O futebol brasileiro teve em Sócrates um médico com um dos grandes expoentes da modalidade, dono de muita técnica e com uma enorme determinação, para conciliar a vida nos campos e se formar em uma das profissões mais complexas que existe. No história do rugby no Brasil, a história se repetiu quase que por completo, com um dos grandes nomes deste esporte nas Américas.

Lucas Duque, o Tanque, mesmo ainda em atividade, pode ter certeza que já tem o nome escrito na história da modalidade no país. Com mais de 15 anos de carreira, o craque da seleção brasileira e do São José Rugby superou as mais diversas dificuldades, como a dificuldade para conciliar o esporte e o estudo da medicina, a falta de patrocínio e até mesmo lugar para treinar.

Mas felizmente, para ele, e principalmente, para a modalidade, ao mesmo tempo em que as adversidades apareceram, o apoio de dentro de casa, vindo de uma família que respira rugby, e a vontade de jogar e fazer com que o esporte fosse reconhecido, apenas cresceram e tornaram Tanque um doutor, seja no campo ou fora dele.

Tanque conseguiu o que queria e ajudou muito o rugby a evoluir no Brasil. Disputas de Jogos Pan-Americanos, de Jogos Olímpicos, de Americas Rugby Championship, e especialmente, o título inédito do Campeonato Sul-Americano, provam isso. Uma trajetória de constante evolução, mesmo com as grandes barreiras, que levaram Lucas e a modalidade ao auge no país.

- Continua depois da publicidade -

Texto: Geisa Teles Frutuoso/João Pedro Almeida