Foto: Jequitibá Rugby Clube

A penúltima rodada do Paulista C nesse fim de semana conheceu mais dois finalistas e acenderam o sinal de alerta na briga para fugir do rebaixamento, com vitória impressionante do Rio Preto sobre o Mogi e o Wallys superando o Ribeirão no duelo do G4 que garantiu os dois na próxima fase, enquanto Iguanas e Jequitibá obtiveram vitórias cruciais fora de casa para manter vivas as esperanças de classificação até a última rodada.

O jogo mais importante da rodada aconteceu em Vinhedo, pois o resultado poderia definir os quatro classificados para as semifinais ou ainda manter em aberto a situação para outras equipes. A tarde em Vinhedo poderia ser de festa, já que o juvenil da casa abriu o dia do rugby, mas o dia foi duro para os donos da casa após sofrerem duas derrotas nos dois jogos realizados.

O Cougars foi a primeira equipe a cumprir todos os jogos da fase regular e agora torce para que Jequitibá e Iguanas percam seus jogos na rodada final para confirmar a classificação. O Jequitibá joga por vitória por ponto bônus fora de casa contra a FEA e torce para o Wallys vencer o Iguanas para conseguir chegar às semis.

O jogo foi como se esperava: uma feroz batalha valendo todo sufoco da temporada em busca da última vaga em aberto. Em início duro, o Jequitibá não quis arriscar e aproveitou um penal a favor para guardar 3 pontos aos 7′ com o abertura sensação do momento, Renan Trzesniowski – que acertou 8 penais no jogo passado contra o Iguanas. A reação veio somente com Leonardo Caparroz – usando uma curiosa camisa 0 – aos 19′, seguido aos 26′ pelo segunda linha Lucas Omena. 3 minutos depois, Marcelo de Andrade crava o terceiro try da casa, deixando o Cougars na frente por 19×03. A reação do Jequitibá veio com dois tries de João Baptistini e Guilherme Jacobucci, aos 32′ e no último lance do primeiro tempo, respectivamente.

- Continua depois da publicidade -

Após o intervalo, o Jequitibá continua o momento dos forwards e com sua segunda linha crava dois tries, Jameson Santos aos 5′ e Ulisses Correia aos 13, deixando o placar em 19×27, colocando a pressão no time da casa. O Cougars reagiu rápido aos 19′ com Guilherme Sapia, deixando tudo por 26×27. Sem conseguir manter a calma com a pressão de ir atrás de um resultado positivo, o Cougars não superava a defesa do Jequitibá de maneira efetiva e não encontrou mais espaços até o apito final.

A derrota deixa o Cougars em situação complicada porque foi o primeiro time a completar a fase regular e não joga mais, dependendo dos reveses de Iguanas e Jequitibá em seus jogos. Já o Jequitibá joga pela continuidade da temporada contra a FEA no dia 14 e torce para o Iguanas não conseguir vencer o Wallys para conseguir chegar na semifinal.

Em duelo dos grandes da temporada na C, Wallys e Ribeirão fizeram um jogo digno da posição de ambos na tabela. A batalha começou com o Wallys se impondo na posse de bola e predominando no início da batalha dos forwards, que garantiram uma bola de qualidade para o segundo centro e capitão Bruno Batista marcar seu try aos 7′, seguido pelo artilheiro e veterano Carlos Gastón com um penal aos 16′, para sufocar os rivais no placar. A reação veio com o poderoso pack de forwards e seu jogo de base com o segunda linha Marcelo Danesin, e aos 35′, com o segundo centro do Ribeirão dando o troco no seu oposto do Wallys, cravando seu try para virar o jogo e deixar tudo em 14×10.

Na sequência incial após o intervalo, o Ribeirão continuou achando o caminho na força de seus forwards com o oitavo Felipe Artero, aos 5′, e chegando novamente ao ingoal aos 12′, novamente com Marcelo Danesin, aproveitando o choque do time da casa sem conseguir reagir, ampliando a vantagem. O Wallys sacudiu a poeria após estar atrás com 10×26 e partiu pra reação. Aos 18′ com outra investida rápida da linha listrada com Rodrigo Cozin, voltando de lesão com try, inicia a reação, seguido por Gabriel Soares, aos 23′, deixando tudo por 24×26. Carlos Gastón, artilheiro isolado do Paulista C, aos 29′, decreta os números finais com um penal, suficiente para virada no placar por 27×26 e os dez minutos finais, o Wallys conseguiu segurar as investidas dos forwards, em grande batalha que pode ser a prévia das semifinais.

O resultado pouco mudou a situação de ambos, confirmados para a semifinal, mas o importantíssimo mando de jogo segue em aberto.

A missão era difícil, mas por um breve momento, o Mogi conseguiu surpreender os líderes do campeonato logo de cara, aos 2′ de jogo, com rápida infiltração para cravar o primeiro try do jogo, situação que o Rio Preto não conhecia desde o jogo do Cougars. Mas não demorou muito para que as Águias mostrassem porque possuem um jogo bem eficiente saindo de formações fixas: aos 8′, Roger Pinto, municiado pelos set pieces do abertura Thales Lima, começou a avalanche de pontos. Roger Pinto, com um hat trick logo de cara, auxilou o Rio Preto a cravar 31 pontos no primeiro tempo.

O segundo tempo viu um desempenho avassalador dos visitantes que tiveram que viajar quase 600km para a partida e não sentiram cansaço para aplicar mais incríveis 66 pontos em apenas 40 minutos. Destaques para Roger Pinto, que só precisou de 60 minutos para marcar 4 tries, assim como Jefferson dos Santos, marcando 4 tries. O fullback Muryel da Silva, encarregado pelas conversões, guardou 27 pontos para os 14×97 aplicados no duelo entre líder e lanterna e o maior placar do campeonato até então.

Com o resultado, o Rio Preto garante o mando nas semis e está muito perto de fechar a primeira fase na primeira colocação no seu ano de estreia na divisão. Já o Mogi ainda não está maticamente rebaixado, mas precisa vencer seu último encontro fora de casa contra o Ribeirão e contar com um tropeço do União diante do Rio Preto.

No último jogo, o jogo de 70 minutos apenas – interrompido devido a incidência de relâmpagos na Arena Paulista – foi o suficiente para o Iguanas conseguir a vitória por ponto bônus em cima do União e manter mais do que vivas as chances de classificação, após o revés do Cougars.

Os Iguanas não se abateram com a chuva que caía na capital e não teve problemas em resolver o jogo logo cedo, com outra atuação de gala do ponta Lucas Alcino, deixando outro hat trick em apenas 40 minutos. Felipe Barreto, oitavo do Iguanas, completa a série de tries para deixar o primeiro tempo em 26×05.

Na segunda etapa, Paulo Vasconcelos, pelo Iguanas, e Sebastian Mizdraji, pelo União, deixam suas marcas, mantendo a distância relativa no placar de 12×33. Rodrigo Ribeiro, hooker do Iguanas, crava no ingoal aos 31′ para deixar o placar em 12×38 e a arbitragem junto com os capitães aproveitaram o momento de pausa e decidiram encerrar o jogo após a incidência de raios que caiam com a chuva.

O Iguanas terá uma final antecipada contra o Wallys na última rodada, no dia 15 de setembro, para definir a temporada. Se vencer o jogo, dependendo somente de si, será o último classificado e pegará o líder Rio Preto fora de casa pelas semis.

 ClubeCidadePJVED4+7-PPPCSP
Rio PretoSão José do Rio Preto36870171386122264
Ribeirão PretoRibeirão Preto3186026120515451
WallysJundiaí/Louveira28860240258158100
IguanasSão José dos Campos2684136225917881
Jequitibá Campinas/Paulínia25850441211215-4
CougarsVinhedo2484134220617828
FEASão Paulo11820621130207-77
UniãoSão Paulo5810710106332-226
Mogi Mogi das Cruzes2800811101318-217
Vitória = 4 pontos
Empate = 2 pontos
Derrota = 0 pontos
Marcar 4 ou mais tries no jogo = 1 ponto
Perder por diferença de 7 pontos ou menos = 1 ponto

1º ao 4º colocados = Semifinais
9º colocado = Repescagem de Rebaixamento contra o vice do Paulista D
10º colocado = Rebaixamento direto

São Carlos vence e decide melhor campanha contra Mackenzie na última rodada

Em jogo solo pela rodada do Paulista B, o São Carlos não teve dificuldades ao receber o ABC em jogo onde a situação de ambos virtualmente já estão definidas. São Carlos, já classificado, continua a caça em busca do primeiro lugar.

Em mais uma tarde que Luis Cameirão amplia sua vantagem na artilharia do torneio, contribuindo com 11 pontos, o destaque desta vez foi o seu companheiro de meio campo Glauco Ungari com um hat trick, após fortes investidas para cima da defesa do ABC. O solitário try da equipe do ABC veio somente aos 30′, com o primeiro centro Pedro Machado, em boa batalha contra Glauco durante a partida.

O São Carlos realiza uma final antecipada contra o Engenharia Mackenzie para definir o primeiro lugar e o chaveamento favorável para as semifinais. O ABC com o resultado define o seu destino e não possui mais chances de classificação, mas também não entrará na zona de risco, não importando os demais resultados, focando o planejamento para o Paulista B de 2020 a partir de agora.

 ClubeCidadePJVED4+7-PPPCSP
Engenharia MackenzieSão Paulo41981070349133216
São CarlosSão Carlos3898104026685181
TucanosSão João da Boa Vista27950443300159141
Rio BrancoSão Paulo2795044323217557
PiratasAmericana2695045127920871
UrutuSão Paulo22940551244257-13
ABCSanto André19940530191303-112
LechuzaSorocaba/Votorantim18931540217263-46
São BentoSão BentoSão Paulo10911731160348-188
JaguarsJaguariúna5900932163467-304
Vitória = 4 pontos
Empate = 2 pontos
Derrota = 0 pontos
Marcar 4 ou mais tries no jogo = 1 ponto
Perder por diferença de 7 pontos ou menos = 1 ponto

1º ao 4º colocados = Semifinais
9º colocado = Repescagem de Rebaixamento contra o vice do Paulista C
10º colocado = Rebaixamento direto