A temporada de Rugby XV de São Paulo vai chegando ao seu final em 2017, com a conclusão das Séries B, C e de Desenvolvimento nesse sábado no tradicional campo do SPAC, o templo do Rugby nacional.

 

Clássico do ABC pelo acesso à elite

A segunda divisão paulista se encerra com o dérbi do ABC. Em disputa está a cobiçada classificação para a elite estadual em 2018 (o vice-campeão enfrentará o penúltimo colocado na repescagem) e a luta será entre os tradicionais rivais Templários de São Bernardo do Campo e ABC de Santo André, confronto que acontece pela terceira vez nesse ano.

- Continua depois da publicidade -

Com quase 10 anos de história, o retrospecto histórico é amplamente favorável aos Templários, que nesse ano ainda venceu os dois jogos diante do ABC por pequena margem e é dono de uma campanha invicta na competição, chegando pelo segundo ano seguido à final. Depois de um desgastante segundo semestre onde o clube disputou a segunda divisão nacional paralelamente ao torneio paulista e conquistou a vaga na elite nacional para o próximo ano, a equipe vem já recomposta de seus principais jogadores e pronta para subir um degrau a mais em sua evolução. Apesar do ataque não fazer feio, com o segundo maior poder ofensivo da competição (268 pontos) o destaque é a sua defesa, que sofreu apenas 79 pontos em 10 jogos, média inferior a 8 por partida.

E é exatamente esse ponto que será o grande atrativo da partida. Se o representante de São Bernardo do Campo tem uma defesa quase perfeita, os Carneiros do ABC tem um ataque nada menos que fulminante. Foram 388 pontos anotados, quase 40 por partida, o que coloca o time azul e dourado de longe com melhor ataque, liderado por Guilherme Assarito, dono de 125 pontos e Pedro Nunes, o tryman do campeonato com 13 tries, números que não devem ser superados. A defesa também não fez feio, com o segundo melhor desempenho, atrás justamente do adversário desse fim de semana.

Surgido em 2008, a fundação do ABC antecede aos Templários, mas enquanto os bernardenses estão em sua sexta temporada na divisão, depois de vencer a Série C em sua primeira participação, o ABC fez em 2017 sua estreia na Série B depois de bater na trave por anos na Série C. Ainda assim, o clube mostrou sua força e pode conquistar o feito inédito de subir duas divisões em anos consecutivos (a Engenharia Mackenzie, que joga a partida preliminar, também pode chegar a essa marca), fruto de trabalho sério de seus integrantes.

Raio X dos clubes
Templários (São Bernardo do Campo)
Fundado em 2009
Primeiro campeonato de XV: Paulista C, 2011
Melhor colocação: vice-campeão, 2016
Última vitória sobre o ABC: Templários 14 X 08 ABC (Paulista B – 11/06/2017)

ABC (Santo André)
Fundado em 2008
Primeiro campeonato de XV: Paulista C, 2012
Melhor colocação: estreante na divisão, vice-campeão da Série C em 2016
Última vitória sobre o Templários: Nunca venceu. Melhor resultado – ABC 10 X 10 Templários (Copa ABC, 2014)

 

E quem sobe para a Série B?

Duas forças emergentes no Rugby paulista com origens bem diferentes se encontrarão novamente neste sábado com a missão de escrever um novo capítulo em suas histórias. Engenharia Mackenzie e Tucanos fizeram as melhores campanhas da Série C esse ano e voltam a se enfrentar, dessa vez pelo título e a vaga na Série B em 2018 (o vice-campeão enfrentará o penúltimo colocado na repescagem).

A temporada tem sido incrível para os Mackenzistas. A equipe é finalista e está invicta nos dois campeonatos que disputa em 2017 e pode ser o primeiro clube a conquistar dois acessos seguidos (o ABC tentará a mesma façanha no jogo seguinte) e 4 títulos em três divisões no período de dois anos. Os dois anos no Desenvolvimento fizeram bem para a equipe que chegou em ótima forma na Série C conquistando uma campanha invejável na fase de classificação, com 100% de aproveitamento nos pontos, melhor ataque (655 pontos, superior a 60 pontos por partida) e a melhor defesa, apenas 93 sofridos, inferior a 10 pontos. O título inédito pode coroar a temporada e recolocar a Engenharia no caminho para voltar a ser um dos grandes clubes do estado, posição que ocupou até meados dos anos 80 e passa por retomada nos últimos quatro anos.

Apesar de números menos reluzentes, os Tucanos também tem uma campanha invejável, com apenas uma derrota e os segundos melhores ataques e defesas, justamente atrás do adversário da final. Uma evolução e tanto para o clube que faz apenas a sua segunda temporada na Série C, depois de um ano na divisão de Desenvolvimento e alcançou o terceiro posto em 2016. Para superar os Mackenzistas, vai apostar no seu forte jogo físico e em Rodrigo Bortolotti, autor de 15 tries até aqui, em briga ferrenha com Vinícius Xavier, com dois tries a mais.

Talvez o grande trunfo do representante de São João da Boa Vista esteja fora das quatro linhas. Desde seu ressurgimento, o clube fez a lição de casa, estreitou laços com clubes locais, o poder público, e apostou em iniciativas de desenvolvimento de categorias de base, com especial atuação nas escolas e que em breve deverá prover um crescimento sustentável para os Tucanos. Uma trajetória que pode ganhar novo impulso com o título nesse sábado, e colocar de vez no mapa do Rugby a cidade de menos de 100mil habitantes do interior paulista.

No dia seguinte, a Arena Paulista ainda receberá a disputa de terceiro lugar entre União e Piratas de Americana, derrotados nas semifinais. Na fase de classificação, o União chegou à sua melhor posição, o terceiro lugar, enquanto o representante de Americana se reergueu nas metade final do campeonato para se garantir mais uma vez entre as quatro forças da divisão.

Raio X dos clubes
Engenharia Mackenzie (São Paulo)
Fundado em 1966
Primeiro campeonato de XV: Mac Med, 1966
Melhor colocação: estreante na divisão, campeão da divisão de Desenvolvimento em 2016
Última vitória contra o Tucanos: Engenharia Mackenzie 31 X 12 Tucanos (Paulista C – 28/05/2017)

Tucanos (São João da Boa Vista)
Fundado em 2005
Primeiro campeonato de XV: Campeonato Paulista do Interior, 2005
Melhor colocação: 3o lugar, 2016
Última vitória contra a Engenharia Mackenzie: Tucanos 36 X 14 Engenharia Mackenzie (Paulista Desenvolvimento – 26/04/2015)

 

Torcida da casa ligada no Desenvolvimento

A divisão de Desenvolvimento do Rugby paulista terá um confronto de gerações nesse fim de semana. Finalistas em todas as edições, o time B do SPAC lutará pelo bicampeonato diante dos Leões de Paraisópolis, um time onde a pouca idade esconde jogadores experientes forjados em um dos principais projetos sociais voltados para o esporte no país.

O decano do Rugby nacional dispensa apresentações. O SPAC foi por décadas a única casa do Rugby paulista e sua força está representada pelos 13 títulos nacionais, número ainda não alcançado por nenhum outro clube do país. Desde 2015, o clube abraçou a proposta da divisão de Desenvolvimento, formando o SPAC B com a mescla de jogadores veteranos com novatos e juniores, reforçando o laço de gerações que mantém o clube unido até os dias de hoje.

Apesar da campanha irregular com vaga assegurada somente na rodada final o SPAC garantiu o terceiro melhor ataque (uma posição abaixo dos Leões) e defesa de seu grupo (uma posição acima dos rivais desse sábado). Mostrando força na hora decisiva, os alvicelestes se recuperaram e venceram seus dois jogos no mata-mata para assegurar lugar em sua terceira decisão, onde esteve em todas as edições até aqui.

O Leões de Paraisópolis por sua vez cresceu a passos sólidos e lentos, construídos ao longo de quase 15 anos de atuação social e de foco educacional na zona sul da capital paulista no Instituto Rugby para Todos. O DNA do Pasteur, vindo de seus fundadores e adquirido à medida que muitos dos talentos revelados ali começaram a atuar nas categorias de base do clube francês, foi dando espaço para uma identidade esportiva própria nas categorias de base do clube, sempre marcando presença desde os festivais infantis até as categorias de base competitivas de São Paulo.

Os alunos do projeto cresceram e agora querem conquistar novos objetivos, e o primeiro passo foi dado em sua primeira campanha como time adulto, levando o segundo lugar no grupo e o bom momento do time se traduz na expressiva vitória sobre o São Roque na semifinal. Para a decisão, é possível que ambas equipes coloquem força máxima, com atletas que atuaram em clubes de divisões superiores ao longo do ano, o que proporcionará uma partida de elevado nível técnico e divertido para o público que comparecer ao SPAC.

Raio X dos clubes
SPAC (São Paulo)
Fundado em 1947
Primeiro campeonato de XV: 1964
Maior conquista: 13 títulos brasileiros
Última vitória sobre o Leões de Paraisópolis: Nunca venceu

Leões de Paraisópolis (São Paulo)*
Fundado em 2003
Primeiro campeonato de XV: 2017
Melhor colocação: –
Última vitória sobre o SPAC: Leões de Paraisópolis 25 X 19 SPAC (02/09/2017)
*considerando apenas jogos de XV na categoria adulta

 
Bullguer premiará os melhores jogadores das finais

Destino certeiro para os que procuram sanduíches de alta qualidade e ótimo custo-benefício, a Bullguer lançou tendência e iniciou um novo ciclo no mercado das hamburguerias paulistanas ao ser inaugurada em 2015 com lanches montados com capricho que a consolidou como pioneira e referência desde sua abertura. A marca já foi premiada como melhor “Bom e Barato” pela Veja São Paulo Comer e Beber e primeira colocada no ranking do hambúrguer da revista Viagem e Turismo.

E o público poderá saborear em primeira mão algumas de suas criações nesse sábado no SPAC, pois ela será o restaurante oficial das finais do Paulista de Rugby nesse ano, além de premiar o Man of the Match de cada uma das finais (escolhidos pelo público nas redes sociais e pelos treinadores), duas iniciativas inéditas em eventos da FPR.
 

Campeonato Paulista Série B – FINAL

versus copiar

Dia 21/10/2017 às 16h – Templários X ABC
Árbitro: Murilo Bragotto
Auxiliares de linha: Cauã Ricardo e Augusto Cambuzano
4o árbitro: Erika Weiss
Local: SPAC – São Paulo, SP

 

Campeonato Paulista Série C

versus copiar

Dia 21/10/2017 às 14h30 – Engenharia Mackenzie X Tucanos – FINAL
Árbitro: Victor Hugo Barboza
Auxiliares de linha: Mariano de Goycochea e Gabriel Perri
4o árbitro: Luciano Sampaio
Local: SPAC – São Paulo, SP

 

Dia 22/10/2017 às 15h – União X Piratas – Disputa de 3o lugar
Árbitro: Alexandre Castiglioni
Auxiliares de linha: Roger Santesso e Vinícius Hideo
4o árbitro: Luiz Dantas
Local: Arena Paulista de Rugby – São Paulo, SP

 

Campeonato Paulista de Desenvolvimento – FINAL

versus copiar

Dia 21/10/2017 às 13h – SPAC Desenvolvimento X Leões de Paraisópolis
Árbitro: Regis Dantas
Auxiliares de linha: Guilherme Zaparoli e João Pantano
4o árbitro: Mariana Costa
Local: SPAC – São Paulo, SP

 

Dia 22/10/2017 às 13h – Taubaté X Barueri – disputa de 11o lugar
Árbitro: Luciano Sampaio
Auxiliares de linha: Luiz Henrique e Hebert Ferreira
4o árbitro: Bárbara Martins
Local: SESI – Taubaté, SP

 

Foto: ABC x Templários – Melina Cestari