O troféu da Copa do Mundo de Rugby League chega ao Brasil amanhã (5 de dezembro), por cinco dias cheios de ação em São Paulo – a primeira vez que o campeão visitará a América Latina.

Comemorando a qualificação sem precedentes do Brasil para a Copa do Mundo Feminina de 2021, uma delegação de três pessoas do comitê da Copa do Mundo de Rugby League (RLWC) viajará da Inglaterra com o troféu, juntando-se a outros administradores visitantes da Austrália.

Eles serão tratados com uma programação de eventos que inclui oito jogos da Rugby League para decidir os campeões nacionais do Brasil para mulheres e homens em 2019, uma visita à escola, clínica de habilidades públicas, sessões de educação e um workshop administrativo.

Os delegados da RLWC serão recebidos em sua primeira noite no país mais populoso da América do Sul com um churrasco tradicional.

- Continua depois da publicidade -

Existem oportunidades dentro do cronograma para entrevistas com a mídia, filmagens, fotografias e discussões de parcerias com as partes interessadas.

O dia dos jogos de sábado será uma grande oportunidade para as mulheres que esperam impressionar a seleção da Copa do Mundo de 2021 do Brasil, com oportunidades de desenvolver suas habilidades no exterior.

Entre os funcionários da RLWC presentes estão Rob Borthwick (chefe de programas), Dave Rotherham (diretor de campo), Lois Forsell (embaixadora da liga de rugby feminina, ex-representante da Inglaterra).

Também em São Paulo estará o gerente de Coaching e Desenvolvimento do Brasil, Paul Grundy, treinador credenciado no Nível 2, com vasta experiência na Austrália, e Robert Burgin, co-fundador da Liga Latino-Americana de Rugby.

Eles ajudarão os detentores de escritórios locais da confederada Brasil Rugby League na entrega da programação de eventos.

O cronograma foi desenvolvido com o espírito de inclusão da Copa do Mundo da Rugby League diretamente no centro das atividades.

 

TOUR TROFÉU DA COPA DO  MUNDO DE RUGBY LEAGUE – BRASIL

Dec 5-9, 2019

QUINTA-FEIRA, 5 DE DEZEMBRO

O troféu RLWC chega a São Paulo. Os funcionários da RLWC se juntam à equipe da Brasil Rugby League para um jantar de boas-vindas em uma churrascaria do centro da cidade.

SEXTA-FEIRA, 6 DE DEZEMBRO

10am-12pm: Oportunidades de mídia, Avenida Paulista. (mediante solicitação prévia)

2pm: Clínica da Escola, EMEF Assad Abdala, Avenida Mendonça Drumond, 902, Jardim Maringa, Sao Paulo. O troféu RLWC estará presente.

7pm: Promoção (clínica para meninas e mulheres), Decathlon Villa Lobos, Avenida Queiroz Filho, 1310, Vila Leopoldina, Sao Paulo. O troféu RLWC estará presente.
(Observe que pode demorar 90 minutos de viagem entre o EMEF Assad Abdala e o Decathlon Villa Lobos para os participantes dos dois eventos)

SÁBADO, 7 DE DEZEMBRO

8am-5pm: Finais do campeonato nacional da Brasil Rugby League 2019 para homens e mulheres, além de clínicas de habilidades entregues pelo pessoal da RLWC.
O troféu RLWC estará presente. Existem oportunidades dentro desse horário para mais mídias.

Clube Recreativo CERET, Brasiirb, Canuto Abreu, Jardim Analia Franco, Sao Paulo.

DOMINGO, 8 DE DEZEMBRO

9am-4.30pm: Workshop administrativo RLWC 2021 com pessoal da Brasil Rugby League. Realizado em um local central de São Paulo.

SEGUNDA-FEIRA, 9 DE DEZEMBRO

10am: Delegação da RLCW e da Brasil Rugby League para se encontrar com o Consulado Britânico em São Paulo.

Tarde: A delegação parte.

 

O que é o Rugby League?

O Rugby League é uma modalidade do rugby que nasceu em 1895 no Norte da Inglaterra. Na época, o rugby (o Rugby Union) proibia o profissionalismo no mundo todo, mas um grupo de clubes ingleses se opôs à proibição de pagamentos a jogadores e romperam com a federação inglesa, formando uma liga independente. A fim de mudar a dinâmica do jogo e torná-lo mais aberto, a liga passou a promover mudanças nas suas regras, criando uma modalidade distinta, jogada com regras diferentes. O League, no entanto, se difundiu fortemente apenas no Norte da Inglaterra e na Austrália, onde é mais popular que o Union. O esporte ganhou popularidade ainda na Papua Nova Guiné (país da Oceania onde é o League e não o Union quem reina) e, em menor dimensão, na Nova Zelândia e em algumas partes da França.

As entidades que organizam o Rugby League no mundo não têm ligações com as entidades do Rugby Union. A federação internacional do League é a International Rugby League (IRL) – Federação Internacional de Rugby League. No Brasil, a entidade que organiza o League é a CBRL – Confederação Brasileira de Rugby League.

Quais as principais diferenças do League para o Union?

  • O League é jogado por 2 times de 13 jogadores cada, com 4 reservas, sendo que um atleta que foi substituído poderá retornar a campo. A modalidade reduzida principal é o Nines, de 9 jogadores de cada lado;
  • No League, o try vale 4 pontos, a conversão 2, o penal 2 e o drop goal (chamado também de field goal) 1 ponto;
  • Não existem rucks. Quando um atleta sofre o tackle, é seguro e vai ao chão o jogo é parado. O atleta com a bola é liberado, rola a bola com os pés para trás e o jogo é reiniciado. É o chamado “play the ball”;
  • Cada equipe tem direito a realizar 5 vezes o play the ball e, na sexta vez que um atleta é derrubado, a posse da bola troca de equipe. É a chamada “Regra dos 6 tackles”. Com isso, é comum após o 5º tackle a equipe com a posse da bola chutá-la;
  • Se a equipe defensora tocar na bola entre um play the ball e outro a contagem de tackles é zerada. Quando uma equipe com a posse de bola comete um erro de manuseio e a bola troca de posse o primeiro tackle é considerado “tackle zero” e a contagem se inicia apenas após ele;
  • Não há lineouts. A reposição da bola que saiu pela lateral é feita a partir de um scrum. Penais chutados para a lateral são cobrados com free kick;
  • Na prática, os scrums não possuem disputas, pois a equipe que introduz a bola na formação pode introduzi-la diretamente no pé de sua segunda linha. Porém, a equipe sem a bola pode tentar empurrar a formação para roubar a bola (o que é raro de acontecer);
  • Não existe o mark. Com isso, chutes no campo ofensivo são frequentes;
  • Um chute dado atrás da linha de 40 metros do campo de defesa que saia pela lateral após a linha de 20 metros do campo ofensivo é chamado de “40/20” e premia a equipe chutadora com a manutenção da posse da bola e com a contagem de tackles zerada;
  • A numeração dos atletas no League muda. Os números mais altos são para os forwards e os números menos são para a linha. O fullback é o camisa 1 e o pilar o 13, por exemplo;