Festa na Hípica, pois o Charrua segue no trilho do sonho de seu maior título. Os Índios de Porto Alegre receberam nesse sábado o Guanabara pela semifinal da Taça Tupi, em jogo marcado pela emoção do lado carioca, com o clube chegando à semifinal após a dura perda de seu treinador Ubaldo Rivero, ícone do rugby brasileiro falecido nesta semana. O Charrua fez valer o mando de jogo e conseguiu uma grande vitória por 27 x 18, que assegurou a equipe na final contra o Band Saracens, a ser jogada no dia 7 de outubro, em local a ser definido ainda.

Os Índios começaram com tudo o jogo, abrindo 10 x 00 em 20 minutos, com 2 tries no começo, do ponta Criss na velocidade e do hooker Ícaro a partir de um poderoso maul. Os cariocas responderam com penal, mas os gaúchos dominavam no embate físico. O terceiro try, no entanto, saiu de novo pela qualidade da linha gaúcha, com com Leo Rosa chutando cruzado para Gabrel Bolzan cravar. 15 x 03.

Na volta dos vestiários, o Guanabara reduziu com penal, mas o segundo tempo continuou com o Charrua melhor e somando seu quarto try sem resposta, com Fred, escapando pelo meio. O try parecia liquidar a sorte do jogo com 22 x 06 no marcador. Mas os visitantes ainda não haviam se rendido e, aos 59′, guardaram seu primeiro try com o asa Clayton deixando o marcador em aberto por conta dos erros de conversões dos porto-alegrenses, que pontuavam menos do que poderiam. 22 x 13.

O Charrua manteve sua cabeça no lugar e conseguiu aos 68′ seu quinto e decisivo try, pelas mãos do segunda linha Igor pela direita. No fim, o Guanabara ainda marcou seu segundo try, com Johnson, mas já sem chances de virada. 27 x 18, números finais na Hípica. Segunda final nacional na história do Charrua, a primeira desde a Copa do Brasil (antecessora da Taça Tupi) de 2013, quando perderam a chance da promoção com derrota para o Alecrim, do Rio Grande do Norte.

- Continua depois da publicidade -

A grande final oporá Band Saracens e Charrua no dia 7, em campo neutro a ser anunciado.

 

charrua novo27versus copiar18

Charrua 27 x 18 Guanabara

Árbitro: Giancarlo Bristot

Local: Sociedade Hípica – Porto Alegre, RS

 

Charrua

Tries: Luiz Filipe “Criss” Ribas, Ícaro Madalena, Gabriel Bolzan, Fred Pasquali e Igor Gomes

Conversões: Leo Rosa (1)

 

Guanabara

Tries: Clayton Vaneli e Johnson Junior

Conversões: Caio Ferreira (1) e Johnson Junior (1)

Penais: Caio Ferreira (2)

 



Fotos e vídeos: Travinha Esportes