O rugby sul-africano está hoje dividido – mas em acordo. O país contava até 2017 com 6 franquias no Super Rugby – Bulls, Stormers, Lions, Sharks, Cheetahs e Kings – mas teve seu número reduzido para 4. Cheetahs e Kings foram excluídas do Super Rugby e migraram para o PRO14 europeu. Desde o fim de 2017, são 6 times sul-africanos de elite jogando 2 grandes ligas mundiais. E essa parece ser uma tendência.

A União Sul-Africana de Rugby (SARU) confirmou que está buscando novos ares para mais de suas equipes. Depois de uma processo seletivo, a SARU selecionou Griquas e Mpumalanga Pumas, considerados hoje as duas melhores equipes provinciais abaixo das 6 grandes, para integrarem alguma liga internacional no futuro, caso apareça a oportunidade.

Com isso, a SARU sinaliza que está de fato negociando a exportação de suas equipes, seja em uma expansão do PRO14, seja com a entrada e uma terceira liga em outro continente.

Com calendário dissonantes entre PRO14 e Super Rugby, a Currie Cup – o Campeonato Sul-Africano tradicional – deverá ser encurtada para 2018, com a primeira divisão devendo contar com apenas 7 times jogando em turno único.

- Continua depois da publicidade -

 

Foto: Griquas – Griquas (verde) x Pumas (rosa)