Brasil derrotou o Japão no Rio 2016 no feminino. Foto: Luiz Pires/Fotojump

Tóquio será a sede dos Jogos Olímpicos de 2020 e nesta semana foi oficialmente confirmado o sistema de disputas pelas 11 vagas abertas em cada torneio olímpico de rugby sevens.

São 11 vagas, é claro, porque o Japão já teve participação assegurada por ser o país sede. Os torneios feminino e masculino terão a mesma distribuição de vagas e o mesmo calendário para seus torneios de Pré Olímpico.

A distribuição de vagas é a seguinte:

  • 1 vaga para o país sede (Japão);
  • 4 melhores seleções da Série Mundial de Sevens 2018-19, a serem conhecidas até o primeiro fim de semana de junho de 2019 (clique aqui para ver o calendário dos circuitos masculino e feminino);
    • Estas serão as primeiras seleções classificadas, que deixarão de concorrer pelas vagas continentais;
  • 1 seleção da América do Sul (a ser conhecida em junho de 2019, em data a ser definida);
  • 1 seleção da América do Norte (a ser definida entre junho e dezembro de 2019);
  • 1 seleção da Europa (a ser definida entre junho e setembro de 2019);
  • 1 seleção da África (a ser definida entre junho e dezembro de 2019);
  • 1 seleção da Ásia (a ser definida entre junho e dezembro de 2019);
  • 1 seleção da Oceania (a ser definida entre junho e dezembro de 2019);
  • E, por fim, 1 vaga a ser disputada entre todos os continentes em junho de 2020 no Torneio Pré Olímpico Mundial (local e datas a serem definidos);

Portanto, cada continente tem assegurada 1 vaga em cada torneio (masculino e feminino). O total de vagas dependerá do sucesso de cada continente na Série Mundial de Sevens 2018-19 e no Pré Olímpico Mundial.

- Continua depois da publicidade -

O Brasil concorrerá apenas pelas vagas disponíveis para América do Sul e, eventualmente, Pré Olímpico Mundial, já que não é seleção fixa de Série Mundial de Sevens em nenhuma categoria.

São seleções fixas da Série Mundial de Sevens para 2018-19:

  • Masculino (15 seleções): África do Sul, Fiji, Nova Zelândia, Austrália, Inglaterra*, Estados Unidos, Argentina, Argentina, Quênia, Canadá, Samoa, Espanha, Escócia*, França, Gales* e Japão**;
    • *Inglaterra, Gales e Escócia não participam dos Jogos Olímpicos, sendo representadas pela seleção combinada da Grã Bretanha. A vaga será britânica caso um desses países encerre a Série Mundial entre os 4 primeiros;
    • **Japão não joga por vaga pois já está classificado;
  • Feminino (11 seleções): Austrália, Nova Zelândia, França, Canadá, Estados Unidos, Rússia, Espanha, Inglaterra*, Fiji, Irlanda e China;
    • *Caso a Inglaterra termine a Série Mundial entre os 4 primeiros colocados a vaga olímpica será da seleção combinada da Grã Bretanha;

 

Portanto, o que o Brasil deve fazer para chegar lá?

Feminino – são 2 chances de ir para os Jogos Olímpicos:

  • Vencer o Pré Olímpico da América do Sul em junho de 2019 ou;
  • Se não vencer na América do Sul, vencer o Pré Olímpico Mundial em junho de 2020;

Masculino – são também as mesmas 2 chances de ir para os Jogos Olímpicos:

  • Vencer o Pré Olímpico da América do Sul em junho de 2019 ou;
  • Se não vencer na América do Sul, vencer o Pré Olímpico Mundial em junho de 2020;

Além disso, no masculino, é importante torcer para que a Argentina termine entre os 4 primeiros colocados da Série Mundial de Sevens 2018-19, para que os argentinos não joguem o Pré Olímpico da América do Sul.