Poli vence BH Rugby no melhor jogo da Taça Tupi até o momento

Jogando novamente em casa, na cidade de Belo Horizonte, o BH Rugby sofre mais uma derrota, dessa vez para os paulistas da Poli, em uma excelente atuação das duas equipes. Resultado de 41 x 32, que manteve o time da USP 100% na Taça Tupi.

 

Querendo reescrever seu inicio de temporada, o BH começou a partida pressionando, na tentativa de utilizar passes mais rápidos e envolventes sem deixar que a bola saísse do ataque. Em uma das investidas fulminantes do time da casa, Pintinha abriu o marcador na cobrança de penal. Equilibrando as ações do jogo, Marcelo “Tate” Orefice empatou em um penal aos 7 minutos. O primeiro try veio das mãos do ponta Muso, após scrum do lado direito do ataque do time paulista, Tate não converteu.

 

A equipe da casa adotou a postura de não desperdiçar jogadas de ataque, uma deficiência que o time apresentou no jogo contra o Niterói na última semana. Dois belos tries saíram em sequência. Tarugo, aproveitando do seu porte físico, fez linda jogada de velocidade e jogo de corpo entregando a oval para Vicente mergulhar no ingoal, Pintinha de maneira categórica converteu. Com bola perdida no ataque da Poli, ensaboado, Pinta passou por toda a defesa adversária para um belíssimo corrida de 7 pontos, já que novamente, o calibrado Pintinha não desperdiçou. Mesmo com um jogador a menos, Soldado amarelado, o BH ainda encontrou mais um try em jogada individual de Pintinha, no estilo sevens com muita velocidade, fez e converteu. A reação do time visitante começou logo no final da primeira etapa. Tate atuou muito bem e tratou logo de garantir 10 pontos para a Poli em apenas 2 minutos com um penal e um try, que ele mesmo converteu.

 

Logo no início do segundo tempo, aos 7 minutos, a Poli aproveitou seu bom momento no jogo. O centro Victor Santos Bellemo conseguiu avançar entre a defesa do BH e atravessar o in-goal e apoiar a bola para encostar no placar. Desta vez a Poli desperdiçou a conversão. Com somente um ponto à frente, os mineiros ampliaram a diferença com try de Brina. O BH não teve tempo para comemorar, aos 14, Leandro “Mamute” fez o try, que convertido por Tate, deixou os visitantes até o final da partida ditando o ritmo das ações. Aos 20, no duelo dos chutadores, Tate bateu mais um penal, Pintinha respondeu também com penal 3 minutos depois, porém foi a última vez que o time da casa pontuou.

 

Aos 29, o jogo estava truncado, hora da primeira linha aparecer. Abusando das fases com seus avançados a Poli fez mais um try, desta vez com o hooker Arthur “Iguinho” Motta.

 

O time da casa ainda tentou uma reação. Foram cerca de 5 minutos de pressão dos belorizontinos, sem sucesso. Apesar das boas jogadas das duas equipes, o BH parava na bem postada defesa adversária. Quando tudo se encaminhava para um encurtamento da diferença no placar, a Poli fez a última mexida no placar do jogo, “Tate” batendo penal. O restante do duelo foi marcado pela tentativa desesperada da virada, mas a partida finalizou com vitória da Poli por 41 a 32.

 

Maurício Carli, importante nome da Poli, no acumulo das funções de jogador, treinador e comentarista, usou de toda sua experiência para deixar uma análise do jogo, não somente da sua equipe, mas também sobre a atuação do time mineiro, principalmente sobre as viradas que os alvinegros vem sofrendo:

 

“Eu acho que o BH tem um time muito grande, muito forte. Eles usam muito essa estratégia de só ficar jogando com forwards, forwards, forwards, quando poderiam trabalhar um pouco mais as bolas. Eles tem um contra ruck muito bom. Eles estão no caminho certinho, tem umas peças que estão faltando e a gente percebe que faz diferença, que ia mudar muito o jogo deles. Estas atitudes (erros de finalizações do BH) eu não tenho nem como falar porque eu cedi três tries para eles. Um eles interceptaram, um que era um penal que eu não fiz eles atacaram e fizeram um try. A gente poderia ter resolvido esse jogo mais tranquilamente, a gente se complicou muito.”

 

Sobre os belorizontinos sucumbirem na segunda etapa nos últimos jogos:

“A questão de perder no segundo tempo, talvez seja consequência do tamanho deles. Caras muito grandes, muito pesados, para aguentar 80 minutos é muito mais difícil, a gente (equipe da poli) é um time mais leve e está com preparo físico melhor. O que acontece é que a gente tem noção que o campeonato mineiro é muito mais tranquilo de ser jogado que o campeonato paulista que tem cinco times do Super 8. O campeonato paulista é um mini super 8 e agente está vindo deste mini super 8. A gente jogou contra os cinco melhores do Brasil e está jogando a Taça Tupi. Então a gente teve um treinamento muito mais intenso que custou muito pra gente, porque a gente perdeu três jogadores por lesão que não jogam mais esse ano. De qualquer forma eles (Poli) estão com muito mais casca, como a gente fala no rugby, do que eles (BH). Então o BH, agora, começa a encarar times mais fortes, do nível deles, como foi agora, equilibrado decidido no final, até o final a gente não sabia quem ia ganhar, mas eu sinceramente não vi essa diferença no preparo físico, são detalhes, um cérebro ali que organize um pouco mais o time deles, vão dar muito trabalho para todo mundo.”

 

Placar final: BH Rugby 32 (24) x 41 (18) Poli

 

BH Rugby

Tries: Vicente, Pinta, Pintinha, Brina

Conversões: Pintinha (3)

Penais: Pintinha (2)

 

Poli

Tries: Arthur “Iguinho” Motta, Marcelo “Tate” Orefice, João “Muso” Rafael, Leandro “Mamute”Luccas,  e Victor “Santos” Bellemo

Conversões: Marcelo “Tate” Orefice (2)

Penais: Marcelo “Tate” Orefice (4)

 

Escrito por: Leandro Vieira

Foto:  Daniel Teobaldo/Fotojump

 

Clube Cidade (Estado) Pts J V E D 4+ 7- PP PC
Grupo A
Wallys Louveira (SP) 24 6 5 0 1 4 0 206 69
Rio Branco São Paulo (SP) 24 6 5 0 1 4 0 258 59
Maringá Hawks Maringá (PR) 11 6 2 0 4 3 0 159 251
Pé Vermelho Londrina (PR) 1 6 0 0 6 0 1 50 295
Grupo B
Niterói Niterói (RJ) 30 6 6 0 0 6 0 273 84
Poli São Paulo (SP) 21 6 4 0 2 4 1 194 118
BH Rugby Belo Horizonte (MG) 11 6 2 0 4 3 0 142 203
Guanabara Rio de Janeiro (RJ) 0 6 0 0 6 0 0 47 251
Grupo C
San Diego Porto Alegre (RS) 28 6 6 0 0 4 0 218 47
Serra Caxias do Sul (RS) 17 6 3 0 3 3 2 157 137
Charrua Porto Alegre (RS) 15 6 3 0 3 2 1 170 93
BC Rugby Balneário Camboriú (SC) 0 6 0 0 6 0 0 56 324

Comentários