História do Rugby

Esta página tem o objetivo de esclarecer qual a origem do rúgbi (rugby), separando o mito da realidade histórica, sem, contudo, excluir um desses lados.

Jogos com bola e contato físico são praticados pelas sociedade humanas há milênios. Os romanos, por exemplo, praticavam o Harpastum, muito semelhante ao rúgbi moderno, no qual os atletas jogavam em equipes, e buscavam levar uma bola à outra extremidade da quadra de jogo, empurrando os oponentes. Autores antigos como Ateneu, Galeno, Sidônio Apolinário e Júlio Polux relatam a prática contemporânea.

Na Itália, na região de Florença, floresceu o Calcio, cujas regras foram formalizadas em 1580, segundo as quais 2 equipes com 27 jogadores deveriam conduzir a bola até o outro lado do campo adversário, em dois tempos de 50 minutos, contando ainda com juizes de campo e de linha. Os celtas, por sua vez, praticavam o Caid, ao qual se atribui grande influência sobre o rúgbi. Como afirma o historiador Hilário Franco Júnior, os jogos com bola são manifestações antropológicas, comuns a diversas sociedades humanas ao longo dos séculos. A origem específica do rúgbi está na própria Inglaterra industrial, dos séculos XVIII e XIX.

 

Mito:

Tratar da história do rúgbi nos obriga a abordar tanto a origem mítica como as raízes históricas.

No ano de 1823, na Rugby School, na cidade de Rugby, Inglaterra, um aluno chamado William Webb Ellis, tomou a bola em suas mãos e, desrespeitando as regras do futebol vigentes na região (Rugby School Football Rules), que permitia que a bola fosse segurada com as mãos (mas somente se o jogador recuasse do ponto onde pegou a bola), avançou rumo ao campo adversário, enquanto os oponentes tentavam segurá-lo para impedir a sua progressão.

 

Debate e origens:

O rúgbi não é fruto de uma jogada isolada. Desde o final do século XVIII, os antigos jogos com bola medievais, chamados de football, passaram a ser incorporados pelo sistema de ensino britânico como parte da educação física e da recreação dos garotos. Cada escola e universidade britânica tinha, pois, sua forma própria de jogar, com suas próprias regras, ainda que não escritas. Não havia, portanto, um football, mas vários, sem qualquer organização. A Rugby School, por exemplo, tinha a sua própria forma de jogar que, como em todos os lugares, sofreu alterações com o passar do tempo. Assim, quando se fala que o rúgbi nasceu de uma jogada do futebol, não se deve imaginar o football association (o futebol), que só surgiu em sua forma moderna em 1848, mas de uma forma de football. O Caid irlandês, jogo tradicional celta semelhante ao football, influenciou os jogos das escolas com presença de alunos irlandeses, como era o caso de Webb Ellis, e está entre as influências do jogo da Rugby School.

O historiador Tony Collins afirma que das poucas coisas que sabemos a respeito de William Webb Ellis, de uma coisa temos certeza: ele não inventou o rúgbi. Ellis viveu sua vida na obscuridade como clérigo, e apenas em 1872 foi apontado por Matthew Bloxham, um ex-aluno de Rugby como o garoto que havia corrido com a bola nas mãos. O jogo da escola de Rugby tornou-se antes notório por meio de um outro garoto: Tom Brown, personagem fictício do livro Tom Brown’s Schooldays, de Thomas Hughes. Com  isso, a história o ex-aluno real de Rugby, William Webb Ellis, não desempenhou grande papel no desenvolvimento do jogo até os anos 1880, segundo Collins.

 

 

william webb ellis trofeu-rwc 

Wiliam Webb Ellis e o troféu que leva o seu nome

Ainda que o jogo de Rugby tenha sido praticado pelo menos desde os anos 1820, foi em 1846 que as primeiras regras foram escritas, formalizando-se o Rugby Football. Thomas Arnold, diretor da escola desde 1828, foi um dos encorajadores do esporte e de sua formalização, reconhecendo nele grandes valores pedagógicos.

Em 1863, as leis do jogoescritas pela Universidade de Cambridge para a unificação das diversas formas de football não foram aceitas pelos representantes do Rugby Football, mantendo-o separado do novo Footbal Association (o futebol).

 

 

Rugby Football Union

O surgimento de diversos clubes de rúgbi por toda a Inglaterra fez necessária a criação de uma entidade nacional organizadora. Em 1871, nasceu a Rugby Football Union. A primeira reunião da RFU foi presidida por E.C. Holmes, capitão do Richmond F. C., e contou com representantes de 21 clubes: além do Richmond, Harlequins, Blackheath (formando o poderoso trio de clubes de Londres, que mandou por anos na entidade), Guy’s Hospital, Civil Service, Wellington College, King’s College, St. Paul’s School (que continuam existindo até hoje), Gipsies, Flamingoes, Mohicans, Wimbledon Hornets, Marlborough Nomads, West Kent, Law, Lausanne, Addison, Belize Park, Ravenscourt Park, Chapham Rovers e Queen’s House (que não existem mais). A União Escocesa de Rugby (SRU) foi a segunda a ser formada, em 1873, seguida da União Irlandesa de Futebol Rugby (IRFU), em 1879, e da União Galesa de Rugby (WRU), em 1881. A criação das 4 entidades nacionais fez necessária a criação de um órgão internacional. Com isso, em 1886, nasceu o International Rugby Board (IRB), fundado por representante de Escócia, Irlanda e País de Gales. A Inglaterra se recusou participar do IRB em sua fundação, e só aderiu à entidade em 1890.

Em 1871, foi disputada a primeira partida internacional, entre Inglaterra e Escócia, com vitória escocesa. A primeira grande competição internacional nasceu em 1883: o Four Nations (4 Nações), entre as Home Nations (Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda). Foi somente em 1910 que o torneio se tornou Five Nations (5 Nações), com a inclusão da França, e Six Nations (6 Nações), apenas em 2000, com a entrada da Itália.

 

Rugby Football League

Em 1895, o rúgbi chegou a um momento crucial para seu próximo século de existência. O crescimento do esporte levou à discussão sobre a liberalização ou não do profissionalismo, isto é, do ato de se remunerar um atleta. De acordo com a ideologia da época, a remuneração desvirtuaria os ideais do esporte e, por isso, era ilegal. Collins aponta que o rugby football recebia muito mais atenção do público – seja da mídia ou mesmo do afluxo de pessoas aos campos – por volta dos anos 1870 e 1880. A adoção do profissionalismo fez crescer o Football Association (futebol) e colocou a discussão para o rugby football. A recusa da RFU de liberar as remunerações, e as seguidas sanções impostas pela entidade aos clubes que as praticavam, levaram um grupo de 22 clubes se desligarem oficialmente da União. A reunião no Hotel George, em Huddersfield, levou a 20 dos 21 clubes (todos do norte da Inglaterra) a assinarem a fundação da Northern Rugby Union (NRU), endossada por outros 2 clubes nos dias seguintes, totalizando 22 clubes fundadores. Em 1922, a NRU virou a RFL, Rugby Football League. As seguidas modificações nas regras promovidas pela entidade transformaram o rúgbi praticado por seus clubes em um outro esporte, o Rugby League, com regras muito distintas.

Com o Cisma de 1895, a RFU manteve como ilegal o profissionalismo até o ano de 1995, quando, em 25 de agosto, 2 meses após a Copa do Mundo de 1995, a entidade declarou o Rugby Union um esporte livre, isto é, com a permissão para a profissionalização dos atletas.

 

 

O nascimento do Sevens

Em 1883, na pequena cidade escocesa de Melrose, nasceu a modalidade reduzida do seven-a-side. Melrose se localiza no coração do rúgbi escocês, a Scottish Border, região de pequenos vilarejos, cujas pequenas populações dificultavam a formação de equipes de 15 jogadores. Com isso, o Melrose RFC inovou ao convidar as equipes dos vilarejos vizinhos para um torneio de dois dias, com jogo com apenas 7 jogadores de cada lado, com tempo reduzido, porém mantendo-se as mesmas regras do jogo tradicional de 15 jogadores. O torneio virou uma tradição, e a modalidade passou a ser adotada em outras partes do mundo, sendo reconhecido oficialmente em 1973.

 

A evolução das regras:

As regras do rúgbi variaram muito ao longo do tempo. Até 1846, por exemplo, um try (que era chamado de touchdown, como no futebol americano hoje) não valia nada. Sendo que o único modo de se pontuar consistia em chutar a bola entre os postes. O termo try significa justamente isso. Tratava-se de ganhar a tentativa (try, em inglês) de chutar livremente a bola à meta. O próprio ato de correr com a bola nas mãos – inovação atribuída a William Webb Ellis – só foi formalizada em 1846. Em 1863, uma nova reunião foi realizada com o objetivo de proibir algumas práticas, como chutar adversários (hacking), e fazê-los tropeçar (tripping). O primeiro sistema de contagem de pontos foi feito em 1889. Antes era marcado apenas o try e os chutes separadamente. Foi apenas em 1892 que a bola oval foi oficializada.

As formas de se pontuar variaram muito com o tempo. Veja a tabela com o valor da pontuação do rugby union:

Período

TRY

Conversão

Penal

Drop goal

Goal form Mark*

1871-1886 - 1 - 1 -
1886-1888 1 2 - 3 -

1888-1891

1

2

2

3

-

1891-1893

2

3

3

4

4

1893-1905

3

2

3

4

4

1905-1948

3

2

3

4

3

1948-1971

3

2

3

3

3

1971-1977

4

2

3

3

3

1977-1992

4

2

3

3

-

1992 - hoje

5

2

3

3

-

(*) Consistia em se chutar a bola ao gol depois de chamada a marca. O atleta não poderia ser tocado até chutar a bola a gol. Foi extinto em 1977.

 

rugby-school

Garotos jogando na Rugby School

História do Rugby no Brasil:

A história do rúgbi no Brasil remonta ao século XIX. Na segunda metade do século retrasado, as duas principais formas de football praticadas no Reino Unido, o Rugby Football (rúgbi) e o Football Association (futebol), foram levadas para todas as partes do mundo, por administradores britânicos, clérigos, militares, homens de negócios, trabalhadores, estudantes e imigrantes que tiveram contato com os jogos em terras britânicas. A dispersão do futebol foi inegavelmente maior, mas, no século XIX e princípio do século XX, a dispersão do rúgbi entre as elites locais não ficou muito distante daquela apresentada pelo futebol. E no Brasil tal fenômeno não foi diferente. A presença britânica em terras brasileiras e o intercâmbio estudantil nesse período garantiram a chegada do rúgbi no país.

O historiador Tomás Mazzoni, em História do Futebol no Brasil (Edições Leia, 1950) aponta que o primeiro clube exclusivamente voltado para o rúgbi (e para qualquer forma de football) fundado no Brasil foi o Clube Brasileiro de Futebol Rugby, em 1891, no Rio de Janeiro.  Mas a equipe não teve continuidade.

Em 1888, foi fundado o São Paulo Athletic Club que, desde sua origem, teve atividades de rúgbi realizadas entre seus associados. Entretanto, foi apenas em 1895 que o clube fundou sua primeira equipe de rúgbi. O idealizador da equipe foi Charles Miller, o mesmo que organizou o primeiro time de futebol do Brasil. A equipe foi descontinuada em 1896, quando Miller passou a se dedicar apenas ao futebol. No mesmo ano, no Rio de Janeiro, o Paissandú Atlético Clube, clube mais antigo do país, praticou rúgbi utilizando bolas de futebol, mas as atividades também não tiveram seguimento. Em 1896, por outro lado, Augusto Shaw levou o rúgbi para o Colégio Mackenzie, em São Paulo.

A despeito de algumas partidas relizadas nas décadas de 1900, 1910 e início de 1920, rúgbi só passou a ser praticado com regularidade no Brasil a partir de 1925, em São Paulo, com a reestruturação do rúgbi no São Paulo Athletic Club. Nesse ano, os senhores James Macintyre e Gordon Rule fundaram o Britânia Football Club, o segundo clube de São Paulo. Ainda em 1925, surgiram novas equipes de rúgbi em Santos e no Rio de Janeiro.

Em maio de 1926, uma série de jogos interestaduais foram realizados no Brasil. Em 1927, o embaixador britânico no Brasil, Beilby Alston, criou uma taça, levando o seu nome, para ser dada aos vencedores dos duelos entre São Paulo e Rio de Janeiro, que foram disputadas todos os anos até 1940.

Nesse mesmo período, foi formada a Seleção Brasileira de Rugby, que enfrentou, dentre outros adversários, a África do Sul (não oficial), em 1932, e a Seleção do Reino Unido (British and Irish Lions), em 1936, que terminou em 82 x 0 para os britânicos, e um recorde mundial: o Príncipe Alexander Obolensky (príncipe russo que defendia a seleção inglesa) anotou nada menos que 17 tries. Nesse período, a Seleção Brasileira contava com uma maioria de jogadores de origem inglesa.

Com a Segunda Guerra Mundial, a muitos membros da comunidade britânica no Brasil voltaram para a Europa, para defender o Exército Britânico, e o rúgbi foi descontinuado. Somente em 1947 o esporte voltou a ser jogado. Em 1950, Macintyre organizou a primeira excursão de uma seleção brasileira para o exterior. O Brasil foi ao Uruguai, jogando três partidas, vencendo todas, inclusive contra Los Teros (seleção uruguaia), por 20 x 0. Em 1951, o Brasil participou da primeira edição do Campeonato Sul –Americano, perdendo para Argentina, Chile e Uruguai.

Em 1963, Harry Donovan e Jimmy Macintyre fundaram a União de Rugby do Brasil (URB). E, em 1964, organizaram o primeiro Campeonato Sul-Americano no Brasil, em São Paulo. No torneio, a Seleção Brasileira conseguiu o maior resultado de sua história, terminando com o segundo lugar, após empatar com o Chile e bater o Uruguai. No mesmo ano, teve início o Campeonato Brasileiro de Rugby, com o SPAC conquistando o primeiro título.

Em 1966, o primeiro jogo entre universidades foi realizado no Brasil. A Faculdade de Medicina da USP enfrentou a Faculdade de Engenharia do Mackenzie, dando início à longa tradição do rúgbi Mac-Med. Nas décadas de 60, 70 e 80, os times de rúgbi proliferaram, sobretudo, na cidade de São Paulo. Em 1979, foi criado o Campeonato Fluminense de Rugby, com o duelo entre Rio Rugby FC e Niterói RFC. Os campeonatos paulistas tiveram início em 1979, com as categorias adulta e juvenil. O Campeonato de Colégios teve início em 1981, com o rúgbi sendo praticado em muitos colégios privados de São Paulo, tradição hoje perdida.

Em 1972, a URB se transformou em ABR – Associação Brasileira de Rugby, sendo reconhecida pelo Conselho Nacional do Desporto. Em 1989, a ABR foi uma das fundadoras da CONSUR, a Confederação Sul-Americano de Rugby. Entre 1991 e 1999, o Brasil disputou os Mundiais Juvenis da FIRA-AER, a Federação Internacional de Rugby Amador.

Em 1995, enfim, a ABR teve aprovada a sua filiação ao IRB (International Rugby Board), a entidade máxima do rúgbi mundial. Em 1996, o Brasil fez sua primeira participação nas eliminatórias para a Copa do Mundo de Rugby, válidas para o Mundial de 1999.

Em 2004, a Seleção Brasileira Feminina de Sevens disputou o primeiro Campeonato Sul-Americano da categoria, e se sagrou campeã. Desde então, o campeonato é disputado anualmente, e o Brasil conquistou todos os títulos disputados. Em 2009, foi formada pela primeira vez a Seleção Feminina de XV, que disputou um amistoso contra a Holanda, saindo derrotada por 10 x 0. No mesmo ano, a Seleção Feminina de Sevens conseguiu seu maior feito: disputar a Copa do Mundo de Rugby Sevens, em Dubai, alcançando o 10º lugar.

Com a inclusão do rúgbi nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, a ABR foi transformada em Confederação Brasileira de Rugby (CBRu). Nesse mesmo ano, a Seleção Brasileira Masculina de Sevens conquistou sua primeira vitória sobre a Argentina.

 

Home Nations, Cinco Nações e Seis Nações:


Três Nações/The Rugby Championship:

 

Copa do Mundo de Rugby:

Copa do Mundo de Sevens:

Além do rúgbi:

Outros esportes surgiram em outras partes do Império Britânico na mesma época que o rúgbi e o futebol.

Na Austrália, na região de Melbourne, os colonos britânicos praticavam desde muito cedo um esporte com bolas, de origem local e também com influências do caid celta e dos football ingleses. O Australian Rules Football, ou simplesmente Futebol Australiano, teve suas regras escritas em 1859 e, apesar de não ser propriamente derivado do rúgbi, compartilha princípios semelhantes. Da mesma maneira, na Irlanda, o Futebol Gaélico – derivado diretamente do caid – foi formalizado em 1887, ainda que tardiamente. Assim como o futebol australiano, o futebol gaélico não deriva propriamente do rúgbi, mas tem aspectos e origens em comum.

Os esportes que, de fato, derivaram do rúgbi foram o Futebol Americano e o Futebol Canadense – os chamados Gridiron Football. O rúgbi chegou à América do Norte nos anos de 1860. Em 1865, uma partida entre alunos da Universidade de McGill, em Montreal, Canadá, e membros do exército britânico é tido como o marco introdutório do rúgbi no Canadá, segundo Collins. Em 1874, McGill disputou dois amistosos contra a Universidade de Harvard, de Boston, Estados Unidos, de que jogava segundo as regras do football association. Um foi realizado segundo as regras adotadas por McGill, o outro de acordo com as regras usadas por Harvard. Os estudantes de Boston preferiram posteriormente adotar as regras usadas por McGill, e em ambas as universidades as regras passaram a ser modificadas com inovações locais. Foram formalizados, assim, o futebol americano, em 1876, e o futebol canadense (chamado até hoje por muitos canadenses de rugby football), em 1884.

Referências bibliográficas:

COLLINS, Tony. A social history of the English Rugby Union. Abingdon: Routledge, 2009.

FRANCO JÚNIOR, Hilário. A Dança dos Deuses. Futebol, sociedade, cultura.  São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

 

Site oficial do SPAC Rugby - www.spacrugby.com.br

Site oficial do Niterói R.F.C. - www.niteroirugby.com.br

banner app

Mais Portal do Rugby

Newsletter

Cadastre seu e-mail em nosso site e receba nossas notícias e promoções

Copyright 2014 © Portal do Rugby. Todos os direitos reservados.