A temporada 2018 começa com novidades para o rugby juvenil em São Paulo. Um passo importante para estimular o crescimento das categorias juvenis pelo estado foi dado essa semana com a formação de um grupo de trabalho específico para gerenciar o futuro do Rugby paulista, dando continuidade à chegada de Karina Lira que segue gerenciando o Rugby infantil formativo. Emmanuel “Manu” Armagnat, ex-jogador e responsável de longa data pelas categorias de base do Pasteur se une ao Elleyson Daniel, um dos responsáveis pelo trabalho estrutural do Iguanas de São José dos Campos para dar um novo empurrão nas categorias M15 a M19, que vem sofrendo com a redução de equipes nos últimos anos.

As primeiras iniciativas consistem em expandir o calendário de atividades, de modo a manter os atletas em atividade por mais tempo e levar jogos para locais onde as categorias estão ainda em fase de consolidação e flexibilizar a formação de equipes, unindo clubes que não tenham um XV formado, especialmente fora do eixo Capital/Vale do Paraíba.

Os consagrados Festivais Infantis foram a inspiração para o primeiro semestre, com a realização de jogos reduzidos ao longo de um dia abertos para todos os clubes que tenham equipes em formação ou já bem estruturadas. “Trabalharemos da melhor maneira possível para ter um grande semestre onde os valores e princípios do Rugby sejam postos em prática, levando uma grande vivência para todos juvenis do Estado” comentou Elleyson. O número de etapas e custos ainda serão definidos.

O Campeonato Paulista de clubes no formato atual seguirá sendo disputado, no segundo semestre.

- Continua depois da publicidade -

Agora a bola está com os clubes, e o engajamento de todos será fundamental para o sucesso dessa iniciativa, seja organizando uma das etapas ou levando seus atletas para os campeonatos. A FPR solicita que os clubes entrem em contato pelo email juvenil@fprugby.org.br informando a quantidade de atletas que tem por categoria (mesmo que seja um único jogador).

Com estas informações, a comissão conseguirá mapear corretamente quais clubes e quantos atletas existem, e planejar a realização das etapas.

Foto: Daniel Venturole