com relação ao time que perdeu para o Uruguai. Na linha, saiu Tanque para a entrada de Laurent de 9, com Daniel Sancery voltando à camisa 15 e De Wet reassumindo a ponta. Na primeira linha, Bengaló saiu em favor de Caique, enquanto Paganini, lesionado, será substituído por Gelado na segunda linha. Já na terceira linha, Nick foi para o banco, com Buda assumindo a 8 e Bergo entrando na asa. No banco ainda saíram Abud e Big Mike para as voltas do veterano Jardel, que se mudou do Rio Grande do Sul para o Mato Grosso e está atuando pelo Cuiabá, e de Nativo, que fará seu último jogo oficial pelos Tupis. Um dos mais experientes do grupo atual, Nativo está na Seleção Brasileira desde 2002 e completará contra o Paraguai 66 partidas oficiais, tendo atuado 12 vezes como capitão.

 

No último confronto com os Yakarés, os Tupis mostraram superioridade em todos os setores, com uma vitória por 32 x 21 em Assunção que poderia ter sido maior para o Brasil. Contra o Uruguai e o Chile, a terceira linha brasileira mostrou muito serviço e criou um breakdown que levou muitos problemas aos adversários. Para agora, Ige, Bergo e Buda (de oitavo no lugar de Nick) formam o trio e podem dominar os paraguaios. Já o jogo de chutes de Josh segue trazendo bons resultados, ainda que a linha brasileira tenha deixado a sensação nos jogos anteriores de que poderia ter desempenhado melhor ofensivamente. A novidade é Laurent atuando de scrum-half e buscando dar mais velocidade na criação. Contra o Paraguai o Brasil jogará com a responsabilidade de ser o favorito e de impor o seu jogo, o que colocará à prova a qualidade do jogo de mãos brasileiro, que terá o jogo certo para se soltar.

 

Nahuel Garcia, treinador do Paraguai, manteve a base do time que enfrentou o Brasil em 2016. Gavigan na primeira linha, Nasser na segunda linha, Plate na terceira linha, Navas com a 9, Gayoso com a 10, Urbieta e Fabrizio da Rosa são as novidades no XV. Destaques na linha para Argaña e Bareiro, que já se destacaram contra os Tupis no passado.

 

No sábado, será a vez de Uruguai e Chile decidirem o título da competição e quem seguirá vivo na luta por um lugar em 2019. Os Cóndores venceram os uruguaios em 2015, em Santiago, e no Americas Rugby Championship de 2016 tiveram desempenho bom contra os Teros, caindo por apenas 3 pontos. Porém, neste ano, o Uruguai venceu com muita contundência no torneio pan-americano, 45 x 14. A última vez que os Cóndores venceram os Teros no Uruguai foi em 1971 e se o Chile quiser ir à Copa do Mundo pela primeira vez em sua história terá que quebrar esse longo tabu. Para tal, os dois chilenos que jogam o Top 14 francês, Pablo Huete e Ramón Ayarza, estão confirmados.

 

O favoritismo é todo uruguaio, ainda mais jogando em casa e podendo contar com seus principais nomes que atuam na Europa. Berchesi e Ormaechea deverão fazer a dupla de abertura e scrum-half, ao passo que Leindekar é destaque no poderoso pack uruguaio. Quem vencer terá pela frente nas Eliminatórias no ano que vem o perdedor da série de dois jogos entre Estados Unidos e Canadá. Já tendo disputado 3 vezes a Copa do Mundo, o Uruguai é quem melhor conhece o caminho das pedras na América do Sul.

 

Sexta-feira, dia 26 de maio

versus copiar

21h00 – Brasil x Paraguai, em São Paulo – SporTV2 AO VIVO

Árbitro: Damian Schneider (Argentina);

Ingressos: StubHub, por preços entre R$ 11,00 e R$ 60,00, para arquibancada

 

Brasil: 1 Jonatas “Chabal” Paulo (Band Saracens), 2 Yan Rosetti (CUBA, Argentina) (c), 3 Caique Segura (São José), 4 Lucas “Bruxinho” Piero (Desterro), 5 Cléber “Gelado” Dias (Poli), 6 João Luiz “Ige” da Ros (Desterro), 7 Arthur Bergo (SPAC), 8 André “Buda” Arruda (Desterro), 9 Laurent Bourda-Couhet (Band Saracens), 10 Joshua Reeves (Jacareí), 11 Stefano Giantorno (São José), 12 Moisés Duque (São José), 13 Felipe Sancery (São José), 14 Jacobus de Wet Van Niekerk (Poli), 15 Daniel Sancery (São José);

Suplentes: 16 Daniel “Nativo” Danielewicz (Desterro), 17 Jardel Vetoratto (Cuiabá), 18 Pedro Bengaló (Desterro), 19 Nick Smith (SPAC), 20 Matheus “Matias” Daniel (Jacareí), 21 Lucas “Tanque” Duque (São José), 22 Lucas “Zé” Tranquez (SPAC), 23 Robert Tenório (Pasteur);

 

Paraguai: 1 Omar Rojas (Île-de-France, França/4a divisão), 2 Juan Gavigan (Luque), 3 Alvaro Rojas (Santa Clara), 4 Andrés Nasser (CURDA) (c), 5 Alejandro Montiel (La Plata, Argentina), 6 Martin Ortiz (Santa Clara), 7 Carlos Plate (CURDA), 8 Leonardo Glitz (Luque), 9 Gaston Navas (CURDA), 10 Hector Gayoso (Luque), 11 Fabrizio da Rosa (Old King), 12 Sebastián Urbieta (CURDA), 13 Pablo Espínola (Luque), 14 Diego Argaña (CURDA), 15 Horacio Aguero (St. Yrieix, França/4a divisão);

Suplentes: 16 Daniel Cabral (Santa Clara), 17 Joaquin Vera (San Jose), 18 Juan Gomez (CURDA), 19 Luis Mauger (Old King), 20 Camilo Orrego (CURDA), 21 Carlos Bareiro (San Jose), 22 Fabrizio Cabrera (San Jose), 23 Rodrigo da Rosa (Old King);

 

Histórico: 23 jogos, 13 vitórias do Brasil e 10 vitórias do Paraguai. Último jogo: Paraguai 21 x 32 Brasil, em 2016 (Sul-Americano);

 

Sábado, dia 27 de maio

uru novo copy copyversus copiar

15h30 – Uruguai x Chile, em Montevidéu

 

Uruguai: 1 Mateo Sanguinetti, 2 Martín Espiga, 3 Mario Sagario, 4 Ignacio Dotti, 5 Manuel Leindekar, 6 Juan Manuel Gaminara (c), 7 Franco Lamanna, 8 Alejandro Nieto, 9 Agustín Ormaechea, 10 Felipe Berchesi, 11 Gastón Mieres, 12 Andrés Vilaseca, 13 Juan Manuel Cat, 14 Leandro Leivas, 15 Rodrigo Silva;

Suplentes
: 16 Germán Kessler, 17 Matías Benítez, 18 Juan Echeverría, 19 Gonzalo Soto, 20 Diego Magno, 21 Santiago Arata, 22 Germán Albanell, 23 Santiago Hernández;

 

Chile: 1 José Ramón Ayarza (Bayonne, França), 2 Manuel Gurruchaga (COBS), 3 José Tomás Munita (Universidad Católica), 4 Pablo Huete (Bayonne, França), 5 Mario Mayol (Old Boys), 6 Ignacio Silva (Stade Francais), 7 Anton Petrowitsch (COBS), 8 Benjamín Soto (Stade Français), 9 Jan Hasenlachner (COBS), 10 Francisco González (Sporting), 11 Franco Velarde (Viña), 12 Francisco de la Fuente (Bagnères, França/3ª divisão), 13 Matías Nordenflycht (COBS), 14 Felipe Brangier (PWCC), 15 Tomás Ianiszewski (Old Locks);

Suplentes: 16 Tomás Dussaillant (Old Boys), 17 Vittorio Lastra (Old Mackayans), 18 Maximiliano Hurtado (GEBA, Argentina/URBA 2ª divisão), 19 Nikola Bursic (COBS), 20 Alfonso Rioja (COBS), 21 Beltrán Vergara (Old Boys), 22 Francisco Urroz (Old Reds), 23 José Ignacio Larenas (Universidad Católica);

 

Histórico: 45 jogos, 30 vitórias do Uruguai, 14 vitórias do Chile e 1 empate. Último jogo: Uruguai 45 x 14 Chile, em 2017 (Americas Rugby Championship);

 

EquipeApelidoPJVED4+-7PPPCSP
UruguaiTeros153300301135756
ChileCóndores9320110924448
BrasilTupis6310211946232
ParaguaiYakarés030030032168-136

 

EquipePtsJVED
Uruguai153300
Chile93201
Brasil63102
Paraguai03003
Tabela completa

 

Brasil x Paraguai de 2016

Foto: Fotojump 2016