Biarritz salvo da falência e Bordeaux mais rico que nunca

O dinheiro é sempre um dos principais assuntos quando se trata de rugby francês. A grande notícia desta semana veio de Biarritz, mas ainda não é sobre a possível fusão com o Bayonne, que estás cada vez mais próxima, sobretudo após a LNR – Liga Nacional de Rugby da França – e a FFR – Federação Francesa de Rugby – darem seu aval à junção dos clubes bascos.

 

Nesta semana, a prefeitura de Biarritz injetou 1,5 milhões de euros no clube da cidade para evitar sua falência e rebaixamento à terceira divisão por falta de garantias financeiras. Salvo da falência, o clube poderá disputar a Pro D2, a segunda divisão nacional.

 

Bordeaux mais rico

Surpreendentemente dono da maior média de público do Top 14, o Bordeaux abriu seu capital em Hong Kong e já conta com um novo investidor, o empresário francês Louis-Vincent Gave, radicado na cidade chinesa. O Bordeaux assina, assina, uma aproximação com o mercado chinês e busca mais parcerias na região.

 

Liga francês investiga clubes por quebra de teto salarial

A LNR e o DNACG – órgão que controla as finanças das equipes esportivas francesas – estão de olho na quebra do teto salarial da parte de alguns clubes do Top 14. Preservando a identidade dos possíveis infratores, a LNR revelou que ao menos dois clubes já estão sob investigação com relação à última temporada. Atualmente, o teto salarial da liga é de 10 milhões de euros por temporada para cada clube, limitado a tal quantia em pagamento de salários aos seus atletas. A partir da próxima temporada, os bônus pagos por vitória também passarão a ser considerados no teto.

 

Além disso, a liga também confirmou que cinco clubes não cumpriram a JIFF, regra que obriga as equipes do Top 14 a terem ao menos 12 atletas formados na França entre os 23 escalados para uma partida. Foram eles Brive, Bayonne, La Rochelle, Lyon e Oyonnax. Por sua parte, todos os clubes da Pro D2, a segunda divisão, cumpriram tal regra.

Comentários