Na semana passada o Touch do Brasil entrou para o mapa do mundo oval! Isso porque o Curitiba Touch foi a Berlim, na Alemanha, disputar a Capital Cup, um dos maiores torneios sociais de Touch Rugby da Europa. O torneio teve a participação de 38 times de 16 países, sendo o Curitiba Touch o único representante da América.

O time do Curitiba Touch é uma mistura de jogadores de touch e jogadores de rugby experientes que sabem jogar touch (extremamente importante), a maioria jogadores do Curitiba Rugby. Infelizmente o time teve dois desfalques, a Bu, que teve que operar o joelho um mês antes do embarque, e o Rauth, que não foi liberado pela seleção.

O torneio foi misto (homens e mulheres) seguindo as regras da FIT, a Federação Internacional de Touch. Cada time pode ter no máximo 14 jogadores e joga-se no formato 6-on-6 sendo que pelo menos 3 dos jogadores em campo tem que ser mulheres.

Antes de chegar em Berlim o Curitiba Touch jogou amistosos em Munique (vitórias contra o time da casa Touch München e Nürnberg Nuggets, um combinado de jogadores de Nürnberg e Vienna) e em Colônia, onde puderam pelo menos testar os padrões de jogadas e defesa já que nunca haviam jogado uma partida contra um adversário que não fosse eles mesmos. Tanto em Munique quanto em Colônia os curitibanos ficaram hospedados nas casas dos jogadores locais e puderam ter um gostinho da hospitalidade e da generosidade da comunidade internacional do touch.

- Continua depois da publicidade -

No primeiro dia do Capital Cup os paranaenses tiveram pela frente as potências Donnybrook (7-1), da Irlanda, e Strasbourg (7-2), da França, e os anfitriões Berlin Pink (7-6). O triunfo brasileiro veio no último jogo do dia contra o time dos Barbarians (4-1). Com a quarta colocação no grupo o Curitiba Touch entrou na disputa do Shield Cup e o primeiro jogo do segundo dia foi contra Touch Frankfurt, que acabou empatado 6-6 e com o Curitiba Touch conseguindo a vitória no drop off. O segundo jogo foi contra o time inglês Blades (Halton Touch) que também acabou empatado, desta vez 7-7 e a vitória no drop off foi dos ingleses. O último jogo na disputa do 27 lugar foi contra GRFC Ghent Touch, e o Curitiba Touch conseguiu uma vitória expressiva de 12-3. Foi um 27 lugar mas com gostinho de Top20 pois os jogos do primeiro dia foram muito mais equilibrados do que os resultados finais. A final do torneio ficou entre Galaxy Worldwide, da Nova Zelândia, e Bareback Riders, do Reino Unido. Um jogaço de touch que acabou empatado em 12-12 com o Galaxy sagrando-se campeão no drop off.

O Curitiba Touch foi uma surpresa no campeonato. Os times adversários ficaram impressionados com a habilidade e a velocidade dos jogadores e a arbitragem extremamente satisfeita com a disciplina do time.

E para fechar com chave de ouro a jogadora Beatriz Amaral foi eleita a melhor jogadora do torneio (female MVP).

No ano que vem a Malásia receberá a Copa do Mundo de Touch. Quem sabe um time brasileiro não vai ao torneio?

Jogadores:
Beatriz Amaral
Brenda Mena
Federico Padilla
Gabriel Domingues
Gabriel Ribeiro (Azul)
Guilherme Dell’Arriva
Lucas Domingues
Karol Campos
Keith Baxter
Mylena Diniz
Susi Baxter-Seitz
Victor Domingues
Manager: Franciny Amaral

Texto enviado por: Susi – Curitiba Touch