ARTIGO COM VÍDEOS – A Catalunha é assunto do momento no mundo, pela a realização do plebiscito pela independência da região da Espanha e seus desdobramentos. Mas, o que você sabe sobre o rugby catalão?

 

Catalunha não é só Espanha

- Continua depois da publicidade -

A região da Catalunha vai além do território que hoje faz parte da Espanha. Em uma rápida aula de história, as origens políticas da Catalunha remetem ao Condado de Barcelona, que foi unido ao Reino de Aragão por meio de casamento – algo comum nas monarquias medievais. Aragão foi uma potência naval nos séculos XIV e XV, tendo domínios espalhados pelo Mediterrâneo, que incluíam o sul da Itália e várias ilhas, como Sardenha e Córsega em seu auge.

Na Península Ibérica, o Reino de Aragão compreendia o que são as regiões atuais de Aragão, Catalunha, Valência e Ilhas Baleares. A Espanha atual nasceu em 1469, com o casamento do rei Fernando de Aragão e a rainha Isabela de Castela, que dominava o restante do que hoje é a Espanha. As coroas, no entanto, se mantiveram separadas até o século XVIII, e, enquanto Aragão tinha seu império mediterrânico, Castela tinha as Américas. No século XVI, Espanha e França entraram em guerra, na Guerra dos Trinta Anos, e como resultado a Espanha cedeu à França, em 1642, o extremo norte da região da Catalunha, a cidade de Perpignan (Perpinya, em catalão), que até hoje faz parte da França.

Em 1716, a divisão das coroas foi abolida e a Espanha consolidou sua monarquia centrada em Madri. A língua castelhana (o espanhol) foi imposta sobre todo o país mas, enquanto em Aragão, Valência e nas Ilhas Baleares as línguas locais declinaram, o catalão seguiu forte na Catalunha, como símbolo da identidade local. O catalão é uma língua latina, como o português, o francês, o italiano, o espanhol e o romeno, mas distinta significativamente do espanhol (portanto, o catalão não é um dialeto, é uma língua).

Desde então, a Catalunha passa por recorrentes tensões com o governo de Madri, em busca de maior autonomia, pela defesa de sua língua e de sua cultura. Com a Guerra Civil Espanhola (1936-1939) e a ditadura de Francisco Franco (1939-1975), a identidade catalã foi duramente reprimida, mas com a redemocratização a Catalunha recuperou sua autonomia e a língua catalã voltou a ser ensinadas, mas nos últimos anos as tensões escalaram. Para saber mais, sugerimos um artigo do site Ludopédio, que faz uma ponte entre história e futebol na Catalunha: clique aqui.

Na porção francesa, a identidade catalã também foi reprimida por muito tempo. Qualquer língua regional diferente do francês não podia ser ensinada nas escolas francesas até 1950. Na França, existem muitas línguas nativas além do francês, como catalão, basco, occitano, bretão e corsa. Somente a partir dos anos 50 outras línguas regionais passaram a ter seu ensino permitido, por exemplo.

 

perpignan

Os poderosos Arlequins!

Se na Catalunha espanhola o FC Barcelona e o futebol são uma religião, em Perpignan só se pensa na bola oval. O esporte que é símbolo da identidade catalã na França é o rugby. A Union Sportive des Arlequins Perpignanais, o USAP, ou apenas Perpignan, heptacampeão francês e paixão da Catalunha Francesa, região com cerca de 400 mil habitantes.

Os Arlequins de Perpignan são gigantes do rugby francês e seu sucesso começou bem no início da bola oval na França, sendo campeões campeões nacionais em 1914, 1921, 1925, 1938, 1944 e 1955, o que coloca o clube como o sexto maior campeões francês. O sétimo título demorou para sair e veio apenas na era profissional do rugby, em 2009, na última era dourada do clube, que ainda foi vice campeão da Copa Europeia (antiga Heineken Cup, atual Champions Cup) em 2003 em 2011, numa campanha história que teve o Perpignan mandando seu jogo de quartas de final em Barcelona, jogando diante de 55 mil torcedores.

O desastre, no entanto, aconteceu. Em 2014, o USAP foi rebaixado do Top 14 francês e segue desde então na segunda divisão, a Pro D2.

Festa de 2009

Jogo em Barcelona em 2011

Antologia

Catalans Dragons logo 2008

Os catalães gostam do League… e como!

Mas os catalães gostam de serem únicos e a paixão deles pela bola oval não é nada comum. Além do USAP, a outra paixão da Catalunha Francesa é o Rugby League! Sim, o rugby de 13 jogadores (a modalidade dissidente do rugby) é também parte da identidade catalã na França e diferencia os catalães dos seus rivais franceses. O mais forte clube do Rugby League francês é o Catalan Dragons (os Dragões Catalães), um dos dois clubes franceses que disputam o Campeonato Inglês. E os Dragons estão na Super League, na elite inglesa desde 2007.

O Catalan Dragons nasceu da fusão de dois clubes tradicionais do Campeonato Francês de Rugby League, o XIII Catalan e o St. Estèves, ambos de Perpignan. Como o League francês é apenas semi profissional e está “anos luz” do profissional League inglês, os Dragons pediram admissão na Super League e desde então dividem as atenções da cidade com o Rugby Union.

Mas os Dragons são populares? Sim. A título de comparação, a média de público do USAP é de cerca de 10.500 torcedores, a média de público dos Dragons foi em 2017 de 8.700 torcedores por jogo.

Catalães, sardos, italianos da ovalada

O império mediterrânico de Aragão foi perdido entre os séculos XVIII e XIX, mas deixou sua marca. Uma pequena cidade da Itália ainda se considera catalã e fala catalão. É Alghero, de apenas 45 mil habitantes, na costa oeste da ilha da Sardenha. E sabe qual é o principal clube esportivo da cidade? É o Amatori Rugby Alghero, que hoje disputa a terceira divisão italiana.

 

Não se esqueça de Andorra

A Catalunha pode ainda não ser independente, mas o catalão é a língua oficial de um país: Andorra, que é a “Catalunha independente”. O pequeno país incrustado entre Espanha e França, de apenas 77 mil habitantes, tem rugby. Na verdade, a seleção de rugby de Andorra, Els Isards (as Camurças, uma espécie de cabra selvagem local), tem uma história e resultados muito melhores que sua seleção de futebol. Pela popularidade do rugby no sul da França, Andorra tem seus dois únicos clubes jogando competições regionais francesas e sua seleção está entre as 30 melhores da Europa, ocupando o honroso 65º lugar no Ranking Mundial.

 

O rugby catalão na Espanha

Na Espanha, a Catalunha é um dos tradicionais centros do rugby. A Catalunha, aliás, já teve sua própria federação de rugby independente, sendo uma das fundadoras da FIRA (atual Rugby Europe, a federação europeia) em 1934, quando a Catalunha inclusive enfrentou a Itália em amistoso. Com a Guerra Civil Espanhola nos anos seguintes e a ditadura do general Franco, a federação catalã foi extinta, mas o rugby seguiu importante na região.

Os dois principais clubes catalães de rugby são Santboiana, de Sant Boi de Llobregat, subúrbio de Barcelona, e o próprio FC Barcelona, o Barça, que tem um departamento de rugby., ambos atualmente na primeira divisão espanhola. Fundada em 1921, a Santboiana é o clube mais antigo de toda a Espanha, outro símbolo da ovalada catalã, e é a terceira maior campeã da Espanha., com 7 títulos, o último em 2006. Já o Barça foi 2 vezes campeão espanhol de rugby, em 1953 e 1954. Ainda um outro clube catalão foi campeão espanhol, o Cornellà, em 1979, enquanto L’Hospitalet e o BUC (Barcelona Universitari Club) já estiveram na primeira divisão.

A Catalunha conta com uma seleção regional que disputa amistosos com alguma regularidade. O último deles foi em 2016, vencendo Portugal por 25 x 22. Aliás, 2016 foi um ano histórico para o rugby em Barcelona, pois a final do Top 14 francês foi realizada no Camp Nou, casa do Barça, entre Racing e Toulon, batendo recorde mundial de público para um jogo entre clubes: 99.124 pessoas.

Um brasileiro no Barcelona

Por falar em Barcelona, há um jogador brasileiro por lá e nós o entrevistamos no Mesa Oval! É o Leco, ex SPAC e Tupis, que vai mostrando a qualidade do rugby brasileiro em terras catalãs. Clique aqui para ouvir o programa!