Foto: Fotojump

ARTIGO COM VÍDEO – O Uruguai segue sendo a pedra na chuteira brasileira. Jogando em Osasco, diante de cerca de 1 mil torcedores, os Tupis perderam a invencibilidade no Sul-Americano que durava desde 2017, caindo por 38 x 19 para o time de desenvolvimento do Uruguai, o Uruguai XV, que veio ao Brasil com uma mescla de atletas do time principal com jogadores promovidos da base. Com isso, o Brasil caiu para o terceiro lugar no campeonato, com apenas uma rodada para o fim, em Belo Horizonte, no sábado que vem, contra a Argentina XV (que lidera a competição).

O Brasil começou dominante a partida, controlando posse de bola e propondo o jogo. Logo aos 3′, os Tupis tiveram a primeira chance com penal chutado para fora por Zé. Os pontos saíram, no entanto, pouco depois, com a qualidade do jogo de mãos do Brasil – e da Poli. Zé inverteu o jogo para Maranhão disparar rumo ao primeiro try dos Tupis.

Outro penal foi desperdiçado aos 10′, mas o Brasil era todo dominante e, aos 14′, após o lateral, Yan produziu um incrível atropelo, com Monstro finalizando o try no apoio. Grande jogada dos Tupis para o delírio do torcedor no José Liberatti.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Trrrrrrry dos #Tupis @monstro.brasilrugby !!! Que atropelo do @yanrosetti !!! #culturaderugby #fanaticosporrugby

Uma publicação compartilhada por Portal Do Rugby (@portaldorugby) em

A resposta uruguaia não tardou e aos 18′ Etcheverry visualizou o espaço para chutar atrás da defesa brasileira, com Favaro cravando o primeiro try dos time alviceleste. E o Brasil sentiu o golpe, com o Uruguai reverter o quadro para acumular mais posse de bola até concluir seu segundo try – o da virada – com o hooker Kessler, na segunda tentativa de try com maul. A defesa brasileira sentiu o poderio da formação uruguaia e o placar foi a 14 x 12.

- Continua depois da publicidade -

Mas, com a bola em mãos, o Brasil levava a vantagem e em rápida ação de velocidade Daniel Sancery explorou o espaço pela defesa oriental e guardou o try que recolocava os Tupis na frente, mas por pouco tempo. Antes da pausa, o Uruguai arrancou um turnover, trabalhou bem a posse e capitalizou sobre as quebras de tackle até o segunda linha Aliaga romper com potência para o try do empate, com a conversão garantindo a frente de 21 x 19 para os visitantes.

O segundo tempo foi muito ruim para os Tupis, que pecaram na disciplina, cedendo muitos penais, que mantiveram o Uruguai com maior volume de jogo. Favaro chutou 3 pontos para o Uruguai com penal logo no começo e a pressão seguiu. Acuado na defesa, o Brasil errou, com Zé tentando um chute de alívio de dentro do in-goal, sendo bloqueado, para a bola sorrir para Della Corte. Try decisivo para os uruguaios, sem volta para o Brasil, que não esboçava a reação.

O nocaute pareceu ter sido acusado e o Uruguai manteve o Brasil longe de suas 22. Favaro ainda somou mais 3 pontos com penal e, aos 75′, Blengio achou o espaço para concretizar a vitória uruguaia com o quinto try dos visitantes.

No fim, Maranhão e Daniel fizeram boa jogada e Stefano mergulhou para o try, mas sem conseguir o apoio. Fim de papo e triunfo uruguaio por 38 x 19, com o Brasil passando em branco no segundo tempo.

Foi a segunda vitória do Uruguai XV na competição, ficando atrás da Argentina XV apenas pelos pontos bônus. Para ser campeão, o Brasil precisará vencer a Argentina XV com bônus e torcer para o Uruguai XV perder em casa no último jogo para a Colômbia. Resta apenas uma rodada, no sábado do dia 25.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Vitória do Uruguai XV sobre os #Tupis, 38 x 19. @dan_sancery analisou! Sábado que vem tem Brasil x Argentina XV em BH. Cabeça erguida. #culturaderugby #fanaticosporrugby

Uma publicação compartilhada por Portal Do Rugby (@portaldorugby) em


19versus copiar38

Brasil 19 x 38 Uruguai XV, em Osasco

Árbitro: Damián Schneider (Argentina) / Assistentes: Esteban Filipanics (Argentina) e Victor Hugo Barboza (Brasil)

Brasil

Tries: Maranhão, Monstro e Daniel Sancery

Conversões: Zé (2)

15 Daniel Sancery, 14 Ariel Rodrigues, 13 Robert Tenorio, 12 De Wet Van Niekerk, 11 Daniel “Maranhão” Lima, 10 Lucas “Zé” Tranquez, 9 Laurent Bourda-Couhet, 8 André “Buda” Arruda, 7 Cléber “Gelado” Dias (c), 6 Matheus Claudio, 5 Gabriel Paganini, 4 Luiz “Monstro” Vieira, 3 Pedro Begaló, 2 Yan Rosetti, 1 Lucas Abud;

Suplentes: 16 João Pedro “Sininho’ Talamini, 17 Wilton Murilo “Nelson” Rebolo, 18 Matheus “Blade” Rocha”, 19 Lucas “Bruxinho” Piero, 20 Michael “Ilha” Oliveira, 21 Leandro “Leco” Castiglioni, 22 Lucas “Tanque” Duque, 23 Stefano Giantorno;

Uruguai XV

Tries: Favaro, Kessler, Aliaga, Della Corte e Blengio

Conversões: Favaro (4)

Penais: Favaro (2)

15 José Iruleguy, 14 Federico Favaro, 13 Alfonso Costa, 12 Agustín Della Corte, 11 Juan Pablo Costabile, 10 Matías Davanzo, 9 Tomás Iniciarte, 8 Manuel Diana, 7 Santiago Civetta, 6 Juan Manuel Gaminara (c), 5 JuanJuan Garese, 4 Felipe Aliaga, 3 Juan Pedro Rombys, 2 Germán Kessler, 1 Facundo Gattas;

Suplentes: 16 Guillermo Pujadas, 17 Joaquín Jaunsolo, 18 Santiago Bonasso, 19 Maxime Sonneveld, 20 Gonzalo Soto Mera, 21 Tomás Ubilla, 22 Manuel Blengio, 23 Felipe Etcheverry;

 SeleçãoApelidoPJVED4+7-PPPCSP
Argentina XVArgentina XV153300301966190
Uruguai XVUruguai XV123300001157540
ChileCóndores631021188104-16
BrasilTupis531021085110-25
ColômbiaTucanes531021070130-60
ParaguaiYakarés030030033162-129
- Vitória por 3 tries ou mais de diferença = 5 pontos
- Vitória com menos de 3 tries de diferença = 4 pontos
- Empate = 2 pontos
- Derrota por 7 pontos ou menos de diferença = 1 ponto
- Derrota por mais de 7 pontos de diferença = 0 pontos

1 COMENTÁRIO