Foto: Rede do Esporte

Terça-feira de festa brasileira na Bolívia, com a Seleção Brasileira Feminina defendendo com sucesso mais uma vez sua hegemonia no rugby sul-americano e conquistando sua segunda medalha de ouro na história dos Jogos Sul-Americanos, a Olimpíada da América do Sul, realizados neste ano em Cochabamba, na altitude boliviana de 2500 metros.

As Yaras venceram todos os seus compromissos, incluindo um 34 x 05 sobre a Argentina no último jogo para subirem no pódio e já carimbarem classificação para os Jogos Pan-Americanos de 2019, que serão realizados em Lima, no Peru. A medalha de bronze ficou ineditamente com o Paraguai, que deixou a Colômbia para trás.

Já entre os homens a medalha de ouro foi do invicto Chile, que fez campanha perfeita que incluiu um 52 x 00 sobre o Brasil em partida decisiva – recorde na história dos confrontos entre os dois países. O Uruguai, por sua vez, arrancou uma grande vitória sobre a Argentina no último jogo e ficou com a medalha de prata, para o desapontamento dos Pumas, que viajaram à Bolívia com alguns jogadores de Série Mundial de Sevens.

Chile e Uruguai garantiram suas classificações aos Jogos Pan-Americanos, enquanto a Argentina já tinha vaga assegurada. Com isso, o Brasil terá que disputar a última vaga sul-americana no Pan 2019 no qualificatório sul-americano, a ter datas e local definidos.

- Continua depois da publicidade -

Clique aqui para conferir como foi o primeiro dia de jogos.

Clique aqui para conferir como foi o segundo dia de jogos. 

 

Yaras invencíveis!

A soberania das Yaras na América do Sul segue intacta. Após vencer seus 4 jogos de domingo e segunda, o Brasil abriu terça encarando a Bolívia, pela primeira vez na história. Um total de 11 tries e 5 conversões coroaram a partida, terminando em 65 x 00. Os destaques vão pra Luiza e Thalia, marcando 3 tries cada uma durante os 14 minutos jogados.

No último jogo, o Brasil encarou a Argentina, que também chegava à decisão invicta. E as Pumas até começaram bem, abrindo o placar com try de Sofia González. Porém, as Yaras rapidamente reagiram e viraram com try em bela arrancada de Bianca. A Argentina sentiu e Izzy marcou o segundo, levando o duelo ao intervalo em 12 x 05. No segundo tempo, só deu Yaras, que voaram em campo, com tries de Amanda, Haline, Thalia e Haline de novo. 34 x 05 incontestáveis!

 

Recorde positivo e negativo para os Tupis na terça

Já os Tupis estrearam no dia conquistando a maior vitória da história da seleção, derrotando a Bolívia por 75 x 07 – igualmente no primeiro confronto na história dos dois países na categoria. Stefano marcou nada menos que 4 tries no jogo, enquanto Feijão fez 3, Robert 2, Moisés 1 e Rambo 1.

No entanto, os Tupis foram de um recorde positivo para um negativo no mesmo dia. O Brasil foi a campo contra o Chile em partida decisiva, que valia a classificação brasileira ao Pan – e as chances chilenas de título. E o que se viu foi um domínio absoluto de ponta a ponta dos Cóndores, com o Chile assegurando sua maior vitória na história sobre o Brasil no sevens masculino: 52 x 00, em um total de 8 tries para os andinos.

O resultado deixou o Chile muito próximo do ouro, precisando de um insucesso argentino na missão de atropelar o Uruguai. E o que se viu foi o Uruguai conquistando uma maiúscula vitória sobre a Argentina por indiscutíveis 36 x 20, que assegurou a prata aos uruguaios e o ouro aos chilenos, com os argentinos ficando com o bronze.

 

Jogos Sul-Americanos – Cochabamba 2018

*Horários de Brasília

Domingo, dia 27 de maio

11h00 – Argentina 38 x 00 Paraguai – Feminino

11h22 – Brasil 36 x 00 Colômbia – Feminino

11h44 – Peru 35 x 00 Bolívia – Feminino

12h06 – Uruguai 14 x 14 Brasil – Masculino

12h28 – Argentina 35 x 05 Paraguai – Masculino

12h50 – Chile 54 x 00 Bolívia – Masculino

13h12 – Bolívia 00 x 41 Uruguai – Feminino

13h34 – Colômbia 15 x 14 Peru – Feminino

13h56 – Brasil 42 x 12 Paraguai – Feminino

14h18 – Bolívia 00 x 41 Colômbia – Masculino

14h40 – Chile 40 x 00 Paraguai – Masculino

15h02 – Brasil 07 x 24 Argentina – Masculino

16h08 – Argentina 38 x 00 Uruguai – Feminino

16h30 – Uruguai 26 x 17 Colômbia – Masculino

 

Segunda-feira, dia 28 de maio

11h00 – Argentina 53 x 00 Bolívia – Feminino

11h22 – Paraguai 19 x 19 Colômbia – Feminino

11h44 – Brasil 47 x 00 Uruguai – Feminino

12h06 – Uruguai 53 x 00 Bolívia – Masculino

12h28 – Brasil 31 x 07 Paraguai – Masculino

12h50 – Argentina 28 x 07 Colômbia – Masculino

13h12 – Colômbia 47 x 05 Bolívia – Feminino

13h34 – Paraguai 29 x 10 Uruguai – Feminino

13h56 – Argentina 24 x 00 Peru – Feminino

14h18 – Uruguai 07 x 35 Chile – Masculino

14h40 – Paraguai 35 x 05 Bolívia – Masculino

15h02 – Brasil 19 x 17 Colômbia – Masculino

16h08 – Brasil 43 x 00 Peru – Feminino

16h30 – Argentina 12 x 12 Chile – Masculino

 

Terça-feira, dia 29 de maio

11h00 – Uruguai 05 x 24 Peru – Feminino

11h22 – Bolívia 00 x 65 Brasil – Feminino

11h44 – Colômbia 00 x 38 Argentina – Feminino

12h06 – Colômbia 00 x 31 Chile – Masculino

12h28 – Bolívia 00 x 92 Argentina – Masculino

12h50 – Paraguai 00 x 54 Uruguai – Masculino

13h12 – Uruguai 05 x 45 Colômbia – Feminino

13h34 – Paraguai 68 x 05 Bolívia – Feminino

14h18 – Colômbia 24 x 05 Paraguai – Masculino

14h40 – Brasil 75 x 07 Bolívia – Masculino

15h24 – Peru 12 x 17 Paraguai – Feminino

15h36 – Chile 52 x 00 Brasil – Masculino

16h08 – Brasil 34 x 05 Argentina – Feminino

16h30 – Argentina 20 x 36 Uruguai – Masculino

 

PaísJogosPontosSaldo de pontosMedalha
Feminino
Brasil 618248Ouro
Argentina616197Prata
Paraguai61322Bronze
Colômbia61311
Peru610-25
Uruguai68-125
Bolívia66-298
Masculino
Chile617205Ouro
Uruguai615106Prata
Argentina615144Bronze
Brasil61325
Colômbia610-3
Paraguai68-127
Bolívia66-350

 

YARAS: Amanda Araujo (Niterói), Beatriz “Baby” Futuro (Niterói), Bianca Silva (Leoas de Paraisópolis), Eshyllen Coimbra (Guanabara), Haline Scatrut (Curitiba), Isadora “Izzy” Cerullo (Niterói), Leila Silva (Leoas de Paraisópolis), Luiza Campos (Leoas de Paraisópolis), Mariana Nicolau (São José), Rafaela Zanellato (Curitiba), Raquel Kochhann (Leoas de Paraisópolis), Thalia da Silva (Delta);

TUPIS: Daniel Lima “Maranhão” (Poli), Douglas Rauth (Curitiba), Gustavo Barreiros “Rambo” (Curitiba), Lucas Drudi (Jacareí), Lucas Duque “Tanque” (São José), Mateus Estrela (Jacareí), Matheus Cruz (Jacareí), Moisés Duque (São José), Robert Tenorio (Pasteur), Stefano Giantorno (São José), Thiago Evaristo (Curitiba), Victor “Feijão” Silva (São José);