O Super Sevens Feminino realiza sua etapa classificatória no próximo fim de semana, dias 25 e 26 de março, em Florianópolis (SC). Nada menos que 16 equipes de 10 estados diferentes lutarão por 4 vagas entre as 8 equipes fixas da competição. O formato do circuito seguirá como no último ano, mas desta vez com 6 etapas, entre  que decidirão o campeão nacional feminino.

 

Delta (PI), Leoas de Paraisópois (SP), USP (SP) e Serra (RS) estão no grupo A, enquanto Bandeirantes Saracens (SP), Melina (MT), Centauros (RS) e Blumenau (SC) estão no B. O grupo C tem Desterro (SC), BH Rugby (MG), Goianos (GO) e São Lourenço (MG). Já o grupo D é formado por Charrua (RS), Vitória (ES), Maringá (PR) e Guanabara (RJ). As quatro melhores equipes de 2016, Curitiba (PR), Niterói (RJ), São José (SP) e SPAC (SP), já estão garantidas como equipes fixas do circuito e não disputarão no Torneio Classificatório.

 

- Continua depois da publicidade -

“É uma enorme alegria para a CBRu recomeçar os torneios nacionais femininos e de novo com 16 equipes inscritas. A etapa classificatória que será disputada em Florianópolis tem tudo para ser muito competitiva, o que valorizará ainda mais as quatro vagas para equipes fixas no circuito que estarão em disputa”, afirma Bernardo da Costa Duarte, diretor de torneios da CBRu. “Os fãs de rugby de todos os estados do Brasil poderão ver estes grandes jogos, no segundo dia, através do Facebook live da CBRu”, complementa.

 

As etapas do circuito deverão ser realizadas entre maio e outubro.

 

O que esperar em Florianópolis?


No grupo A, sem dúvida alguma, a força maior se concentra na equipe do Delta, que já em 2015 já alcançou boas colocações, chegando à sétima na posição geral e se tornando uma equipe querida pela garra e persistência de chegarem do estado do Piauí a outros estados tão distantes que sediam o Super Sevens. Em 2016, o carisma e boa performance em campo só se intensificou e o Delta finalizou em sexta posição geral. Nos quesitos simpatia e muita garra, as Leoas de Paraisópolis também ganham torcida. Participaram de duas das quatro etapas e são um desafio a ser batido pela equipe da USP, que chega surpreendendo ao viajar para o qualificatório, depois de também participarem da terceira etapa, no ano passado, e saírem de São Paulo rumo à Curitiba por um grande campeonato. As uspianas não são as favoritas mas têm tomado a característica de dar bastante trabalho para as outras equipes, principalmente com suas velocistas na linha. O SC chega às primeiras grandes competições, só tendo participado do circuito gaúcho nos últimos anos e alcançado a terceira posição geral em 2016.

 

O grupo B é o grupo que muito provavelmente será liderado pelo Band Saracens. O Melina tem prosperado desde a primeira etapa que participou em 2016 mas ainda não tem a experiência e entrosamento que as bandetes cultivam – e que ainda serão reforçadas pela ascensão das juvenis e das lesionadas que se recuperaram; ano passado, ficaram com o quarto lugar e a vaga de equipe central foi conquistada no sufoco, este ano, com a mudança dos clubes na etapa classificatória, a colocação promete ser outra. O Centauros participou de uma única etapa do torneio no ano passado, a de Curitiba, ficando na 12ª classificação, foi vice-campeão do gaúcho no mesmo ano e campeão da terceira etapa do torneio local, promete uma boa briga contra o Melina. O Blumenau não participou de nenhuma das etapas em 2016 e talvez seja a grande novidade no grupo.

 

No grupo C, Desterro e BH Rugby brigarão pela liderança interna. Talvez a força penda mais para o lado das catarinenses porque em 2015 haviam se consagrado entre as 4 melhores do torneio, alcançando a posição de equipe central para 2016. O feito não foi alcançado no ano passado, e por parte das mineiras, a dificuldade em retornar ao posto vem desde o qualificatório de 2015 para 2016, quando decepcionaram ao ficar com o 6º lugar e não entre as 4 primeiras. O Goianos não traz resultados tão expressivos, dificilmente baterá BH ou Desterro e sua vitória poderá ficar em cima do São Lourenço, equipe novata na competição.

 

Entre os times do grupo D, a batalha será grande entre Charrua e Vitória, ambos eram equipes centrais em 2016 – as gaúchas por conquistarem uma vaga entre as 4 nas etapas de 2016 e as capixabas precisando do qualificatório, mas ainda assim conquistando também a vaga. O desempenho de ambas não foi dos melhores no ano passado, mas agora podem voltar com bastante determinação para mudar a situação em 2017, é o que pretende o Charrua, porque em 2015 teve um ano brilhante. O Guanabara passou o último ano sem participar de nenhuma das etapas do Super Sevens, porém tendo experiência em algumas etapas de 2015 e no qualificatório do mesmo ano, se pretende retornar ao campeonato, ainda não se sabe, mas seria interessante a volta para quebrar a única participação fluminense, que é do Niterói. Sobre o Maringá, alguns resultados não tão expressivos foram conquistados na primeira etapa do paranaense, e dependendo de como chega o Guanabara, o duelo entre ambos pode ser acalorado.
 

Super Sevens Feminino 2017 – Etapa Classificatória

Local: Fazenda Experimental da Ressacada/UFSC – Florianópolis (SC)

Endereço: R. José Olímpio da Silva, 1100 – Tapera, Florianópolis.

 

Grupo A: Delta (PI), Leoas de Paraisópois (SP), USP (SP) e SC Rugby (RS);

Grupo B: Bandeirantes Saracens (SP), Melina (MT), Centauros (RS) e Blumenau (SC);

Grupo C: Desterro (SC), BH Rugby (MG), Goianos (GO) e São Lourenço (MG);

Grupo D: Charrua (RS), Vitória (ES), Maringá (PR) e Guanabara (RJ);

 

Sábado, dia 25 de março

09h00 – Delta x SC Rugby

09h20 – Leoas x USP

09h40 – Band Saracens x Blumenau

10h00 – Melina x Centauros

10h20 – Desterro x São Lourenço

10h40 – BH Rugby x Goianos

11h00 – Charrua x Guanabara

11h20 – Vitória x Maringá

11h40 – Delta x USP

12h00 – Leoas x SC Rugby

12h20 – Band Saracens x Centauros

12h40 – Melina x Blumenau

13h00 – Desterro x Goianos

13h20 – BH Rugby x São Lourenço

13h40 – Charrua x Maringá

14h00 – Vitória x Guanabara

14h20 – Delta x Leoas

14h40 – USP x SC Rugby

15h00 – Band Saracens x Melina

15h20 – Centauros x Melina

15h40 – Desterro x BH Rugby

16h00 – Goianos x São Lourenço

16h20 – Charrua x Vitoria

16h40 – Maringá x Guanabara

 

Domingo, dia 26 de março

09h00 – Quartas de Final Bronze – 3º A x 4º D

09h20 – Quartas de Final Bronze – 3º C x 4º B

09h40 – Quartas de Final Bronze – 3º D x 4º A

10h00 – Quartas de Final Bronze – 3º B x 4º C

10h20 – Quartas de Final Ouro – 1º A x 2º D

10h40 – Quartas de Final Ouro – 1º C x 2º B

11h00 – Quartas de Final Ouro – 1º D x 2º A

11h20 – Quartas de Final Ouro – 1º B x 2º C

11h40 – Semifinal Incentivo

12h00 – Semifinal Incentivo

12h20 – Semifinal Bronze

12h40 – Semifinal Bronze

13h00 – Semifinal Prata

13h20 – Semifinal Prata

13h40 – Semifinal Ouro

14h00 – Semifinal Ouro

14h20 – Decisão de 15º lugar

14h40 – Final Inventivo

15h00 – Decisão de 11º lugar

15h20 – Final Bronze

15h40 – Decisão de 7º lugar

16h00 – Final Prata

16h20 – Decisão de 3º lugar

16h40 – Final Ouro

 

Foto: Helen Lagares

2 COMENTÁRIOS

  1. Seria interessante fazer uma análise de custos em deslocamentos de quanto foi o que os clubes como um todo precisaram desembolsar em passagens para conseguir saber quais praças são as mais viáveis para realizar estes Qualifiers. Definitivamente Florianôpolis não é um paraíso de promoções em passagens aéreas.
    Sobre a matéria, no grupo D Guanabara pode chegar reforçado. Teve bons resultados jogando com Niterói sem selecionadas pouco tempo atrás. Bons jogos a todas e que as meninas do Vitória tragam a vaga pra casa. Pocar tudo sempre!

  2. Seria interessante fazer uma análise de custos em deslocamentos de quanto foi o que os clubes como um todo precisaram desembolsar em passagens para conseguir saber quais praças são as mais viáveis para realizar estes Qualifiers. Definitivamente Florianôpolis não é um paraíso de promoções em passagens aéreas.
    Sobre a matéria, no grupo D Guanabara pode chegar reforçado. Teve bons resultados jogando com Niterói sem selecionadas pouco tempo atrás. Bons jogos a todas e que as meninas do Vitória tragam a vaga pra casa. Pocar tudo sempre!