Foto: Sudamérica Rugby

Tempo de leitura: 3 minutos

Por muito pouco o Chile não conseguiu sua primeira vitória sobre a Argentina XV na história. Chilenos e argentinos abriram o Campeonato Sul-Americano 4 Nações em Montevidéu com um encontro muito parelho – que, todavia, também foi sintomático da falta de ritmo causada pelo COVID-19. O Chile flertou até o fim com a vitória e somente no apagar das luzes viu a Argentina virar o marcador para vencer por 25 x 24. O jogo teve o brasileiro Cauã Ricardo como árbitro principal, estreando na competição.

O jogo começou perfeito para o Chile, que abriu o marcador com try na ponta do fullback Fernández, apanhando chute cruzado de Videla. No entanto, pouco depois a Argentina respondeu com try em mail, finalizado por Oviedo.

Com a conversão perdida, os chilenos mantiveram a frente e ampliaram com penal chutado por Videla: 10 x 05. Lá e cá, a Argentina voltou a virar o marcador com outro try de maul, com o pilar Javier Díaz, dos Jaguares (e 3 caps pelos Pumas). No entanto, o Chile soube levar os argentinos aos erros e Videla acertou uma de duas tentativas de penal para abrir 13 x 12 para os Cóndores.

- Continua depois da publicidade -

Antes do intervalo, o Chile ainda deu outro recado maiúsculo, trabalhando muito bem após o lateral com fases e depois com sua linha, até Saavedra quebrar tackle e servir com offload Larenas para o segundo try chileno, ampliando a frente para 18 x 12.

A Argentina começou o segundo tempo buscando afastar a zebra e, aos 47′, Cubilla marcou o terceiro try dos favoritos, agora na ponta, para abrir 19 x 18. No entanto, o Chile soube combater a Argentina no jogo de contato, fechar os espaço e levar o jogo para os minuitos finais em aberto. Videla e Pellandini trocaram penais e, aos 75′, Videla chutou os 3 pontos que pareciam dar a vitória aos Cóndores, com frente de 24 x 22.

Contudo, no apagar das luzes, o Chile cedeu penal de 40 metros que Castiglioni converteu, dando a vitória aos argentinos – no sufoco, 25 x 24. O Chile do técnico uruguaio Pablo Lemoine vai mostrando evolução, depois de ter vencido antes da pandemia o Peñarol em Montevidéu. A Argentina, do técnico Ignácio Fernández Lobbe, mesmo com os Pumas Díaz e Ortega Desio em campo e com muitos nomes já experientes pela Argentina XV, teve dificuldades na volta a campo.

25versus copiar24

Argentina 25 x 24 Chile, em Montevidéu

Árbitro: Cauã Ricardo (Brasil)

Argentina

Tries: Oviedo, Díaz e Cubilla

Conversões: Elías (2)

Penais: Pellandini (1) e Castiglioni (1)

1 Javier Díaz, 2 Leonel Oviedo, 3 Lucas Favre, 4 Santiago Portillo, 5 Franco Molina, 6 Lautaro Bavaro, 7 Javier Ortega Desio, 8 Bautista Pedemonte, 9 Lautaro Bázan Vélez, 10 Martín Elías, 11 Martín Cancelliere, 12 Juan Pablo Castro, 13 Tomás Cubilla, 14 Mateo Carreras, 15 Juan Bautista Daireaux;

Suplentes: 16 Ignacio Ruiz, 17 Rodrigo Martínez, 18 Francisco Minervino, 19 Estanislao Carullo, 20 Federico Guttiérrez, 21 Joaquín Pellandini, 22 Santiago Mare, 23 Matías Osadczuk, 24 Teo Castiglioni, 25 Juan Cruz Pérez Rachel, 26 Santiago Ruiz;

Chile

Tries: Fernández e Larenas

Conversões: Videla (1)

Penais: Videla (4)

1 Javier Carrasco, 2 Tomas Dussaillant, 3 Matías Dittus, 4 Clemente Saavedra, 5 Javier Eissmann, 6 Ignacio Silva, 7 Martín Sigren, 8 Nicolás Garafulic, 9 Marcelo Torrealba, 10 Francisco Urroz, 11 Matías Garafulic, 12 Santiago Videla, 13 Domingo Saavedra, 14 Julio Blanc, 15 Rodrigo Fernández;

Suplentes: 16 Augusto Böhme, 17 Iñaki Gurruchaga, 18 Esteban Inostroza, 19 Salvador Lues, 20 Santiago Pedrero, 21 Thomas Orchard, 22 Jan Hassenlechner, 23 Luca Strabucchi, 24 José Ignacio Larenas, 25 Alfonso Escobar, 26 Joaquín Huici;

 

 EquipeApelidoPJVED4+-7PPPCSP
UruguaiTeros411000025178
ArgentinaArgentina XV411000025241
ChileCóndores11001012425-1
BrasilTupis01001001725-8
- Vitória = 4 pontos;
- Empate = 2 pontos;
- Derrota = 0 pontos;
- Anotar 4 ou mais tries = 1 ponto extra;
- Perder por 7 pontos ou menos de diferença = 1 pontos extra;