ARTIGO ATUALIZADO – É amanhã! O Campeonato Sul-Americano Feminino 2017-18 terá sua largada em Montevidéu, no Uruguai, com 7 seleções do continente jogando não apenas pelo título, mas também pela vaga sul-americana na Copa do Mundo de Sevens de 2018 (uma vaga, para o campeão) e pelas duas vagas no Hong Kong Sevens de 2018 (campeão e vice), a segunda divisão da Série Mundial de Sevens (que é o caminho para as Yaras retornarem à elite mundial). A competição terá transmissão ao vivo no YouTube, confirmado.

O Brasil parte em busca de seu 13º título invicto em sua 13ª participação na competição, criada em 2004. Justamente, até hoje o Brasil não perdeu um jogo sequer no Sul-Americano e venceu todas as edições que participou. O único título que não foi das Yaras foi o de 2015, quando o Brasil não participou do torneio que era também o Pré Olímpico. Naquela oportunidade, a taça ficou nas mãos da Colômbia, que, ao contrário do esperado, optou por não enviar seu time ao Uruguai para o Sul-Americano.

Colômbia e Venezuela serão ausências sentidas, porque costumam brigar pelas vagas em Hong Kong. As duas seleções estiveram no Sul-Americano 2017, disputado na Argentina em fevereiro, mas não estavam preparadas para um novo campeonato neste ano, já que a Sudamérica Rugby optou por antecipar aquele que seria o Sul-Americano de 2018 para o fim de 2017.

As Yaras terão como principal concorrente a Argentina, que jamais derrotou o Brasil. O último confronto entre brasileiras e argentinas foi em março, no torneio de Las Vegas da Série Mundial, e acabou com um sonoro 41 x 00 para as Yaras. Em solo argentino, pelo Sul-Americano de fevereiro, as Yaras venceram por 31 x 12. A superioridade brasileira é tão clara que em 22 jogos até hoje na história, as argentinas fizeram somente 17 tries.

- Continua depois da publicidade -

Aliás, os tries argentinos foram os únicos que o Brasil sofreu no Sul-Americano passado. As demais seleções sul-americanas têm sérias dificuldades para chegarem ao in-goal brasileiro. Chile, Paraguai e Peru jamais fizeram um try sequer no Brasil na história, ao passo que a Costa Rica debutará na competição e pela primeira vez encarará as Yaras.

Somente o Uruguai já fez tries no Brasil e tem a honra de ser a única seleção que venceu as brasileiras até hoje, mas não foi em um Sul-Americano. O feito ocorreu justamente no Torneio Valentin Martinez de 2011. Porém, as uruguaias não vivem um bom momento e terminaram na pior colocação de sua história o último Sul-Americano: na lanterna.

As Yaras terão nada menos que 8 atletas que já ergueram a taça continental: Baby e Paulinha, que estão na seleção desde a primeira conquista, em 2004, Raquel, Luiza, Izzy e Haline, que também estiveram no Rio 2016, e Bianca e Mille, já com experiência de Série Mundial, além de Leila e Aline, que também já viajaram com a seleção pelo circuito. Essas quatro últimas atletas juntos das novatas Tixa e Rafa compõe o grupo de jovens jogadoras que o técnico Reuben Samuel vai mesclando ao elenco mas experiente, promovendo a renovação das Yaras.

 

Como funcionará este Sul-Americano?

O Sul-Americano será jogada no Carrasco Polo durante as disputas do Torneio Valentin Martinez, o grande festival juvenil e feminino realizado anualmente no clube uruguaio. Com 7 participantes, o sistema adotado será de todas contra todas, em um total de 6 partidas para cada time ao longo dos dois dias de jogos, sexta e sábado.

Essa será a primeira vez que o Sul-Americano Feminino não terá final e será jogado em pontos corridos.

 

Copa do Mundo vs Série Mundial

Amplo favorito, o Brasil também perseguirá sua terceira participação seguida na Copa do Mundo de Sevens, depois de jogar as edições de 2009, em Dubai, e 2013, em Moscou. A Copa do Mundo de Sevens é uma competição disputada de 4 em 4 anos e era considerada a mais importante do seven-a-side mundial até a entrada da modalidade nos Jogos Olímpicos. E justamente por conta do Rio 2016, a Copa do Mundo foi postergada de 2017 para 2018, a fim de ocorrer sempre 2 anos após os Jogos Olímpicos. A competição de 2018 será em São Francisco, nos Estados Unidos, em julho do ano que vem.

A Copa do Mundo de Sevens se distingue da Série Mundial de Sevens, que é o circuito mundial, disputado todo ano com várias etapa mundo afora. Em abril do ano que vem, o torneio de Hong Kong mais uma vez será a segunda divisão da Série Mundial, reunindo 12 seleções, as 2 melhores de cada continente entre as seleções que não são times fixos da elite de Série Mundial. O Brasil estava entre as 11 seleções fixas do circuito até a temporada passada, mas acabou sendo rebaixado e precisará agora ser campeão do Hong Kong Sevens para retornar à elite feminina.

 

Seleção brasileira para o Sul-Americano: Beatriz “Baby” Futuro (Niterói), Luiza Campos (Leoas de Paraisópolis), Raquel Kochhann (Leoas de Paraisópolis), Isadora “Izzy” Cerullo (Niterói), Haline Scatrut (Curitiba), Paulinha Ishibashi (SPAC), Bianca Silva (Leoas de Paraisópolis), Milena Silva (São José), Leila Silva (Leoas de Paraisópolis),  Aline Furtado (USP), Letícia “Tixa” Martins (Band Saracens), Rafaela Zenelatto (Curitiba);

 

Tabela de jogos

Sexta-feira, dia 10 de novembro

*Horários de Brasília

10h00 – Uruguai x Chile

10h22 – Paraguai x Costa Rica

10h44 – Brasil x Peru

12h06 – Paraguai x Uruguai

12h28 – Argentina x Chile

12h50 – Brasil x Costa Rica

14h18 – Paraguai x Peru

14h40 – Argentina x Costa Rica

15h02 – Brasil x Chile

16h24 – Argentina x Peru

16h45 – Uruguai x Costa Rica

 

Sábado, dia 11 de novembro

*Horários de Brasília

10h00 – Chile x Peru

10h22 – Argentina x Paraguai

10h44 – Brasil x Uruguai

12h06 – Peru x Costa Rica

12h28 – Brasil x Paraguai

12h50 – Argentina x Uruguai

14h18 – Chile x Costa Rica

15h30 – Peru x Uruguai

15h52 – Paraguai x Chile

16h14 – Brasil x Argentina

 

Histórico do Sul-Americano Feminino

AnoSedeCampeão Vice-campeão3º lugar4º lugar5º lugar6º lugar7º lugar8º lugar
2004Barquisimeto (Venezuela)BrasilVenezuelaColômbiaArgentinaUruguaiChileParaguaiPeru
2005São Paulo (Brasil)BrasilArgentinaVenezuelaColômbiaChileUruguaiParaguaiPeru
2007Viña del Mar (Chile)BrasilColômbiaVenezuelaArgentinaChileUruguaiPeru
2008Punta del Este (Uruguai)BrasilArgentinaVenezuelaUruguaiColômbiaChilePeruParaguai
2009São José dos Campos (Brasil)BrasilArgentinaVenezuelaUruguaiColômbiaChilePeruParaguai
2010Mar del Plata (Argentina)BrasilColômbiaUruguaiArgentinaChileVenezuelaParaguaiPeru
2011Bento Gonçalves (Brasil)BrasilArgentinaChileUruguaiColômbiaPeruVenezuelaParaguai
2012Rio de Janeiro (Brasil)BrasilColômbiaUruguaiArgentinaChileVenezuelaParaguaiPeru
2013Rio de Janeiro (Brasil)BrasilArgentinaUruguaiVenezuelaColômbiaChilePeruParaguai
2014Santiago (Chile)BrasilArgentinaUruguaiColômbiaChileParaguaiVenezuela
2015*Santa Fé (Argentina)ColômbiaArgentinaVenezuelaUruguaiParaguaiChilePeruCosta Rica
2016Rio de Janeiro (Brasil)Brasil ArgentinaColômbiaVenezuelaParaguaiChilePeruUruguai
2017Carlos Paz (Argentina)BrasilArgentinaColômbiaParaguaiVenezuelaChilePeruUruguai
2017-18Montevidéu (Uruguai)BrasilArgentinaPeruParaguaiUruguaiChileCosta Rica
*Em 2015, o Brasil não disputou porque o torneio valia como Pré-Olímpico para os Jogos Olímpicos do Rio 2016

 

Foto: Sudamérica Rugby