O Brasil enfrentará nesse sábado a Romênia. Mas, o que você sabe sobre o rugby romeno? Localizada no Leste Europeu, com 19 milhões de habitantes, a Romênia tem uma longa e vitoriosa história no rugby. Sua seleção, apelidada de Stejarii (“Carvalhos”, ou “Oaks”, em inglês, em alusão à árvore que é símbolo do país), é uma das mais tradicionais da bola oval – famosa por seus forwards fortes e um jogo canalizado para um contato físico sempre intenso.

Até meados do século XIX, a Romênia fazia parte do Império Otomano, vasto império muçulmano comandado pelos turcos. Após travar uma longa sequência de guerras, a Romênia se viu livre do domínio turco em 1878 e sua monarquia desde cedo teve forte influência francesa, com muitos jovens romenos indo estudar na França.

Com isso, não tardou para o rugby se desenvolver no país, com o Campeonato Romeno de Rugby sendo iniciado na capital Bucareste em 1914. A seleção romena foi formada nos anos 20, tendo participado dos Jogos Olímpicos de 1924, em Paris. O rugby XV foi modalidade olímpica até aquele ano, com 3 times participando: EUA, França e Romênia. Os romenos perderam seus dois jogos, mas o entusiasmo com o rugby só cresceu nos anos seguintes.


Em 1932, os britânicos excluíram a França do Five Nations (atual Six Nations), fazendo com que os franceses se voltassem para a Europa Continental, aumentando seu intercâmbio com Itália, Romênia, Alemanha.

- Continua depois da publicidade -

Com a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), a monarquia caiu na Romênia, com a Alemanha nazista invadindo o país. A expulsão dos nazistas veio pelas forças soviéticas e a Romênia se tornou uma república comunista. Naquela época, os países do bloco comunista investiam sobretudo em esportes olímpicos, mas o rugby já desfrutava de popularidade na Romênia, por sua história anterior, e por isso o país seguiu valorizando a modalidade.

Mais que isso, com apoio do governo, a Romênia se tornou uma verdadeira potência da modalidade, mas jamais foi convidada a entrar para o Five Nations (Six Nations). O rugby na época proibia o profissionalismo no mundo todo e o rugby romeno seguia tal determinação. Porém, os britânicos sempre colocaram em dúvida essa condição, mantendo os romenos de fora de sua grande competição.

Apesar disso, a Romênia enfrentou com frequência grandes seleções do mundo entre os anos 50 e os anos 80, sempre sendo competitiva. Contra os britânicos, a Romênia colecionou vitórias sobre Gales (1983 e o histórico triunfo em Cardiff em 1988) e Escócia (1984 e 1991). Além disso, os romenos conseguiram um épico empate em 10 x 10 contra os Junior All Blacks em 1975 em solo neozelandês, chocando o mundo na época. Depois, em 1981, os All Blacks principais venceram os romenos por somente 14 x 06 em Bucareste, com estádio lotado e dois tries romenos sendo invalidados.

Mas a grande rival da Romênia sempre foi a França, a ponto de em 1955 os romenos baterem recorde mundial de público, com 95.000 pessoas assistindo à derrota da Romênia para a seleção principal da França por somente 16 x 15 em Bucareste. Romenos e franceses disputavam todo ano o título do Troféu da FIRA (o atual Rugby Europe Championship). Como estímulo ao rugby da Europa Continental, a França jogou o Troféu da FIRA até 1997 em paralelo ao Five Nations, elevando o nível do torneio europeu. A França venceu 25 vezes o torneio, enquanto a Romênia obteve 5 títulos, batendo os franceses em 1969, 1975, 1977, 1981 e 1983. Somente em 1997 a Itália foi campeã. Até então, os italianos eram a distante 3ª força do torneio, sensivelmente abaixo da Romênia. Em 1990, a Romênia ainda teve uma famosa vitória sobre a França em solo francês por 12 x 06.

Apesar de tamanho sucesso, o rugby romeno entrou em declínio assim que chegou ao fim o regime comunista (que acabou em 1989). O rugby romeno perdeu o apoio do governo e os números de praticamente caíram muito, assim como o financiamento da modalidade, impedindo que a Romênia seguisse com a mesma força durante a era profissional do rugby. Sem a França, a Romênia ainda voltou a vencer o título do “Six Nations B” em 2000, 2002, 2006 e 2010, mas desde então a força da sua rival atual, a Geórgia, vem dificultando a vida dos romenos na competição.

Mesmo assim, a Romênia participou simplesmente de todas as Copas do Mundo entre 1987 e 2015, mas sempre conquistando no máximo 1 vitória na fase de grupos. Em 1987, os romenos venceram o Zimbábue (21 x 20), enquanto em 1991 a vitória foi sobre ninguém menos que Fiji (17 x 15) – e se não fosse uma derrota por 19 x 11 para o Canadá os romenos teriam ido às quartas de final.

Em 1995, a Romênia encarou sua primeira Copa do Mundo sem vitórias, mas voltou a celebrar um triunfo em 1999 ao bater os Estados Unidos por 28 x 25. Depois, em 2003, os romenos superaram a Namíbia, 37 x 07, e em 2007 venceram o debutante Portugal, 14 x 10. Em 2011 a Romênia voltou a passar em branco, mas em 2015 derrotou o Canadá por 17 x 15 – além de levantar a cabeça com uma derrota de apenas 32 x 22 para a Itália.

Mas o inferno deu as caras para o rugby romeno nos últimos anos. Em 2018, a Romênia perdeu para a Espanha e só conseguiu classificação para a Copa do Mundo de 2019 porque os espanhóis perderam jogo decisivo para a Bélgica, em partida polêmica que teve árbitro romeno e muita reclamação espanhola. No entanto, a classificação foi anulada, porque a Romênia utilizou um atleta irregular ao longo das eliminatórias e, pela primeira vez em sua história, o torcedor romeno verá a Copa do Mundo de Rugby sem sua seleção.

Sem o Mundial, a Romênia veio à América do Sul em busca de um recomeço. Porém, o rugby por lá tem suas perspectivas. A Federação Romena de Rugby tem seu próprio estádio, o Arco do Triunfo, específico para rugby, onde o Brasil jogou em 2017, e o campeonato local, conhecido como Super Liga, é totalmente profissional, com 8 clubes, dente eles os 2 maiores clubes do futebol romeno, Steaua e Dinamo de Bucareste. A despeito disso, a seleção juvenil do país vem constantemente terminando o Europeu M20 abaixo de Portugal e Espanha e muito distante da Geórgia, o que lança dúvidas sobre o futuro do rugby romeno.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Nossa brisa informativa misturando Dia dos Namorados com muita #culturaderugby e o próximo jogo dos Tupis XD #fanaticosporrugby

Uma publicação compartilhada por Portal Do Rugby (@portaldorugby) em