Foto: FER

ARTIGO COM VÍDEOS – Os Tupis voltam a campo nesse sábado com um grande desafio: Brasil contra Espanha, o primeiro dos amistosos de meio de ano. Esta será a primeira vez que os Leões espanhóis estarão no Brasil, com o jogo pegando foto no Estádio José Liberatti, em Osasco, às 19h30. A partida será exibida pela ESPN2 ao vivo e as entradas estão sendo vendidas online (clique aqui).

O jogo será o segundo na história entre Tupis e Leões, o primeiro após o duelo que rolou em novembro de 2017 em solo espanhol, vencido pelos ibéricos por contundentes 67 x 28. Naquela oportunidade, a Seleção Brasileira foi dominada pelos espanhóis durante boa parte do jogo, reagindo no fim com uma bela sequência de tries, com o jogo de mãos brasileiro encaixando. A Espanha bateu na porta naquela temporada (2017-18) de ir à Copa do Mundo, vencendo a Romênia e a Rússia. Mas, os Leões caíram no jogo decisivo diante da Bélgica, em partida de arbitragem polêmica, e ainda perderam pontos na classificação por uso de atletas irregulares, sendo privados do sonho de retornarem ao Mundial (a Espanha jogou uma vez a Copa do Mundo, no já distante ano de 1999).

No último Rugby Europe Championship (o “Six Nations B”), a Espanha alcançou o vice campeonato, vencendo a Rússia, que está indo à Copa do Mundo (16 x 14), a Romênia (21 x 18), a Bélgica (47 x 09) e a Alemanha (33 x 10), perdendo somente para a poderosa Geórgia (24 x 10). Os resultados elevaram os Leões ao 19º lugar do Ranking Mundial.

- Continua depois da publicidade -

O Brasil, evidentemente, também cresceu no Ranking, indo ao inédito 24º lugar por conta de 2 vitórias em casa no Americas Rugby Championship, contra Chile (15 x 10) e Canadá (18 x 10). As derrotas fora de casa para os Estados Unidos (por somente 33 x 28, no Texas) e Uruguai (42 x 20, mas com bom desempenho) ainda geram confiança nos Tupis para encarar um adversário do nível espanhol (que está abaixo de EUA e Uruguai no Ranking, mas acima do Canadá). No entanto, o Sul-Americano não saiu como o esperado para os Tupis, que se viram superados em casa – no mesmo estádio de Osasco – pelo time de desenvolvimento do Uruguai, gerando a necessidade de uma resposta em desempenho contra os Leões.

A Espanha tem um time bastante modificado e mais jovem com relação ao que enfrentou o Brasil em 2017. Simplesmente os 15 titulares todos são diferentes, com o técnico espanhol Santiago Santos apostando na renovação do elenco, pensando em 2023. O XV del León mistura muitos atletas revelados nas categorias de base da Espanha recentemente com atletas nascidos no exterior. A Espanha tem quatro argentinos (o pilar Lopez, o fullback/ponta Castiglioni e os centros Contardi e Calle, com Castiglioni e Calle sendo formados no rugby espanhol), quatro ingleses (o hooker Barnes, os segundas linhas Walker-Fitton e Ascroft-Leigh e o terceira linha Hogg), um neozelandês (o oitavo Tauli), um camaronês (o primeira linha reserva Feuteu, da categoria de base do Stade Français), um sul-africano (o fullback Stewart) e um francês (o abertura Mélé, atleta mais destacado do time, que jogou o Top 14 francês pelo Perpignan).

Entre os atletas revelados em casa, destaques para o scrum-half Tomás Munilla, de apenas 20 anos, já contratado pelo Béziers (2ª divisão francesa), e para Jordi Jorba, o ponta de somente 22 anos também do Perpignan.

O Brasil vai ao jogo pensando no Ranking. Uma vitória poderá alçar o Brasil até ao 22º lugar do Ranking, dependendo da combinação de resultados do restante da rodada do fim de semana. Com isso em mente, o técnico Rodolfo Ambrosio fez 6 alterações no XV titular com relação ao jogo com a Argentina XV. Josh voltou dos EUA e vestirá a camisa 10, com Zé passando para a ponta, depois de ter sido o abertura ao longo do Sul-Americano. Massari também ganhou um lugar no centro no lugar de Robert, ao passo que no pack Bergo na terceira linha, Dell’Acqua na segunda linha e Jardel de volta à primeira linha são as novidades. A capitania será de Daniel Sancery.

Com relação ao time derrotado pelos Leões em 2017, são ao todo 7 atletas diferentes pelos Tupis, incluindo toda a primeira linha. O time espanhol é famoso pela sua qualidade com a bola em mãos, mas em 2017 o Brasil sofreu nas formações e no contato no primeiro tempo contra os espanhóis. Com isso, os reforços no time de Ambrosio prometem equilibrar o jogo físico contra o XV del León, abrindo possibilidades para o Brasil conseguir propor o jogo, o que será essencial contra um visitante que sabe ele propor. A batalha nos avançados será particularmente importante, com Santos escalando um pack mais experiente, que enfrentou em boa condição a Geórgia no Rugby Europe Championship, ciente da fama do Brasil no scrum.


versus copiar

19h30 – Brasil x Espanha, em Osasco – ESPN2 AO VIVO

Árbitro: Juan Pablo Federico (Argentina)

Histórico: 1 jogo e 1 vitória da Espanha, 67 x 28, em 2017 (amistoso);

Brasil: 15 Daniel Sancery (c), 14 Lucas “Zé” Tranquez, 13 Lorenzo Massari, 12 De Wet Van Niekerk, 11 Daniel “Maranhão” Lima, 10 Josh Reeves, 9 Lucas “Tanque” Duque, 8 André “Buda” Arruda, 7 Arthur Bergo, 6 Cléber “Gelado” Dias, 5 Luiz “Monstro” Vieira, 4 Matteo Dell’Acqua, 3 Jardel Vettorato, 2 Wilton Murilo “Nelson” Rebolo, 1 Lucas Abud;

Suplentes: 16 Yan Rosetti, 17 João Pedro “Sininho” Talamini, 18 Matheus “Blade” Rocha, 19 Gabriel Paganini, 20 Lucas “Bruxinho” Piero, 21 Laurent Bourda-Couhet, 22 Moisés Duque, 23 Robert Tenório;

Espanha: 15 Richard Stewart, 14 Julen Goia, 13 Ignacio Contardi, 12 Alvar Gimeno, 11 Jordi Jorba, 10 David Mélé, 9 Facundo Munilla, 8 Afa Tauli, 7 Oier Goia, 6 Victor Sánchez, 5 Michael Walker-Fitton, 4 Manuel Mora, 3 Alberto Blanco, 2 Steve Barnes, 1 Fernando Lopez (c);

Suplentes: 16 Thierry Feuteu, 17 Vicente Del Hoyo, 18 Mattius Pisapia, 19 Ien Ascroft.Leigh, 20 Michael Hogg, 21 Tomás Munilla, 22 Emiliano Calle, 23 Federico Castiglioni;