Estádio lotado em Madagascar.

Tempo de leitura: 3 minutos

Nem todos os principais países do mundo adoram o rugby da mesma maneira. Hoje vamos falar sobre os principais países onde o rugby tem um grande papel cultural, para que você possa acompanhar os campeonatos nacionais e se divertir com esse esporte.

Ao conhecer esses países, você terá mais oportunidades de fazer apostas em jogos de rugby. Atualmente, apostar em esportes se tornou um dos métodos de entretenimento mais populares no Brasil, e ao conhecer alguns dos países onde o rugby é considerado uma paixão nacional, você terá mais oportunidades de apostas.

Ainda falando sobre palpites, é necessário que você saiba como escolher um bom site de apostas. Nossa recomendação é que você avalie a plataforma de apostas levando em consideração o bônus, o serviço de atendimento ao cliente e também as cotações presentes no site.

- Continua depois da publicidade -

Dessa forma, você terá um site de apostas confiável para os seus palpites em jogos de rugby, podendo aproveitar bastante as partidas enquanto faz suas apostas. Com isso em mente, vamos conhecer os cinco países que mais adoram o rugby ao redor do mundo inteiro!

Polônia

O rugby tem se tornado cada vez mais popular na Polônia, e a cena do esporte no país tem apresentado resultados muito atrativos. O esporte é um nicho bem procurado por lá, e a seleção nacional polonesa teve, inclusive, bastante destaque no cenário internacional do esporte.

Foi por conta do intercâmbio polonês esportivo com a França que o país acabou gostando do esporte. Atualmente, os jogos de rugby na Polônia tem um alto número de torcedores, com uma aderência bem alta no país. Até mesmo a seleção feminina polonesa de rugby tem se destacado nos últimos anos.

Malásia

A Malásia, que é uma ex-colônia do Reino Unido, encontra no esporte um importante aliado para o avanço social dentro do país. Existem mais de 300 clubes de rugby espalhados por lá, e apesar do esporte ainda estar abaixo do futebol, o rugby tem uma boa aderência.

Além disso, a seleção nacional tem se classificado para jogos importantes internacionalmente. A liga nacional de rugby da Malásia tem um nível semiprofissional, e conta com diversos atletas estrangeiros das mais diversas nacionalidades. Os campeonatos nacionais costumam ser bem disputados, o que é particularmente interessante para quem está procurando por opções de apostas.

Uganda

Uma das mais importantes forças do rugby africano é em Uganda, que é um dos principais rivais do Quênia. A seleção local é conhecida como Cranes, e hoje é uma das quatro principais equipes nacionais de rugby presentes na África.

Mas não é só a seleção masculina do país que se destaca, já que o time feminino também vem ganhando bastante atenção nos últimos anos. Uganda tem clubes de rugby que são muito importantes para o país, possuindo todo um caráter social, necessário para criar uma base forte para o país que ainda sofre com situações complicadas de pobreza e fome.

Sri Lanka

A ilha que fica ao sul da Índia é um dos focos internacionais de rugby. O esporte é o segundo colocado no país, ficando atrás apenas do críquete. Diferentemente da Índia, onde o rugby é um esporte que tem pouca aderência, no Sri Lanka, ele tem um forte relacionamento com o esporte desde sua época de colônia britânica.

O número de praticantes do esporte no país o coloca dentro dos top 15 do mundo inteiro, mesmo com sua seleção nacional não sendo uma das mais fortes no mundo atualmente. Ela está em quinto lugar na Ásia, e a história do país no cenário internacional do esporte é bem longa.

Antes de ter sido proclamado como república, o país era representado por um forte time britânico de rugby, tendo muito destaque internacional. Entretanto, o nível do esporte no país atualmente é semiprofissional, atraindo um bom público para os jogos.

Madagascar

Madagascar ama o rugby simplesmente com todo o coração. A famosa ilha tem o esporte como uma verdadeira obsessão nacional, da mesma maneira que os brasileiros veem o futebol no Brasil. O país tem uma mistura populacional de pessoas da África e do Sudeste Asiático, que é refletida diretamente na seleção nacional.

Os Makis, a seleção masculina, inclusive tem uma dança de guerra muito própria, que é feita antes das partidas, o famoso “haka”. Madagascar foi o primeiro país africano a introduzir essa tradição no começo dos jogos. Os jogos no país são extremamente populares, e geralmente reúnem uma grande quantidade de fãs nas arquibancadas, tornando o jogo num espetáculo à parte.