SPAC dominante nos anos 60 e 70. Foto: Orjan Olsen

O Campeonato Brasileiro de Rugby XV viveu nos últimos anos uma incrível alternância de campeões co 4 campeões diferentes nos últimos 4 anos (Curitiba 2016, Jacareí 2017, Poli 2018 e São José 2019). A única vez antes que tal alternância ocorreu foi na virada do milênio, quando entre 1998 e 2002 foram 5 campeões diferentes (Rio Branco 1998, SPAC 1999, Desterro 2000, Bandeirantes 2001 e São José 2002). A história do Campeonato Brasileiro é, na verdade, de grandes hegemonias, com São José, SPAC e Alphaville tendo estabelecido longas sequências de títulos.

Vamos às sequências, então! Quem enfileirou duas ou mais taças ao longo da história?

 

10 –  Niterói (1983-1984) e Alphaville (1982-1983): Bicampeões (quase)

- Continua depois da publicidade -

Começamos com dois clubes de tiveram um quase bicampeonato nos anos 80. O finado Alphaville e o Niterói foram os donos dos anos 80 no país em termos de títulos. O Alpha foi campeão em 1982 e em 1983 ocorreu algo que era comum no rugby mundial: a divisão de taça. O rugby não praticava critérios de desempate e mesmo o Five Nations (atual Six Nations) europeu dividia títulos quando dois times acabavam com a mesma pontuação em primeiro lugar. Foi o que se passou em 1983 no Brasileiro, com o Alphaville dividindo o título com o Niterói, após ambos terem 7 vitórias e apenas 1 derrota cada. Sem datas para um jogo desempate, a ABR declarou ambos campeões.

Em 1984, o Niterói falou mais alto e se sagrou campeão, fazendo com que aquele título dividido de 1983 valesse como parte do bicampeonato para Alphaville e também para Niterói. Para estragar a festa fluminense, o Alpha foi campeão em 1985, ao passo que o Niterói triunfou em 1986. Grande rivalidade.

 

9 – São Paulo Barbarians (1970-1971): Bicampeão

O bi de 1982-83 foi o primeiro do Alphaville, mas a história do clube é anterior, vindo do velho São Paulo Barbarians (que não é o atual SP Barbarians!), bicampeão nacional em 1970 e 1971, quando quebrou longa hegemonia do SPAC. Os Barbarians seguiram com seus estandartes até 1978, tendo seu projeto dado origem em 1979 à seção de rugby do Alphaville Tênis Clube.

 

8 – Alphaville (1991-1992): Bicampeão

O fim da dinastia. O Alphaville havia sido o clube de mais conquistas nos anos 80 e abriu os anos 90 também vencendo, conquistando os títulos de 1991 e 1992 do Campeonato Brasileiro. Tais anos acabaram sendo os últimos da dinastia do Urso, que não voltaria mais a ser campeão nacional, já distanciado do clube social que lhe dava nome. Os anos seguintes seriam de ascensão de Rio Branco, Pasteur e Bandeirantes.

 

7 – Rio Branco (1997-1998): Bicampeão

O Rio Branco fora campeão brasileiro em 1993, mas foi em 1997 e 1998 que os Pelicanos voaram alto para se tornarem pela primeira vez campeões em dois anos seguidos, levando o clube da capital paulista a seu auge, recheado de atletas da seleção.

 

6 – São José (2007-2008): Bicampeão

Os anos de 2007 e 2008 marcavam a volta do São José ao topo do rugby nacional, após Desterro e Rio Branco terem quebrado a série de títulos joseenses. Foi a primeira “volta por cima” do Sanja, que é o maior campeão do século XXI.

 

5 – Alphaville (1987-1989): Tricampeão

O trinca de títulos do Alphaville ocorreu em momento turbulento do rugby brasileiro, no qual a troca de comando bagunçava o rugby de clubes do país, que estava sólido até 1986. A bagunça foi tão grande naquele momento que até lista de campeões errada já foi divulgada (e que circula até hoje). Mas, o que não se discute é que o Alphaville ainda era forte demais. Depois de rivalizar com o Alpha, o Niterói perdeu um pouco de fôlego, mas foi o responsável em 1990 por colocar fim à sequência do Alpha.

 

4 – São José (2002-2004): Tricampeão

Tudo começou com o tricampeonato de 2002, 2003 e 2004 para o São José. O trabalho pesado nas categorias de base nos anos 90 fizera com que o Vale do Paraíba colhesse os frutos merecidos na entrada do novo milênio. De “outsider” a protagonista, o Sanja foi avassalador no começo dos anos 2000, recheando as seleções brasileiras adulta e juvenil de grandes nome.

 

3 – São José (2010-2012): Tricampeão

Após perder o título para o Bandeirantes em 2009, o São José recuperou sua hegemonia nacional, faturando mais uma trinca de títulos entre 2010 e 2012, no início da era CBRu. A sequência completou uma impressionante marca de 8 títulos brasileiros em 11 anos para o clube, que gritava em alto e bom som “os caipira é foda”!

 

2 – SPAC (1974-1978): Pentacampeão

Se as décadas de 2000 e 2010 foram do São José, os anos 60 e 70 foram dos SPAC, o decano do rugby nacional, sempre com forte presença de britânicos e descendentes, mas progressivamente dando espaço também para brasileiros. O domínio do Leão durou até 1978, quando novas forças começaram a emergir: mais precisamente, Medicina, Alphaville e Niterói. De todo modo, de 74 a 78 o SPAC viveu sua segunda era dourada.

 

1 – SPAC (1964-1969): Hexacampeão

A primeira era dourada do SPAC é a inicial. O Campeonato Brasileiro foi criado em 1964 e o SPAC só foi perder o título em 1970. Eram competições com poucos clubes, é verdade, mas times como o SPRFC, da colônia japonesa, e o Aliança, que contava com franceses, eram fortes, com jogadores que conheciam bem o esporte. O hexa do clube decano até hoje não foi igualado por ninguém.

 

Lista de campeões

AnoCampeãoCidade  
1964SPACSão Paulo (SP)
1965SPACSão Paulo (SP)
1966SPACSão Paulo (SP)
1967SPACSão Paulo (SP)
1968SPACSão Paulo (SP)
1969SPACSão Paulo (SP)
1970São Paulo BarbariansSão Paulo (SP)
1971São Paulo BarbariansSão Paulo (SP)
1972FUPESão Paulo (SP)
1973MedicinaSão Paulo (SP)
1974SPACSão Paulo (SP)
1975SPACSão Paulo (SP)
1976*SPAC São Paulo (SP)NiteróiNiterói (RJ)
1977SPACSão Paulo (SP)
1978SPACSão Paulo (SP)
1979NiteróiNiterói (RJ)
1980AlphavilleBarueri (SP)
1981MedicinaSão Paulo (SP)
1982AlphavilleBarueri (SP)
1983*NiteróiNiterói (RJ)AlphavilleBarueri (SP)
1984NiteróiNiterói (RJ)
1985AlphavilleBarueri (SP)
1986NiteróiNiterói (RJ)
1987**AlphavilleBarueri (SP)PasteurSão Paulo (SP)
1988**AlphavilleBarueri (SP)BandeirantesSão Paulo (SP)
1989AlphavilleBarueri (SP)
1990NiteróiNiterói (RJ)
1991AlphavilleBarueri (SP)
1992AlphavilleBarueri (SP)
1993Rio BrancoSão Paulo (SP)
1994PasteurSão Paulo (SP)
1995BandeirantesSão Paulo (SP)
1996DesterroFlorianópolis (SC)
1997Rio BrancoSão Paulo (SP)
1998Rio BrancoSão Paulo (SP)
1999SPACSão Paulo (SP)
2000DesterroFlorianópolis (SC)
2001BandeirantesSão Paulo (SP)
2002São JoséSão José dos Campos (SP)
2003São JoséSão José dos Campos (SP)
2004São JoséSão José dos Campos (SP)
2005DesterroFlorianópolis (SC)
2006Rio BrancoSão Paulo (SP)
2007São JoséSão José dos Campos (SP)
2008São JoséSão José dos Campos (SP)
2009BandeirantesSão Paulo (SP)
2010São JoséSão José dos Campos (SP)
2011São JoséSão José dos Campos (SP)
2012São JoséSão José dos Campos (SP)
2013SPACSão Paulo (SP)
2014CuritibaCuritiba (PR)
2015São JoséSão José dos Campos (SP)
2016CuritibaCuritiba (PR)
2017JacareíJacareí (SP)
2018PoliSão Paulo (SP)
2019São JoséSão José dos Campos (SP)
2020Cancelado
Ranking de campeõesCidade/EstadoTítulos
SPACSão Paulo (SP)13
São JoséSão José dos Campos (SP)10
Alphaville Barueri (SP)9
NiteróiNiterói (RJ)6
BandeirantesSão Paulo (SP)4
Rio BrancoSão Paulo (SP)4
DesterroFlorianópolis (SC)3
CuritibaCuritiba (PR)2
MedicinaSão Paulo (SP)2
PasteurSão Paulo (SP)2
São Paulo BarbariansSão Paulo (SP)2
JacareíJacareí (SP)1
PoliSão Paulo (SP)1
FUPESão Paulo (SP)1
Itálico = equipe inativa/extinta
*Títulos divididos
**Divergência