ARTIGO COM VÍDEO – Como o esperado, os Springboks dominariam o jogo em casa. Jogando diante de sua torcida em Porto Elizabeth, os auri-verdes impuseram seu jogo durante a maior parte do jogo, principalmente após os 20 primeiros minutos que foi o tempo em que os Pumas ofereceram a maior resistência e os sul-africanos tiveram mais dificuldades.

A África do Sul começou pressionando a Argentina, mas encontrava muita resistência por parte dos Pumas que resistiam com força e realizavam bons contra-ataques. Contra-ataques que se perdiam em erros primários como knock-ons e erros de passes.

Aos 8 minutos de jogo, Elton Jantjies arriscou uma tentativa de drop goal, mas fracassou. O jogo seguia 0 x 0.

Por usar as mãos irregularmente no ruck, Tomás Lazane causou penal que Jantjies chutou e converteu abrindo o placar para os Bokes: 3 x 0.

- Continua depois da publicidade -

O jogo seguia no campo da Argentina com África do Sul pressionando e os Pumas resistindo. Aos 19 minutos, um novo penal proporcionou uma nova oportunidade de pontuação a Jantjies. Que não desperdiçou: 6 x 0 para os Bokes.

Pouco depois, por um tackle alto, os Pumas tiveram uma chance de pontuar que Nicolás Sánchez desperdiçou ao errar o chute penal aos 28 minutos. E o jogo seguia 6 x 0 para os Bokes.

Em uma boa recuperada de bola de Tuculet e num contra ataque rápido, Juan Martin Landajo apoiou a bola dentro do ingoal dos Bokes anotando o primeiro try da partida. Sánchez não converteu, assim, os Bokes ainda ficaram na frente no placar: 6 x 5.

A alegria do try dos Pumas durou pouco, após um scrum no meio do campo e uma bela jogada tramada por Jantjies, Skosan anotou seu primeiro try em test matches e o primeiro dos bokes na noite. Jantjies converteu a ampliou a vantagem para os Bokes, agora o placar mostrava 13 x 5 para os sul-africanos.

No segundo tempo, o domínio sul-africano seguia, mas num penal Sánchez diminuiu para os Pumas ao converter o chute para os postes. 13 x 8.

Aos 8 minutos, um penal de difícil conversão para Jantjies. Ele chutou, conseguiu e ampliou a vantage para os Bokes: 16 x 8 para o time da casa.

O jogo estava disputado, apesar do domínio sul-africano. Aos 12 minutos os auri-verdes avançavam de penal em penal e, após um lateral, uma boa jogada tramada em 6 fases, Raymond Rhule entrou no ingoal e apoiou a bola. Jantjies foi para a conversão e acertou o chute com o capricho do toque da trave. Agora a partida já estava 23 x 8 para os Bokes.

Aos 19 minutos, após bom handling da Argentina, Bofelli anota o segundo try dos Pumas e o Mago Hernandez converte, devolvendo a chance da Argentina encostar no placar novamente. 23 x 15.

Aos 25 minutos, a Africa do Sul amplia sua vantagem, graças ao seu domínio de bola. Siya Kolisi anota o try e Iantjies converte. Agora 30 x 15 para os Bokes diante de sua feliz torcida.

Aos 32 ainda teve tempo para mais. Os cansados Pumas não estavam mais conseguindo segurar os sulafricanos. Pieter-Steph du Toit após um ruck conseguiu anotar o seu try que também foi convertido por Iantjies. O carro sulafricano já começava a passar por cima da Argentina: 37 x 15 para os Bokes.

Com a vitória os Springboks assumem a vice-liderança do torneio e a Argentina segue em último. As duas equipes voltam a se enfrentar no próximo sábado em Salta, na Argentina.

 37 versus copiar  15  

África do Sul 37 x 15 Argentina, em Porto Elizabeth

Árbitro: Romain Poite (França)

África do Sul

Tries: Skosan, Rhule, Kolisi e du Toit

Conversões: Jantjies(4)

Penais: Jantjies(3)

15 Andries Coetzee, 14 Raymond Rhule, 13 Jesse Kriel, 12 Jan Serfontein, 11 Courtnall Skosan, 10 Elton Jantjies, 9 Ross Cronje, 8 Uzair Cassiem, 7 Jaco Kriel, 6 Siya Kolisi, 5 Franco Mostert, 4 Eben Etzebeth (c), 3 Coenie Oosthuizen, 2 Malcolm Marx, 1 Tendai Mtawarira;

Suplentes: 16 Bongi Mbonambi, 17 Steven Kitshoff, 18 Trevor Nyakane, 19 Pieter-Steph du Toit, 20 Jean-Luc du Preez, 21 Francois Hougaard, 22 Curwin Bosch, 23 Damian de Allende;

Argentina

Tries: Bofelli e Landajo

Conversão: Hernández

Penal: Sánches

15 Joaquin Tuculet, 14 Ramiro Moyano, 13 Matías Oralando, 12 Jerónimo de la Fuente, 11 Emiliano Boffelli, 10 Nicolás Sánchez, 9 Martin Landajo, 8 Leonardo Senatore, 7 Tomás Lezana, 6 Pablo Matera, 5 Tomás Lavanini, 4 Guido Petti, 3 Enrico Pieretto, 2 Agustín Creevy (c), 1 Nahuel Tetaz Chaparro;

Suplentes: 16 Julián Montoya, 17 Lucas Noguera Paz, 18 Ramiro Herrera, 19 Marcos Kremmer, 20 Javier Ortega Desio, 21 Tomás Cubelli, 22 Juan Martín Hernández, 23 Matías Moroni;

Histórico: 25 jogos, 22 vitórias da África do Sul, 2 vitórias da Argentina e 1 empate.