Foto:: FECORUGBY

ARTIGO COM VÍDEOS – A reestreia do Brasil no XV feminino, mais de 11 anos depois do histórico jogo contra a Holanda de 2008, terminou com derrota das Yaras diante da Colômbia por 28 x 07, em Medellín, com as Tucanes provando que a experiência maior prévia no XV fez a diferença.

O Brasil sofreu com a transição nova do sevens para o XV e ficou claro que o caminho ainda é longo e precisa de investimento na modalidade – especialmente a nível de clubes, para que o XV se torne algo cotidiano do rugby feminino nacional. O jogo prestou como termômetro para o trabalho do técnico Reuben Samuel até março de 2020, quando serão jogadas as inéditas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2020, com as brasileiras voltando a enfrentar as colombianas – além das argentinas.

O Brasil começou forte o jogo com Rafa marcando o histórico primeiro try brasileiro em test matches de XV feminino em corrida saindo do campo de defesa. Raquel converteu e as Yaras largavam com 7 x 0.

- Continua depois da publicidade -

 

Depois, no entanto, as Tucanas colombianas responderam com try de Laura Mejía na ponta, depois de bom jogo de fases das forwards colombianas. E a virada não tardou, com try de Carolina Naranjo furando a defesa na base do ruck, depois das colombianas já provarem superioridade no scrum.

 

 


O terceiro try da Colômbia saiu ainda na primeira etapa com Sharon Acevedo finalizando transição com qualidade do jogo de fases à linha, encontrando espaço na defesa brasileira. O jogo de busca por espaços foi todo favorável às donas da casa. 17 x 07 no intervalo. Tucanes foram dominantes no line e no scrum, além de forçar penais da defesa brasileira no jogo de base.


O segundo tempo foi todo colombiano, com as Tucanes ampliando com penal de Lopera e logo o quarto try foi criado, com Leidy García. Ainda houve mais um penal chutado por Lopera, abrindo 28 x 07 sem espaços para a virada brasileira.


O jogo caiu de intensidade na reta final, com os dois times perdendo rendimento físico. No fim, o Brasil ainda teve uma última chance de try com infiltração de Izzy, mas o lance foi anulado por knock-on.

Números finais do histórico primeiro jogo entre Brasil e Colômbia: 28 x 07 para as Tucanes. Agora é esperar pelo calendário de XV feminino a ser informado pela CBRu e aguardar a confirmação da tabela do Sul-Americano de março.

28versus copiar07

Colômbia 28 x 07 Brasil, em Medellín

Colômbia

Tries: Mejía, Naranjo, Acevedo e Garcia

Conversões: Lopera (1)

Penais: Lopera (2)

15 Laura Diosa Mejía, 14 Leidy Garcia, 13 Sharon Acevedo, 12 Catalina Arango, 11 Mizzy Arzuaga, 10 Camila Lopera, 9 Solangie Delgado, 8 Nicole Acevedo (c), 7 Catalina Arango, 6 Manuella Marroquin, 5 Carolina Naranjo, 4 Angela Lozano, 3 Aura Cadavid, 2 Natalia Barajas, 1 Alejandra Bettancourt;

Suplentes: 16 Maira Martinez, 17 Camila Cardona, 18 Gloribeth Campos, 19 Ana Maria Gonzalez, 20 Yina Quinteros, 21 Yenny Ramirez, 22 Isabel Romero, 23 Valentina Alvarez;

Brasil

Try: Rafa

Conversão: Raquel (1)

15 Leila Silva, 14 Rúbia Domingos, 13 Mariana “Mari” Nicolau, 12 Rafaela “Rafa” Zenellato, 11 Isadora “Isa” Lopes, 10 Raquel Kochhann, 9 Isadora “Izzy” Cerullo, 8 Franciele “Fran” Martins, 7 Íris Coluna (c), 6 Milena “Mille” Mariano, 5 Sofia Arantes, 4 Marcelle Souza, 3 Camila Gonçalves, 2 Andressa Contreras, 1 Franciny “Bu” Amaral;

Suplentes: 16 Addalucia “Adda” Nascimento, 17 Suzana Rodrigues, 18 Ana Paula “Mima” Lacosqui, 19 Dayana Dakar, 20 Tabata “Colors” Coutinho, 21 Letícia Medeiros, 22 Marina “Tchoba” Fioravanti, 23 Thalita “Tchubata” Costa;