Foto: Brasil Rugby

ARTIGO COM VÍDEO – Farrapos e Poli fizeram uma final inédita para o Campeonato Brasileiro e, claro, o campeão foi inédito, a Poli. O time paulistano repetiu a dose do campeonato estadual e novamente ergueu a taça, com uma partida eficiente e de triunfo incontestável vencendo em pleno Estádio da Montanha, em Bento Gonçalves, pela primeira vez em sua história. O Farrapos, que chegava à final como o único invicto, não resistiu ao poderio da Poli, o time do momento no Brasil, e ficou com seu segundo vice campeonato nacional consecutivo. 30 x 25 para a Poli.

A primeira chance de try saiu logo no começo para a Poli, com Gelado quase marcando, mas o knock-on salvou o time gaúcho. A Poli já mostrava desde o início um ritmo superior e dominava o jogo territorialmente. Os primeiros pontos não tardaram a sair, com Zé arrematando com perfeição o primeiro penal, aos 9′.

A Poli seguiu mantendo o Farrapos longe de sua defesa e canalizando o jogo a seus avançados, com o campo encharcado favorecendo o jogo de contato. Aos 17′, Zé teve outra chance de penal, mas não foi feliz no chute. Sem problemas, pois no minuto seguinte ele próprio mostrou a genialidade e repetiu jogada que já havia chamado a atenção contra o São José nas quartas. Chute cruzado do fullback para Maranhão apanhar e cravar o primeiro try da partida para os paulistas. 10 x 00.

O Farrapos só foi descontar com penal chutado por Facundo aos 22′, mas aos 29′ coube a Zé devolver 3 pontos com novo penal para a Poli. Foi só depois de 30 minutos de jogo que os alviverdes puderam trabalhar a bola no ataque, emplacando uma série de fases bem defendidas pela Poli. Antes do intervalo, Facundo conseguiu chutar o segundo penal para o Farrapos, levando o duelo à pausa em 13 x 06. No fim, os gaúchos já haviam acumulado uma posse de bola considerável, mas quase toda ela concentrada na defesa e no meio campo. Jogo tático perfeito da Poli nos primeiros 40 minutos.

O segundo tempo começou com Zé perdendo penal, mas com a Poli novamente pressionando e ditando seu ritmo ao duelo. Aos 54′, Zé tentou outro chute cruzado para Maranhão, mas Lafa estava esperando e salvou os gaúchos. Por pouco tempo. O asa Sininho, um dos dos destaques da partida, ganhou mais de 20 metros, jogou a Poli ao campo ofensivo e na sequência das fases Valentin recebeu na ponta para finalizar o segundo try amarelo.

- Continua depois da publicidade -

O lance capital do jogou saiu logo na sequência, com  Erick tendo chute bloqueado por Sininho nas 22 de defesa, com o terceira linha politécnica anotando o try de um 27 x 06 que parecia intransponível.

O Farrapos não se entregou, lógico, e foi para cima apostando na força de seus avançados. A resposta foi rápida com try em maul finalizado por Angelo, que mantinha os alviverdes vivos. E o time da Serra Gaúcha brilhou aos 70′ com Duda chutando cruzado (ao “estilo Zé”) para Coghetto apanhar e marcar um belo try para os donos da casa.

O try parecia dar um fôlego final aos anfitriões, mas Pablo recebeu amarelo pouco depois e Zé aproveitou para chutar penal decisivo para os paulistas. 30 x 18. No fim, Angelo ainda marcou mais um try finalizando maul novamente, mas não havia mais tempo para os gaúchos. 30 x 25, números finais e Poli campeã na Montanha.

A última dobradinha (título estadual seguido de título nacional) no rugby brasileiro havia sido em 2016 com o Curiitba. Mas em São Paulo, estado do campeonato mais difícil entre os estaduais, a última dobradinha havia sido no distante ano de 2011, do São José.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Presida @giuliano.russo comentando o título inédito da @polirugby ! Festa uspiana em Bento! #culturaderugby #fanaticosporrugby

Uma publicação compartilhada por Portal Do Rugby (@portaldorugby) em

Clique aqui para conferir as fotos da partida!
25versus copiar30

Farrapos 25 x 30 Poli

Árbitro: Henrique Platais

Auxiliares: Victor Hugo Barboza e Cauã Ricardo

Local: Estádio da Montanha – Bento Gonçalves, RS

 

Farrapos

Tries: Angelo (2) e Coghetto

Conversões: Facundo (2)

Penais: Facundo (2)

 

Poli

Tries: Maranhão, Valentin e Sininho

Conversões: Zé (3)

Penais: Zé (3)

 

Lista de campeões

AnoCampeão 
1964SPAC
1965SPAC
1966SPAC
1967SPAC
1968SPAC
1969SPAC
1970São Paulo Barbarians
1971São Paulo Barbarians
1972FUPE
1973Medicina
1974SPAC
1975SPAC
1976*SPACNiterói
1977SPAC
1978SPAC
1979Niterói
1980Alphaville
1981Medicina
1982Alphaville
1983*NiteróiAlphaville
1984Niterói
1985Alphaville
1986Niterói
1987Pasteur
1988Bandeirantes
1989Alphaville
1990Niterói
1991Alphaville
1992Alphaville
1993Rio Branco
1994Pasteur
1995Bandeirantes
1996Desterro
1997Rio Branco
1998Rio Branco
1999SPAC
2000Desterro
2001Bandeirantes
2002São José
2003São José
2004São José
2005Desterro
2006Rio Branco
2007São José
2008São José
2009Bandeirantes
2010São José
2011São José
2012São José
2013SPAC
2014Curitiba
2015São José
2016Curitiba
2017Jacareí
2018Poli
2019-
*Títulos divididos
Ranking de campeõesCidade/EstadoTítulos
SPACSão Paulo (SP)13
São JoséSão José dos Campos (SP)9
Alphaville **Barueri (SP)7
NiteróiNiterói (RJ)6
Bandeirantes (Band Saracens)São Paulo (SP)4
Rio BrancoSão Paulo (SP)4
DesterroFlorianópolis (SC)3
CuritibaCuritiba (PR)2
Medicina USPSão Paulo (SP)2
PasteurSão Paulo (SP)2
São Paulo Barbarians**São Paulo (SP)2
JacareíJacareí (SP)1
PoliSão Paulo (SP)1
FUPE**São Paulo (SP)1
**Inativo/extinto