Foto: Márcio Duailibi

Tempo de leitura: 7 minutos

A temporada brasileira de clubes vai começar! Esse sábado, dia 14, é de abertura para o campeonato estadual mais forte do país, o Paulista Série A, que conta com 5 clubes da primeira divisão brasileira – sendo 3 dos semifinalistas do Campeonato Brasileiro de 2019 e com os três últimos campeões nacionais.

Em 2020, competirão pelo título paulista 7 clubes: São José (atual campeão brasileiro), Jacareí (campeão brasileiro de 2017 e atual tricampeão brasileiro de sevens), Pasteur (atual campeão paulista), Poli (campeã brasileira de 2018), SPAC (maior campeão brasileiro) e os dois recém promovidos Engenharia Bullguer (ex-Engenharia Mackenzie) e Tucanos, que chegam na principal divisão do Rugby estadual depois de apenas 5 anos, mostrando uma evolução contínua que os coloca agora para medir forças com clubes de nível nacional e marca a primeira vez que duas equipes são promovidas desde que o atual formato de 8 equipes foi adotado.

O Band Saracens desistiu da competição, resultado em número ímpar de participantes.

- Continua depois da publicidade -

 

Transmissões!

Pelo segundo ano seguido, a competição terá transmissão ao vivo. A TV NSports reafirma o seu compromisso com o Rugby e deve transmitir pelo menos 11 jogos, todos gratuitos. A webrádio WR4 Esportes também irá fazer transmissões, podendo levar o total de jogos transmitidos a mais de 50% do calendário, um novo recorde.

 

Formato

Neste ano, o Campeonato Paulista terá formato novo:

  • Na 1a fase, os 7 times se enfrentam em turno único, com 6 jogos por equipe
  • Os 4 primeiros colocados jogarão a Taça Ouro e os 3 últimos a Taça Prata;
  • Na Taça Ouro, as equipes jogam em turno único, com 3 rodadas. Os 2 melhores farão a final;
  • Na Taça Prata, as equipes também jogam em turno único e o último colocado jogará repescagem de rebaixamento/promoção com o vice campeão da Série B. Não haverá rebaixamento automático, e o Paulista voltará a ter 8 equipes em 2021;

 

Os times e as expectativas

Pasteur (São Paulo)

O atual campeão entra em campo para defender seu título e é uma das equipes mais desfalcadas pela franquia do Corinthians, perdendo nada menos que sete jogadores, incluindo os experientes Arthur Bergo e Yan Rossetti até revelações como Felipe Cunha e Kauã Guimarães. Além disso, os irmãos Spago (Raj foi o artilheiro da equipe em 2019), Brendon e Gabriel Miranda seguem nos Estados Unidos e devem perder a primeira metade do campeonato, mas mesmo assim, a vocação formativa dos Galos entra em campo para manter a equipe no topo.

Nomes consagrados como Pedro di Pilla, Lucas Croffi, Gabriel “Batman” e o tryman Ronaldo seguem sendo a base do elenco, reforçado por pelo menos 9 atletas da categoria de base que chegam para brigar por posições no time titular. Na definição do treinador Gabriel Cacuro, “será uma equipe mais técnica, que já conhece o sistema de jogo do Pasteur, mas um pouco mais fraca fisicamente.”

 

São José (São José dos Campos)

Os joseenses vem embalados pelo título nacional conquistado no final de 2019, o ápice de um projeto de três anos desenhado pela comissão técnica e já pensando na construção de um novo ciclo, o treinador Duda Padilla vai buscar mais uma vez a receita que deu bons resultados. A aposta é na chegada de 10 atletas das categorias de base para ganhar experiência e apoiando o elenco atual que percorreu o mesmo caminho três anos atrás, mantendo um ciclo de renovação constante importante frente às perdas que o clube sofreu, com as ausências de Moisés, Caíque, os irmãos Sancery e Leonel para a franquia brasileira da SLAR.

Francisco Sanchis, artilheiro do Paulista no ano passado deverá fazer par com Joaco, que volta ao elenco, além da fera Lucas Duque, sempre decisivo, seguem ao lado de Michel Lopes e Patrick, mostrando um elenco forte que seguramente vai lutar pelo título mais uma vez.

 

Jacareí (Jacareí)

A grande novidade dos Jacarés para o início da temporada está na comissão técnica, que terá Arthur, ex-treinador das categorias de base, à frente do elenco principal que irá buscar o único título que a equipe ainda não possui.

Ter acompanhado a formação da maior parte dos jogadores é um ponto importante para repor as perdas pontuais de Matheus “Blade” e Joel Ramirez que também irão servir ao Corinthians, mas dentro de campo, o elenco sofreu poucas mudanças, mantendo a ótima combinação de juventude e experiência, representado em figuras como Matheus Cruz, Drudi, Léo Cecarelli e Guto Andreoti, que devem ser as peças centrais do grupo.

 

Poli (São Paulo)

O treinador Maurício Carli vai precisar quebrar a cabeça para contornar as perdas no elenco e manter a Poli entre as principais forças do Rugby nacional nesse começo de ano. A Poli foi uma das equipes mais afetadas pela SLAR, perdendo nomes chave tanto na linha (Josh, Zé, Maranhão, Robert) quanto nos forwards (Gelado, Abud, Pedro Bengaló) além da saída de atletas que voltaram para seus clubes de origem como Rogério “Índio” (URA), Alex Guelfi e Alex Salvi (Piratas) entre outros e atletas lesionados ou voltando de lesão – de Wet e Presida.

Para compensar, Gean, um dos melhores jogadores de 2019, Beukes, decisivo na condução da equipe, Ariel e Lucas Muller, grandes finalizadores, seguem no elenco e tem tudo para levar a equipe mais uma vez para as finais. A adição de Evaristo e Mezzaroba do Curitiba, e Abner (Tucanos) e Fábio Verardi (Tornados) ao elenco além dos veteranos podem ser a base de apoio necessária para buscar o tricampeonato.

 

SPAC (São Paulo)

O mais tradicional clube do país terá uma temporada de transição, com a promoção de nada menos que oito jogadores, os primeiros nomes de sua excelente categoria de base, conferindo juventude e velocidade a um elenco que até então tinha uma das maiores médias de idade do campeonato.

A inexperiência em um jogo mais físico deverá ser o ponto principal a ser superado pelos SPAC Boys que contudo, não tiveram baixas significativas no elenco e terão a adição do experiente Felipe “Alemão” Claro, voltando a fazer parte integral do elenco ao lado de craques como André “Boy”. A novidade também aparece na lateral de campo, com o galês David Griffiths assumindo a função de treinador.

 

Engenharia Bullguer (São Paulo)

As mudanças no atual campeão da Série B 2019 começam pelo nome. A Bullguer, que já patrocinava a equipe, ampliou seu apoio ao projeto dos engenheiros e agora aparece também no nome do clube e a cor preta irá rivalizar com o tradicional azul e vermelho mackenzista, que segue no uniforme principal.

A trajetória meteórica da equipe (que chegou a somar nada menos que 41 jogos de invencibilidade entre 2016 e 2018) será posta à mais dura prova em 2020. O elenco praticamente inalterado dos últimos anos teve entre os destaques Gabriel “Tsonga”, Josué Bennati (atilheiro da equipe em 2019), Emir Peralta e Vini Xavier e foi capaz de mostrar regularidade e resiliência ao longo do último ano, mas encontrará pela frente jogos mais físicos e com maior velocidade na sua estreia na elite estadual, e para se manter na divisão, alguns nomes chegaram para dar mais experiência ao grupo, com destaque para Bruno Gil (ex-Band) e Jadson (Urutu), tryman da Série B em 2019, além de Vavá, Panda e Liam, também vindos do Band.

 

Tucanos (São João da Boa Vista)

O Tucanos é mais uma equipe que veio das divisiões de desenvolvimento de São Paulo a estrear na elite estadual. Depois de um ano agitado que contou com a participação no campeonato mineiro (vice-campeão), o vice-paulista coloca o interior do estado em destaque mais uma vez. Para esse ano, a novidade começa pelo campo. Roberto Herrera, secretário de esportes de São João da Boa Vista, ampliou seu apoio ao Rugby e cedeu o principal campo da cidade para os jogos, prometendo elevar o status da equipe na cidade e dando uma visibilidade inédita na região.

Dentro de campo, o treinador “Chino” Benitez terá à disposição boa parte do seu elenco do último ano, com destaque para o tryman Diego Hoffman que também assume a função de capitão. Um dos pontos fortes da equipe desde a sua formação tem sido a intensidade e o jogo muito físico, que será crucial para fazer frente aos rivais mais experientes. O intercâmbio com o Rugby mineiro também rendeu frutos, e a equipe contará com reforços de Uberlândia, Varginha e Lagoa Santa, além do Mogi Mirim.

 

Campeonato Paulista A – Semana 1
Dia 14/03/2020 às 15h – Poli X SPAC – ao vivo na TV NSports
Local: CEPEUSP – São Paulo, SP

Dia 14/03/2020 às 15h – Pasteur X Engenharia – ao vivo na WR4 Esportes
Local: Arena Paulista – São Paulo, SP

Dia 14/03/2020 às 15h – São José X Tucanos
Local: CT Ange Guimerá – São José dos Campos, SP

 

Tabela completa

 ClubeCidadePJVED4+7-PPPCSP
Engenharia BullguerSão Paulo
JacareíJacareí
PasteurSão Paulo
PoliSão Paulo
São JoséSão José dos Campos
SPACSão Paulo
TucanosSão João da Boa Vista
Dia HorárioLocalMandante vs VisitanteFase
??/??/2020PasteurXEngenharia Bullguer1a fase
??/??/2020São JoséXTucanos1a fase
??/??/2020PoliXSPAC1a fase
??/??/2020PoliXPasteur1a fase
??/??/2020Engenharia BullguerXSPAC1a fase
??/??/2020TucanosXJacareí1a fase
??/??/2020SPACXPasteur1a fase
??/??/2020São JoséXJacareí1a fase
??/??/2020PoliXEngenharia Bullguer1a fase
09/05/2020JacareíXPasteur1a fase
09/05/2020São JoséXSPAC1a fase
09/05/2020TucanosXPoli1a fase
16/05/2020TucanosXPasteur1a fase
16/05/2020São JoséXEngenharia Bullguer1a fase
16/05/2020SPACXJacareí1a fase
06/06/2020PasteurXSão José1a fase
06/06/2020JacareíXPoli1a fase
06/06/2020Engenharia BullguerXTucanos1a fase
27/06/2020PoliXSão José1a fase
27/06/2020TucanosXSPAC1a fase
27/06/2020JacareíXEngenharia Bullguer1a fase
25/07/20201o colocadoX4o colocadoTaça Ouro
25/07/20202o colocadoX3o colocadoTaça Ouro
25/07/20206o colocadoX7o colocadoTaça Prata
01/08/20201o colocadoX3o colocadoTaça Ouro
01/08/20202o colocadoX4o colocadoTaça Ouro
01/08/20205o colocadoX7o colocadoTaça Prata
29/08/20201o colocadoX2o colocadoTaça Ouro
29/08/20203o colocadoX4o colocadoTaça Ouro
29/08/20205o colocadoX6o colocadoTaça Prata
19/09/20201o da Taça OuroX2o da Taça OuroFINAL

 

Histórico

AnoCampeão
1979Medicina
1980Alphaville
1981Medicina
1982Alphaville
1983Alphaville
1984SPAC
1985Pasteur
1986Alphaville
1987Alphaville
1988Alphaville
1989Alphaville
1990*
1991*
1992Alphaville
1993*
1994Rio Branco
1995Rio Branco
1996Bandeirantes
1997Rio Branco
1998Bandeirantes
1999SPAC
2000Bandeirantes
2001Rio Branco
2002Rio Branco
2003Bandeirantes
2004São José
2005São José
2006São José
2007São José
2008São José
2009São José
2010São José
2011São José
2012Pasteur
2013São José
2014São José
2015Pasteur
2016São José
2017Poli
2018Poli
2019Pasteur
2020-
*Tabela ainda incompleta. Quem tiver dados completos sobre os anos que faltam, favor contactar victor@portaldorugby.com.br