No Reino Unido, médicos pedem fim do rugby de contato nas escolas. World Rugby respondeu

Esta quarta-feira teve uma notícia dura vinda do Reino Unido. Um grupo de mais de 70 médicos britânicos enviou uma carta ao para o governo do país pedindo o banimento do rugby de contato nas escolas.

 

Os argumento do grupo é o risco de lesão em jovens e crianças que o tackle e as formações do rugby pode propiciar. De acordo com tais médicos, 2/3 das lesões durante atividades de rugby ocorrem por conta de tackle e, com isso, eles exigem que as escolas adotem apenas o Tag e o Touch Rugby. A preocupação deles aumentou com o plano da RFU (a União Inglesa de Rugby) der ter 1 milhão de crianças jogando rugby na Inglaterra. Clique aqui para saber mais.

 

Na Austrália, na África do Sul e na Nova Zelândia, o tackle costuma ser permitido em todas as escolas.

 

World Rugby responde afirmativamente

O World Rugby manifestou-se prontamente hoje, assim como a RFU, a SRU (União Escocesa de Rugby) e a WRU (União Galesa de Rugby). A entidade máxima do rugby mundial ressaltou, como sempre, sua preocupação com a segurança dos jogadores e seu trabalho de desenvolvimento do rugby sem contato (focado no Tag Rugby). O World Rugby anda afirmou que a carta dos médicos vem em um momento no qual há mais mortes registradas por conta da inatividade do que por conta até mesmo da obesidade e que, com isso, ainda que a segurança seja importante, ela não deve se impor por completo sobre o problema da inatividade.

 

A entidade ainda destacou que estudos apontam que o rugby não causa mais lesões entre jovens do que o futebol ou o rugby league. Clique aqui para ver a resposta do World Rugby para o caso.

Comentários