Foto: ©INPHO/Ryan Byrne

Tempo de leitura: 4 minutos

ARTIGO COM VÍDEO – Inglaterra e Irlanda estão sorrindo: o título do Six Nations ainda está aberto. Neste domingo, a França colapsou diante da Escócia e perdeu a chance de se isolar na liderança e colocar a mão na taça. Vitória escocesa por 28 x 17, que condenou o Six Nations a não ter campeão ao final da próxima (a última) rodada.

O motivo é o coronavírus. Os jogos da Itália contra Inglaterra e Irlanda foram adiados (com datas para realização ainda não reveladas), o que  significa que nenhum equipe poderá matematicamente assegurar o título do Six Nations no sábado que vem.

A Inglaterra assumiu a liderança do Six Nations, com o mesmo número de pontos da França, mas saldo melhor. Os ingleses, no entanto, não jogam semana que vem, pelo adiamento da partida com a Itália. A França receberá a Irlanda, em jogo que ditará o destino das duas equipes.

- Continua depois da publicidade -

 

Qual a matemática agora pelo título?

  • Inglaterra: sem jogar na próxima semana, a Inglaterra precisará vencer a Itália quando o jogo for realizado. A quantidade de pontos necessários para a vitória inglesa só será conhecida após a rodada da semana que vem;
  • França: tem a obrigação agora de vencer com bônus a Irlanda. Ainda assim, mesmo que consiga, dependerá do resultado da Inglaterra contra a Itália;
  • Irlanda: tem a obrigação de vencer a França. Se vencer com bônus, assumirá a liderança isolada, com 1 ponto acima da Inglaterra e ainda enfrentará em casa a Itália. Se a Irlanda vencer a França sem bônus, ingleses, irlandeses e franceses ficarão com o mesmo número de pontos e os placares de ingleses e irlandeses contra a Itália decidirão o título;

 

A queda da França

A França foi a Edimburgo dependendo só de si para ser campeã do Six Nations. No entanto, os franceses não entraram bem na partida. Aos 5′, a França teve cartão amarelo para François Cros e logo viram a Escócia abrir 6 x 0 com 2 penais certeiros de Adam Hastings, em momento que os donos da casa levavam vantagem no jogo de contato e a França cedia turnovers e penalidades.

Os Bleus reagiram apenas aos 33′, quando o scrum-half Dupont fez mágica com um chute cruzado para Penaud marcar o try da virada, 7 x 6. Finalmente, na reta final da primeira etapa, a França parecia entrar no eixo.

No entanto, aos 36′, a Escócia voltou a liderar com novo penal chutado por Hastings, após lance que levou a uma briga generalizada e a cartão vermelho para Mohammed Haouas por um soco. Foi o momento capital da partida. Com isso, ainda antes da pausa, a Escócia encontrou try crucial, com Sean Maitland recebendo de Sam Johnson, após Hastings ter criado espaço em velocidade. 14 x 07.

O segundo tempo começou perfeito para os donos da casa, com Jalibert (jogando no lugar do lesionado Ntamack) errando chute e permitindo contra ataque escocês, com Stuart Hogg, Sam Johnson e Ali Price ganhando metros e Hastings armando para Maitland marcar novamente na ponta. 21 x 07 que praticamente sepultavam os franceses.

Jalibert reduziu a diferença com penal, mas a França voltou a errar, agora em lateral, e Stuart McInally não perdoou, fazendo o terceiro try escocês aos 64′, abrindo 28 x 10. Foi somente nos minutos finais que a França conseguiu voltar a mostrar qualidade. Aos 76′, uma linda ação de mãos, com sequência perfeita de apoio e continuidade, resultou em try de Ollivon para os Bleus.

Porém, no fim, o ponto bônus defensivo (que seria crucial na briga pelo título), não aconteceu para a França. Fim de papo (e praticamente fim do sonho do título): Escócia 28 x 17 França.

28versus copiar17

Escócia 28 x 17 França, em Edimburgo

Árbitro: Paul Williams (Nova Zelândia)

Escócia

Tries: Maitland (2) e McInally

Conversões: Hastings (2)

Penais: Hastings (3)

15 Stuart Hogg (c), 14 Sean Maitland, 13 Chris Harris, 12 Sam Johnson, 11 Blair Kinghorn, 10 Adam Hastings, 9 Ali Price, 8 Nick Haining, 7 Hamish Watson, 6 Jamie Ritchie, 5 Grant Gilchrist, 4 Scott Cummings, 3 Zander Fagerson, 2 Fraser Brown, 1 Rory Sutherland;

Suplentes: 16 Stuart McInally, 17 Allan Dell, 18 Willem Nel, 19 Sam Skinner, 20 Magnus Bradbury, 21 George Horne, 22 Duncan Weir, 23 Kyle Steyn;

França

Try: Penaud

Conversão: Jalibert (1)

Penal: Jalibert (1)

15 Anthony Bouthier, 14 Damian Penaud, 13 Virimi Vakatawa, 12 Arthur Vincent, 11 Gael Fickou, 10 Romain Ntamack, 9 Antoine Dupont, 8 Grégory Alldritt, 7 Charles Ollivon (c), 6 François Cros, 5 Paul Willemse, 4 Bernard Le Roux, 3 Mohamed Haouas, 2 Julien Marchand, 1 Cyril Baille;

Suplentes: 16 Camille Chat, 17 Jean-Baptiste Gros, 18 Demba Bamba, 19 Romain Taofifenua, 20 Dylan Cretin, 21 Baptiste Serin, 22 Matthieu Jalibert, 23 Thomas Ramos;

 

 SeleçãoJogosPontos
Inglaterra413
França413
Escócia410
Irlanda39
Gales47
Itália30
- Grand Slam = 3 pontos;
- Vitória = 4 pontos;
- Empate = 2 pontos;
- Derrota = 0 pontos;
- Anotar 4 ou mais tries = 1 ponto extra;
- Perder por diferença de 7 pontos ou menos = 1 ponto extra;