Foto: Bruno Ruas @ruasmidia

ARTIGO COM VÍDEO – O Japão fez história em 2019 com uma campanha fenomenal na Copa do Mundo jogada em sua casa e saiu da competição nas quartas de final com mais uma ótima partida. Porém, desta vez, os Brave Blossoms não puderam entregar nova vitória histórica a seu torcedor. A África do Sul não sucumbiu diante de seu algoz de 2015 e deu a volta por cima com uma vitória indiscutível por 26 x 03 em Tóquio, alcançando as semifinais da competição. No final, sorrisos para os dois lados, em mais um belo capítulo da história dos Mundiais.

A África do Sul era a favorita, por toda a sua história. No entanto, o momento brilhante do Japão sugeria que os Brave Blossoms seriam capazes de mais um passo adiante. O jogo começou com os Springboks focados e marcando logo o primeiro try, após Faf De Klerk explorar lado cedo do scrum e servir Makazole Mapimpi, que aproveitou a fragilidade do tackle de Tamura para romper e disparar rumo ao primeiro try do duelo, aos 4′.

Todavia, aos 9′, Mtawarira recebeu cartão amarelo (que poderia ter sido vermelho) por tackle pilão e o Japão acelerou o jogo, como esperado, e levou muito trabalho à linha defensiva sul-africana no primeiro tempo. Aos 20′, Tamura reduziu com penal certeiro e os japoneses acumularam mais posse de bola e território, parando na defesa verde. Antes da pausa, a África do Sul respondeu com Damian De Allende rompendo tackle e correndo para o try, no entanto, anulado por ter seguido a jogada após ter sido tacleado.

O segundo tempo começou aberto e os Springboks não se deixaram abater pelo try anulado. Os verdes aproveitaram os penais cedidos por uma defesa japonesa que ia ficando cansada e Pollard somou mais 6 pontos em questão de menos de 10 minutos.

- Continua depois da publicidade -

A reta final do jogo foi de declínio físico dos Brave Blossoms, que já não conseguiam mais propor o jogo – e seguiam cronicamente sofrendo com o lateral sul-africano. Aos 64′, Pollard chutou novo penal e, aos 66′, fazendo jus à superioridade sul-africana, Faf De Klerk achou o espaço para correr para o segundo try dos Boks.

Com o embate já resolvido, ainda houve tempo para Mapimpi correr para o último try dos Springboks, aos 70′, fechando o placar em 26 x 03. África do Sul garantida para fazer um duelo inédito de semifinal contra Gales.

E palmas para o Japão.

Copa do Mundo de Rugby – Japão 2019

Domingo, dia 20 de outubro (Horário de Brasília)

QUARTAS DE FINAL

03versus copiar26

Japão 03 x 26 África do Sul, em Tóquio

Árbitro: Wayne Barnes (Inglaterra)

Assistentes: Ben O’Keefe (Nova Zelândia) e Luke Pearce (Inglaterra) / TMO: Rowan Kitt (Inglaterra)

Japão

Penal: Tamura (1)

15 Ryohei Yamanaka, 14 Kotaro Matsushima, 13 Timothy Lafaele, 12 Ryoto Nakamura, 11 Kenki Fukuoka, 10 Yu Tamura, 9 Yutaka Nagare, 8 Kazuki Himeno, 7 Pieter Labuschagne, 6 Michael Leitch (c), 5 James Moore, 4 Luke Thompson, 3 Jiwon Koo, 2 Shota Horie, 1 Keita Inagaki;

Suplentes: 16 Atsushi Sakate, 17 Isileli Nakajima, 18 Asaeli Ai Valu, 19 Wimpie van der Walt, 20 Amanaki Lelei Mafi, 21 Fumiaki Tanaka, 22 Rikiya Matsuda, 23 Lomano Lava Lemeki;

África do Sul

Tries: Mapimpi (2) e De Klerk

Conversões: Pollard (1)

Penais: Pollard (3)

15 Willie le Roux, 14 Cheslin Kolbe, 13 Lukhanyo Am, 12 Damian de Allende, 11 Makazole Mapimpi, 10 Handré Pollard, 9 Faf de Klerk, 8 Duane Vermeulen, 7 Pieter-Steph du Toit, 6 Siya Kolisi (c), 5 Lood de Jager, 4 Eben Etzebeth, 3 Frans Malherbe, 2 Bongi Mbonambi, 1 Tendai Mtawarira;

Suplentes: 16 Malcolm Marx, 17 Steven Kitshoff, 18 Vincent Koch, 19 RG Snyman, 20 Franco Mostert, 21 Francois Louw, 22 Herschel Jantjies, 23 François Steyn;

1 COMENTÁRIO

  1. Faltou uma correção ortográfica no artigo. Lado “cedo” do scrum.
    Acho que o cartão amarelo foi rigoroso. (Ok poderia ser vermelho), mas também poderia ser só penal. Como foi um high tackle japonês ainda no 1 tempo.
    A Africa do Sul perdeu no primeiro tempo para a sua cabeça. Perderam 2 tries certos por erros no passe.