Foto: EELS

ARTIGO COM VÍDEOS – O Rugby League (o rugby de 13 jogadores) australiano teve rodada importante neste fim de semana, com jogo pela liderança entre Paramata Eels e Canberra Raiders, encerrado em dramática prorrogação.

Os Eels jogavam em casa e dominaram o placar até a reta final, quando, aos 67′, o try de Maika Sivo parecia lhes assegurar o triunfo. Porém, os Raiders reagiram no fim com dois tries de tirar o fôlego de Nicoll-Klokstad, empatando o embate, que foi à prorrogação. A batalha de drop goal tomou a cena e, com 7 minutos dentro do tempo extra, Gutherson chutou o ponto da vitória dos Eels por 25 x 24.

A vitória foi crucial para os Eels porque o vice líder Penrith Panthers também venceu, passando pelo South Sydney Rabbitohs por 20 x 12, em jogo decidido no fim com try precioso aos 77′ de Nathan Cleary.


Correndo atrás dos Eels, o Sydney Roosters fez sua parte vencendo o clássico de Sydney contra o St. George Illawarra Dragons por 26 x 12, com show do veterano Brett Morris, que correu para hat-trick (3 tries).

- Continua depois da publicidade -

Na perseguição do líder também está o Melbourne Storm, que recebeu o New Zealand Warriors e venceu por avassaladores 50 x 06, com direito a 9 tries do Storm, que incluíram hat-trick de Vunivalu, 2 tries de Momirovski e outros 2 de Papenhuyzen.

Dentro do G8, quem se deu mal foram Newcastle Knights e Manly Sea Eagles. O Knights caiu diante do North Queensland Cowboys por 32 x 20, com direito a um primeiro tempo implacável de 4 tries para os Cowboys, ao passo que o Sea Eagles perdeu para o Cronulla Sharks por 40 x 22, com Dugan, Goodwin, Katoa e Brailey liquidando o embate na segunda etapa.


Os resultados foram bons para o Wests Tigers, que se impôs sobre o lanterna Canterbury Bulldogs em dérbi do Oeste de Sydney para se firmar no G8, com imponentes 34 x 06. Talau e Nofoaluma marcaram 2 tries cada.

Por fim, em dérbi de Queensland, o gigante Brisbane Broncos seguiu se afundando, agora com derrota por 30 x 12 para o Gold Coast Titans, que respirou na tabela. Foi um primeiro tempo perfeito dos Titans, com 4 tries não respondidos, segurando a reação dos Broncos no fim.

NRL – National Rugby League – Campeonato Australiano de Rugby League

Panthers 20 x 12 Rabbitohs

Storm 50 x 06 Warriors

Roosters 26 x 12 Dragons

Cowboys 32 x 20 Knights

Broncos 12 x 30 Titans

Eels 25 x 24 Raiders

Sea Eagles 22 x 40 Sharks

Bulldogs 06 x 34 Wests Tigers

 ClubeCidadeJogosPontos
parramatta eels 2014Parramatta EelsSydney712
penrith panthers logo novoPenrith PanthersSydney711
Sydney RoostersSydney710
Melbourne StormMelbourne710
NewcastleKnights copyNewcastle KnightsNewcastle79
Wests TigersSydney78
Canberra Raiders copy copyCanberra RaidersCanberra78
Manly-Warringah Sea Eagles logo.svg copy copy copyManly-Warringah Sea EaglesSydney78
South Sydney Rabbitohs logo copy copySouth Sydney RabbitohsSydney76
North Queensland Cowboys copy copy copyNorth Queensland CowboysTownsville76
Cronulla-Sutherland Sharks logo.svg copy copyCronulla-Sutherland SharksSydney76
St George Illawarra Dragons logo copySt. George Illawarra DragonsWollongong/Sydney74
Gold Coast Titans copyGold Coast TitansGold Coast74
New Zealand WarriorsAuckland (Nova Zelândia)74
Brisbane Broncos logo.svg copy copyBrisbane BroncosBrisbane74
Canterbury-Bankstown Bulldogs logo copy copy copyCanterbury-Bankstown BulldogsSydney72
- Vitória = 2 pontos;
- Empate = 1 pontos;
- Derrota = 0 pontos;
- 1º ao 8º lugares = classificação às Quartas de Final (1º ao 4º vão ao Qualificatório, valendo vaga na Semifinal, e 5º ao 8º jogam pelo Eliminatório, que vale vaga nas Repescagens contra os perdedores do Qualificatório)

 

O que é o Rugby League

O Rugby League é uma modalidade do rugby que nasceu em 1895 no Norte da Inglaterra. Na época, o rugby (o Rugby Union) proibia o profissionalismo no mundo todo, mas um grupo de clubes ingleses se opôs à proibição de pagamentos a jogadores e romperam com a federação inglesa, formando uma liga independente. A fim de mudar a dinâmica do jogo e torná-lo mais aberto, a liga passou a promover mudanças nas suas regras, criando uma modalidade distinta, jogada com regras diferentes. O League, no entanto, se difundiu fortemente apenas no Norte da Inglaterra e na Austrália, onde é mais popular que o Union. O esporte ganhou popularidade ainda na Papua Nova Guiné (país da Oceania onde é o League e não o Union quem reina) e, em menor dimensão, na Nova Zelândia e em algumas partes da França.

As entidades que organizam o Rugby League no mundo não têm ligações com as entidades do Rugby Union. A federação internacional do League é a International Rugby League (IRL) – Federação Internacional de Rugby League. No Brasil, a entidade que organiza o League é a CBRL – Confederação Brasileira de Rugby League.

Quais as principais diferenças do League para o Union?

  • O League é jogado por 2 times de 13 jogadores cada, com 4 reservas, sendo que um atleta que foi substituído poderá retornar a campo. A modalidade reduzida principal é o Nines, de 9 jogadores de cada lado;
  • No League, o try vale 4 pontos, a conversão 2, o penal 2 e o drop goal (chamado também de field goal) 1 ponto;
  • Não existem rucks. Quando um atleta sofre o tackle, é seguro e vai ao chão o jogo é parado. O atleta com a bola é liberado, rola a bola com os pés para trás e o jogo é reiniciado. É o chamado “play the ball”;
  • Cada equipe tem direito a realizar 5 vezes o play the ball e, na sexta vez que um atleta é derrubado, a posse da bola troca de equipe. É a chamada “Regra dos 6 tackles”. Com isso, é comum após o 5º tackle a equipe com a posse da bola chutá-la;
  • Se a equipe defensora tocar na bola entre um play the ball e outro a contagem de tackles é zerada. Quando uma equipe com a posse de bola comete um erro de manuseio e a bola troca de posse o primeiro tackle é considerado “tackle zero” e a contagem se inicia apenas após ele;
  • Não há lineouts. A reposição da bola que saiu pela lateral é feita a partir de um scrum. Penais chutados para a lateral são cobrados com free kick;
  • Na prática, os scrums não possuem disputas, pois a equipe que introduz a bola na formação pode introduzi-la diretamente no pé de sua segunda linha. Porém, a equipe sem a bola pode tentar empurrar a formação para roubar a bola (o que é raro de acontecer);
  • Não existe o mark. Com isso, chutes no campo ofensivo são frequentes;
  • Um chute dado atrás da linha de 40 metros do campo de defesa que saia pela lateral após a linha de 20 metros do campo ofensivo é chamado de “40/20” e premia a equipe chutadora com a manutenção da posse da bola e com a contagem de tackles zerada;
  • A numeração dos atletas no League muda. Os números mais altos são para os forwards e os números menos são para a linha. O fullback é o camisa 1 e o pilar o 13, por exemplo;