Após ter seu contrato rescindido pela Rugby Australia, Israel Folau foi convidado por Tonga a defender o país, pois o jogador tem família de Tonga. O técnico de Tonga, Toutai Kefu, ressalvou que ainda é preciso o atleta decidir seu futuro no esporte, isto é, para qual clube jogará, caso ainda siga no rugby. Folau, de 30 anos, não poderá mais jogar o Super Rugby e seu futuro ainda não foi definido.

Mas, como seria possível Folau trocar de seleção? No rugby, um atleta não pode trocar de uma seleção para a outra instantaneamente, ainda mais após ter jogado 62 partidas pela Austrália. Porém, os Jogos Olímpicos oferecem a brecha.

  • De acordo com as regras do Comitê Olímpico Internacional, qualquer atleta pode optar por trocar de país, caso seja cidadão do país que pretenda defender;
  • Pelas regras olímpicas, o atletas não pode ter defendido sua antiga seleção nos últimos 3 anos em jogos oficiais;
  • Com isso, atentando os requisitos, um jogador pode defender sua nova seleção no sevens em um torneio que seja olímpico, isto é, Jogos Olímpicos ou um qualificatório pré olímpico;
  • Depois de defender uma nova seleção em um torneio olímpico, o atleta pode defender esse país em qualquer modalidade de rugby, incluindo o rugby de 15 jogadores, abrindo-se, assim, uma brecha para a troca de seleção no XV;

Assim, Folau poderia defender a seleção de Tonga no sevens no Pré Olímpico da Oceania a partir de 25 de novembro de 2021. Como o Pré Olímpico na Oceania para os Jogos Olímpicos de 2024 deverá ocorrer somente em 2023, Folau teria pouco tempo para trocar do sevens para o XV a tempo de jogar a Copa do Mundo de 2023, mas seria possível.

 

- Continua depois da publicidade -