Capitães dos times da NRL 2019 reunidos. Foto: NRL.com

ARTIGO COM VÍDEO – Chegou a hora mais aguardada pelo fã do Rugby League, o rugby de 13 jogadores. A NRL vai começar! Nesse quinta, dia 14, terá início a National Rugby League, o Campeonato Australiano, que conta com os melhores times e jogadores do planeta.

O que preciso saber?

  • A NRL conta com 16 equipes, sendo 15 da Austrália e 1 da Nova Zelândia;
    • A NRL nasceu em 1908, como a NSWRL, a liga do estado de Nova Gales do Sul (New South Wales). Por isso, 10 equipes são do estado, sendo 9 da capital Sydney;
    • As equipes têm um teto salarial a seguirem: o limite anual é de 9,5 milhões de dólares australianos (26 milhões de reais) para um elenco de 30 jogadores em cada time. O salário mínimo por atleta é de 110 mil dólares australianos (300 mil reais) por ano;
  • Os times fazem 24 partidas cada, ao longo de 25 semanas (com 1 folga por time). Cada time enfrenta todos os seus oponentes 1 vez e encara pela 2ª vez 9 oponentes;
    • Em 2019 a NRL estreará o conceito do Magic Round, em sua 9ª rodada (9 a 12 de maio), com todos os times jogando no mesmo estádio em uma super rodada em Brisbane;
  • Os 8 primeiros colocados avançam ao mata-mata, que tem um sistema diferente:
    • Qualificatório: 1º colocado recebe 4º colocado, 2º colocado recebe 3º colocado. Vencedores vão às semifinais. Perdedores jogam as Repescagens;
    • Eliminatório: 5º colocado recebe 8º colocado , 6º colocado recebe 7º colocado. Vencedores vão às Repescagens e os perdedores eliminados;
    • Repescagens: na casa dos perdedores do Qualificatório. Vencedores vão às semifinais;
    • Semifinais: na casa dos vencedores do Qualificatório;
    • Grande Final: dia 06 de outubro, em Sydney;
    • Os jogos podem ser assistidos diretamente no site da liga, mediante assinatura.

Além do campeonato de clubes, a NRL organiza um evento especial todo ano: o State of Origin, considerado o maior evento esportivo da Austrália:

  • O State of Origin é a melhor de 3 partidas anuais entre as seleções dos estados de Queensland e Nova Gales do Sul, os dois estados onde o Rugby League é o esporte dominante e que juntos compõem 50% da população australiana.
  • Datas dos jogos: 05 de junho, 23 de junho e 10 de julho;

 

- Continua depois da publicidade -

Quem são os favoritos?

A NRL é um dos campeonatos mais imprevisíveis da bola oval. Nos últimos anos 10 anos, foram 7 campeões diferentes. Quais são as equipes? Cidades entre parênteses. Clubes na ordem da classificação de 2018:

  • Sydney Roosters (Sydney): atual campeão, o Roosters perdeu  artilheiro Blake Ferguson, que foi para os Eels, mas contratou o craque Brett Morris, vindo dos Bulldogs, e o ídolo inglês Ryan Hall (olho nele);
  • Melbourne Storm (Melbourne): dono de um dos elencos mais badalados, o vice campeão perdeu seu craque Billy Slater, aposentado, mas ainda conta com Cameron Smith, um dos ícones da liga;
  • South Sydney Rabbitohs (Sydney): arquirrival dos Roosters, os Rabbitohs estão pressionados por títulos. O capitão é o craque Greg Inglis e o treinador é o maior campeão da história da NRL, Wayne Bennett;
  • Cronulla Sharks (Sydney): pequeno notável de Sydney, os Sharks foram à compras e trouxeram o craque neozelandê Shaun Johnson. Mas o time perdeu o artilheiro Valentine Holmes, que tentará jogar a NFL;
  • Penrith Panthers (Sydney): outro pequeno notável, os Panthers apostam na força do grupo e em seu novo técnico Ivan Cleary para irem longe;
  • Brisbane Broncos (Brisbane): Os Broncos têm a maior torcida da liga e contam com o novato revelação, o neozelandês Jamayne Isaako, que bateu o recorde histórico da liga de pontos marcados por um novato, 239;
  • St. George Illawarra Dragons (Sydney/Wollongong): grande pressionado, os Dragons apostam na regularidade de homens como o artilheiro inglês Gareth Widdop e o tacleador Cameron McInnes;
  • New Zealand Warriors (Auckland, Nova Zelândia): os Warriors são eterna promessa de título, que nunca se materializa. O time neozelandês perdeu nomes importantes e contratou pouco, apostando na canteira. David Fusitu’a é o destaque, artilheiro de tries da NRL 2018;
  • Wests Tigers (Sydney): com muitas trocas no elenco, o Wests Tigers apostou na volta de seu histórico capitão Robbie Farah e na contratação do técnico Michael Maguire, que foi campeão com os Rabbitohs;
  • Canberra Raiders (Canberra): time da capital australiana Canberra, a Máquina Verde apostou em reforços vindos do campeão inglês Wigan, John Bateman e Ryan Sutton;
  • Newcastle Knights (Newcastle): os Knights perderam muitos nomes para 2019 e estão arriscados de outro má campanha;
  • Canterbury Bulldogs (Sydney): os Bulldogs também renovaram o elenco, perdendo os irmãos Morris, ícones do clube. Muitas dúvida pelos lados azuis de Sydney;
  • North Queensland Cowboys (Townsville): ídolo maior dos Cowboys, Jonathan Thurston, se aposentou e a dúvida fica: e agora?
  • Gold Coast Titans (Gold Coast): mais uma temporada sem brilho na ensolarada Gold Coast? Os Titans seguem sem encantar o torcedor;
  • Manly Sea Eagles (Sydney): a crise tomou conta dos poderosos Sea Eagles que apostaram em fórmula simples para saírem do buraco: trouxeram de volta o técnico, campeão com a equipe em 2008 e 2011;
  • Parramatta Eels (Sydney): o lanterna se reforçou e trouxe o artilheiro dos Roosters, Blake Ferguson. “Agora vai”?

 

1ª rodada

14/03 – Storm x Broncos – Clássico Nacional

15/03 – Knights x Sharks

15/03 – Roosters x Rabbitohs – Clássico de Sydney

16/03 – Warriors x Bulldogs

16/03 – Wests Tigers x Sea Eagles

16/03 – Cowboys x Dragons

17/03 – Panthers x Eels

17h03 – Titans x Raiders

 

Campeões:

  • 21 títulos – South Sydney Rabbitohs;
  • 16 títulos – St. George Illawarra Dragons¹ e Wests Tigers¹
  • 14 títulos – Sydney Roosters;
  • 8 títulos – Canterbury Bulldogs e Manly Sea Eagles;
  • 6 títulos – Brisbane Broncos;
  • 4 títulos – Parramatta Eels;
  • 3 títulos – Melbourne Storm², Canberra Raiders e Newton Jets³;
  • 2 títulos – Newcastle Knights, Penrith Panthers e North Sydney Bears³;
  • 1 título – Cronulla Sharks e North Queensland Cowboys.
  • Gold Coast Titans e New Zealand Warriors são os únicos times atuais que jamais foram campeões;

¹ St. George Illawarra Dragons é o resultado da fusão de St. George Dragons com Illawarra Steelers. Wests Tigers é a fusão de Balmain Tigers e Western Suburbs Magpies. A lista de títulos inclui a soma dos títulos dos times que se fundiram;

² O Melbourne Storm teve 2 títulos (2007 e 2009) cassados por quebra de teto salarial. Lista inclui apenas títulos válidos;

³ Clubes que não jogam mais a NRL;

 

O que é o Rugby League?

O Rugby League é uma modalidade do rugby que nasceu em 1895 no Norte da Inglaterra. Na época, o rugby (o Rugby Union) proibia o profissionalismo no mundo todo, mas um grupo de clubes ingleses se opôs à proibição de pagamentos a jogadores e romperam com a federação inglesa, formando uma liga independente. A fim de mudar a dinâmica do jogo e torná-lo mais aberto, a liga passou a promover mudanças nas suas regras, criando uma modalidade distinta, jogada com regras diferentes e organizada por entidades distintas do Union. O League, no entanto, se difundiu fortemente apenas no Norte da Inglaterra e na Austrália, onde é mais popular que o Union. O esporte ganhou popularidade ainda na Papua Nova Guiné (país da Oceania onde é o League e não o Union que reina) e, em menor dimensão, na Nova Zelândia e em algumas partes da França, onde segue bem abaixo do Union.

Quais as principais diferenças do League para o Union?

  • O League é jogado por 2 times de 13 jogadores cada, com 4 reservas, sendo que um atleta que foi substituído poderá retornar a campo. A modalidade reduzida principal é o Nines, de 9 jogadores de cada lado;
  • No League, o try vale 4 pontos, a conversão 2, o penal 2 e o drop goal (chamado também de field goal) 1 ponto;
  • Não existem rucks. Quando um atleta sofre o tackle, é seguro e vai ao chão o jogo é parado. O atleta com a bola é liberado, rola a bola com os pés para trás e o jogo é reiniciado. É o chamado “play the ball”;
  • Cada equipe tem direito a realizar 5 vezes o play the ball e, na sexta vez que um atleta é derrubado, a posse da bola troca de equipe. É a chamada “Regra dos 6 tackles”. Com isso, é comum após o 5º tackle a equipe com a posse da bola chutá-la;
  • Se a equipe defensora tocar na bola entre um play the ball e outro a contagem de tackles é zerada. Quando uma equipe com a posse de bola comete um erro de manuseio e a bola troca de posse o primeiro tackle é considerado “tackle zero” e a contagem se inicia apenas após ele;
  • Não há lineouts. A reposição da bola que saiu pela lateral é feita a partir de um scrum. Penais chutados para a lateral são cobrados com free kick;
  • Na prática, os scrums não possuem disputas, pois a equipe que introduz a bola na formação pode introduzi-la diretamente no pé de sua segunda linha. Porém, a equipe sem a bola pode tentar empurrar a formação para roubar a bola (o que é raro de acontecer);
  • Não existe o mark. Com isso, chutes no campo ofensivo são frequentes;
  • Um chute dado atrás da linha de 40 metros do campo de defesa que saia pela lateral após a linha de 20 metros do campo ofensivo é chamado de “40/20” e premia a equipe chutadora com a manutenção da posse da bola e com a contagem de tackles zerada;
  • A numeração dos atletas no League muda. Os números mais altos são para os forwards e os números menos são para a linha. O fullback é o camisa 1 e o pilar o 13, por exemplo;