Três rodadas já se passaram da Taça Tupi, a segunda divisão nacional, e as disputas pela classificação às semifinais e ao Super 16 do ano que vem já estão mais claras. No Grupo A, o Band Saracens vai nadando a braçadas largas, sobretudo após atropelar o Templários nesta rodada por 82 x 03, jogando o time de São Bernardo do Campo ao terceiro lugar da chave, enquanto o Pé Vermelho vai crescendo e venceu mais uma, agora contra o Rio Branco, que vive momento delicado, 44 x 27. No próximo fim de semana, Pé Vermelho e Band Saracens vão duelar.

No Grupo B, o jogo entre Guanabara e BH Rugby foi adiado por uma tentativa de assalto ao ônibus dos mineiros. Mesmo sem jogar, o BH se manteve na liderança, mas agora com a companhia do Niterói, que passou pelo Rio Rugby em um magro 6 x 0 no dérbi do Rio de Janeiro. No próximo compromisso, o Niterói pegará o Guanabara, enquanto o Rio visitará o BH.

Já no Grupo C, Charrua e San Diego mostraram que são os favoritos ao vencerem fora de casa os catarinenses do Joaca e do Chapecó, respectivamente, por 25 x 07 e 24 x 16. Os dois gaúchos jogarão em casa na próxima rodada, invertendo-se os oponentes.

 

- Continua depois da publicidade -

Quem segura o Band?

Veja fotos da partida, por Alê da Costa

O fim de semana frio e chuvoso em São Paulo foi interrompido por uma performance incendiária do Band Saracens, que não tomou conhecimento do vice-líder Templários e aplicou um memorável 82 a 3 no primeiro confronto entre as equipes. Uma atuação de gala que coloca o Sarries a uma vitória da elite nacional em 2018, e muito perto da classificação antecipada para as semifinais.

A expectativa por um confronto parelho não se concretizou e o Band rapidamente abriu vantagem com Laurent e Gabriel Paganini, e a série de tries foi interrompida apenas por um penal do adversário, mas Leandro e Yuri completaram o placar na etapa inicial, um sólido 28 a 3 aliado ao domínio territorial e da posse de bola que se ampliaria no segundo tempo.

A etapa complementar abriu com try de Devon seguido de nova conversão de Erick, perfeito nos chutes até então. O abertura argentino anotaria outras seis conversões ao longo da partida, mantendo o jogador como artilheiro da competição até o momento. A chuva de tries se seguiria a partir dos 15 minutos e só terminaria no apito final, com os bandeirantinos cruzando o ingoal adversário mais seis vezes, e destaque para Laurent, autor de nada menos que cinco tries na partida.

 

03versus copiar82

Templários 03 X 82 Band Saracens
Local: Arena Paulista de Rugby – São Paulo, SP

Templários
Penais: Matheus Delbin (1)

 

Band Saracens

Tries: Laurent (5), Gabriel Paganini, Leandro Caetano (2), Devon, Yuri, Gudemberg e Pablo
Conversões: Erick Iglesias (11)

 

Pé Vermelho afunda Rio Branco

Em Londrina, o Pé Vermelho alcançou sua segunda vitória na competição e a vice liderança do grupo fazendo 44 x 22 incontestáveis sobre o Rio Branco, que já acumula três derrotas e tem a pior campanha de toda a Taça Tupi.

O jogo começou com troca de penais, mas logo quem falou mais alto foi o Pé Vermelho, com sua linha voando baixo. Foram 3 tries de mãos no primeiro tempo, com Fernando Mazon, Lucas Bagé e Fernando Santana. Os Pelicanos descontaram com o oitavo Diego Telles guardando o primeiro try antes do intervalo. E o mesmo Diego fez mais um na volta do intervalo, dando a impressão de que o Rio Branco reagiria.

Mas o Pé Vermelho seguia melhor e liquidou a partida com 3 tries em sequência, pelas mãos de Lucas Branco, Pedro Frutuoso e Roger Bonfim. No fim, os paulistas ainda jogaram pela honra e conquistaram um bônus ofensivo, cruzando o in-goal mais duas vezes, com Elito e Raphael. 44 x 27, números finais.

 

44versus copiar27

Pé Vermelho 44 X 27 Rio Branco
Local: Aterro Lago Igapó – Londrina, PR

Pé Vermelho

Tries: Fernando Henrique Mazon, Lucas “Bagé” Vieira, Fernando Santana, Lucas Branco, Pedro Frutuoso e Roger Bonfim
Conversões: Lucas Branco (4)
Penais: Lucas Branco (2)

 

Rio Branco

Tries: Diego Telles (2), Elito Parra e Raphael Alex
Conversões: Daniel “Maranhão” Lima (2)
Penais: Daniel “Maranhão” Lima (1)

 

Faltou try!

Rio Rugby e Niterói duelaram debaixo de chuva no Rio de Janeiro em um confronto que foi marcado por muitos erros e falta de emoção. O Niterói aproveitou melhor suas chances, chutando dois penais no primeiro tempo com David Grael.

Na segunda etapa, os dois times seguiram com dificuldades para acharem o caminho dos tries e ambos passaram em branco. 6 x 0 decretados e pouco convincentes do Nikity, que agora respira em suas ambições de retornar à elite nacional.

 

00versus copiar06

Rio Rugby 00 X 06 Niterói
Local: Campo Olímpico da UFRJ – Rio de Janeiro, RJ

Niterói

Penais: David Grael (2)

 

San Diego vence no Oeste

No Oeste Catarinense, o San Diego conquistou uma preciosa vitória sobre o bom time do Chapecó, fazendo 24 x 16 que mantiveram os verdes na cola do rival Charrua pela disputa da liderança do grupo sulino.

Como vem sendo a tendência quando o Chapecó joga, o duelo foi marcado por uma verdadeira batalha de penais na primeira etapa entre Cícero, dos catarinenses, e Dysiuta, dos gaúchos. O Chapecó falou mais alto nos primeiros 40 minutos e fez seu try antes do intervalo, com Daian.

Mas o San Diego reagiu na volta da pausa e o nome do jogo foi o experiente hooker Mantegão, que cruzou duas vezes o in-goal para dar o triunfo ao San Diego. Os visitantes ainda foram perfeitos na defesa e não cederam mais pontos aos donos da casa. 24 x 16.

 

16versus copiar24

Chapecó 16 X 24 San Diego
Local: Campo da Cordilheira Alta – Chapecó, SC

Chapecó

Try: Daian Muller (1)
Conversões: Cícero Leita (1)
Penais: Cícero Leite (3)

San Diego

Tries: Bruno “Mantegão” Carvalho (2)
Conversões: Erick Dysiuta (1)
Penais: Erick Dysiuta (4)

 

Charrua líder

Em visita a Florianópolis, o Charrua conseguiu uma maiúscula vitória que manteve os Índios porto-alegrenses na liderança do grupo.

O Charrua foi imponente em seu primeiro tempo, marcando seus 4 tries antes do intervalo, com o hooker Ícaro, o ponta Gabriel, um try a partir de um poderoso maul e um com o centro Xandão.  Nada menos que 25 x 00 para os porto-alegrenses.

O jogo se equilibrou na segunda etapa e, apesar das tentativas dos donos da casa, o Charrua mostrou sua força na defesa, resguardando seu resultado. Apenas no fim as Corujas conseguiram o try, com Vitor, mas já se tempo de reação. 25 x 07, placar final.

 

07versus copiar25charrua novo

Joaca 07 X 25 Charrua
Local: Campo da Tapera UFSC – Florianópolis, SC

Joaca

Try: Vitor Keil
Conversão: Gabriel Gattino (1)

Charrua

Tries: Ícaro, Gabriel Bozan, maul (a confirmar) e Xandão
Conversões: Arthur Dalpizzolo (1)
Penais: Arthur Dalpizzolo (1)

 

ClubeCidade (Estado)PtsJVED4+7-PPPCSP
Grupo A
Band SaracensSão Paulo (SP)3066006042972357
Pé VermelhoLondrina (PR)1563033021518431
TempláriosSão Bernardo do Campo (SP)14621340141299-158
Rio BrancoSão Paulo (SP)460152092322-230
Grupo B
GuanabaraRio de Janeiro (RJ)2164023219995104
BH RugbyBelo Horizonte (MG)1964023014010634
NiteróiNiterói (RJ)1463032012410915
Rio RugbyRio de Janeiro (RJ)561050162211-149
Grupo C
CharruaPorto Alegre (RS)246501311327458
San DiegoPorto Alegre (RS)196402121098128
ChapecóChapecó (SC)962040187122-35
JoacaFlorianópolis (SC)661050263114-51

 

Foto: Band Saracens x Templários – Ale da Costa