Foto; Bruno Ruas @ruasmidia

O comitê do World Rugby anunciou um novo protocolo para a aplicação das Leis 14 e 15, a ser aplicado a partir de julho de 2020. Trata-se do protocolo que os árbitros usarão para conduzirem a entrada e saída dos rucks.

A partir de julho, a dinâmica será a seguinte:

  • Tacleador (Lei 14): 14.5 – precisa imediatamente liberar a bola e o portador da bola tacleado após ambos irem ao chão e precisa imediatamente sair do atleta tacleado ou se levantar;
  • Portador da bola (Lei 14): 14.2 – Ser levado ao chão significa que o portador da bola está deitado, sentado ou ao menos com um joelho no chão, ou ainda em cima de outro atleta que está no chão. Os tacleadores precisam permitir que o tacleado libere a bola ou a coloque em jogo;
  • Primeiro jogador que chega ao ruck (Lei 15): 15.11 – Uma vez que o ruck é formado, nenhum atleta pode manusear a bola a menos que o atleta já estivesse manuseando-a antes da formação do ruck e permaneça de pé.  15.12 – Os jogadores precisam buscar ficarem de pé ao longo do ruck;
  • Outros jogadores (Lei 15): 5 – Um jogador que esteja entrando no ruck precisa estar de pé e entrar por trás da linha de impedimento. 6 – Um jogador pode entrar ao lado, mas nunca à frente do último jogador do ruck. 10 – A posse da bola pode ser ganha sendo puxada com os pés ou se empurrando o time oponente para longe da bola;

(tradução livre)

Clique aqui para ver o procedimento em vídeos.

- Continua depois da publicidade -

O grupo especializado independente que produziu o novo protocolo concluiu que não há necessidade de se alterar as Leis e que o necessário seria a produção de um protocolo reforçando as leis atuais.

Participaram do grupo:

  • Treinadores: Richie Gray, Russell Earnshaw, Ian Foster, Joe Schmidt
  • Árbitros: Wayne Barnes, Jaco Peyper
  • Atletas: Victor Vito, Josh Beaumont
  • Pesquisadores médicos: Eanna Falvey, Ross Tucker
  • Equipe do World Rugby: Mark Harrington, Rhys Jones

Para conferir o anúncio oficial, clique aqui.