World Rugby anuncia a distribuição de vagas para a Copa do Mundo de 2019!

O World Rugby anunciou hoje como funcionarão as eliminatórias para a Copa do Mundo de 2019. Confirmando que a competição seguirá co 20 participantes, a entidade anunciou mudanças significativas no sistema de classificação que, no entanto, poderão produzir justamente os mesmos classificados de 2015.

 

Para a Copa do Mundo de 2015, a divisão de vagas fora: doze primeiros colocados da Copa do Mundo de 2011, duas vagas para a Europa, duas para as Américas, uma para a Oceania, uma para a Ásia, uma para a África e uma Repescagem Mundial.

 

Para 2019, com a mudança nos doze primeiros colocados da Copa do Mundo de 2015, que já estão garantidos antecipadamente em 2019, o World Rugby dividiu da seguinte maneira as vagas:

  • – Doze primeiros colocados da Copa do Mundo de 2015 (Nova Zelândia, Austrália, África do Sul, Argentina, Irlanda, Escócia, Gales, França, Inglaterra, Japão, Itália e Geórgia);
  • – Duas vagas para as Américas, sendo uma para o vencedor de Estados Unidos x Canadá e uma para o vencedor de uma partida entre o perdedor de Estados Unidos x Canadá e o melhor sul-americano;
  • – Duas vagas para a Oceania;
  • – Uma vaga para a Europa;
  • – Uma vaga para a África;
  • – Uma repescagem entre o terceira da Oceania e o segunda da Europa;
  • – Uma vaga para a Repescagem Mundial, envolvendo quatro equipes de quatro continentes distintos;

 

Apesar da Copa do Mundo ser no Japão, não haverá nenhuma vaga direta para a Ásia. O melhor time do continente terá que enfrentar o quarto time da Oceania por uma vaga na Repescagem Mundial. Os perdedores dos confrontos Oceania x Europa e América do Sul x América do Norte também terão vaga na Repescagem Mundial, assim como o segundo melhor time da África.

 

Como o Brasil poderá se classificar?

Para os Tupis, o caminho não mudou. O Brasil jogará pela segunda vaga das Américas e, para tal, deverá superar seus rivais sul-americanos (Uruguai, Chile, Paraguai e, eventualmente, algum outro) e Estados Unidos ou Canadá. Caso o Brasil supere seus oponentes sul-americanos para perca para os norte-americanos, terá uma segunda chance encarando a Repescagem Mundial, tendo pela frente equipes provavelmente do nível de Rússia/Portugal/Espanha, Coreia do Sul/Hong Kong ou Quênia/Zimbábue/Namíbia.

Comentários