Brasil tem lista de 26 nomes para a Taça dos Hemisférios

Nessa sexta-feira, dia 17, às 17h00, Brasil e Quênia se enfrentarão em Macapá, no Estádio Zerão, pela chamada Taça dos Hemisfério. O amistoso, que terá transmissão ao vivo do SporTV, será o único dos Tupis em junho e marcará a primeira partida na história da seleção na região Norte do país.

 

O confronto opõe países próximos no Ranking Mundial, com o Brasil ocupando hoje o 35º lugar e o Quênia o 27º. Essa será a segunda partida na história entre os dois países no XV, sendo que o único confronto até hoje ocorreu em 2011 em Dubai, pela Emirates Cup of Nations, quando o Brasil perdeu para os quenianos por 27 x 25. Hoje, Rodolfo Ambrosio, técnico do Brasil, anunciou sua lista final de 26 jogadores que viajaram para o test match, aproveitando a partida para testar fazer rodar o elenco. O XV titular ainda não foi revelado.

 

Com relação à equipe que venceu o Paraguai, o grupo brasileiro para o jogo de Macapá manteve 18 dos 23 atletas convocados, tendo como ausências Stefano, Muller, Paganini, Diegão e Bergo. Tanque segue como baixa após se lesionar na viagem do sevens brasileiro à Europa. O jogo de sexta se apresentou como chance para Ambrosio testar alguns jovens valores com experiência recente na seleção juvenil, como o pilar Texugo (ou Tarugo), de 20 anos, o scrum-half Cruz, também de 20 anos e com experiência prévia já na equipe principal e no sevens, e o abertura Leo “Ilha” Ceccarelli, de apenas 18 anos. Robert Tenório também ganha nova chance na ponta da equipe, ao passo que dois atletas vindos do exterior serão testados, ambos para o pack: o segunda linha Pedro Bengaló, do Cascais, de Portugal, e o terceira linha Luan Smanio, de 22 anos, que teve experiência no CUS Roma, da segunda divisão da Itália, e hoje está no NaFor, de Natal/Fortaleza.

 

banner padrim

 

Da equipe convocada para amanhã, Nick e Moisés são os únicos remanescentes da seleção que enfrentou o Quênia em 2011 (foto acima). Naquela oportunidade, o Brasil entrara em campo com: 1- Ramiro “Mocho” Mina, 2- Daniel “Nativo” Danielewicz, 3- Júlio “Panda” Figallo, 4- Lucas Croffi, 5- Vitor Medeiros, 6- Henrique Dantas, 7-Diego Lopez, 8-Nick Smith, 9- Felipe “Alemão” Claro, 10- Lucas “Tanque” Duque, 11- Juli Menutti, 12- Felipe Zeni, 13- Moisés Duque, 14- Daniel Gregg e 15- Rafael Dawalibi; tendo como suplentes: 16- Danilo “Vermelho” Lima, 17- Jardel Vettorato, 18- Jardel “Cocão” Mendonça, 19- Reges Comoreto, 20-Diogo Borges, 21- Martin Schaefer, 22- Eduardo “Du” Garcia.

 

O Quênia, por sua vez, não contará com seus atletas de seu renomado sevens, poupados para o Rio 2016, e com o oitavo Joshua Chisanga, do Newcastle Falcons, talvez principal nome de sua seleção no momento. Os Simbas (como são conhecidos os quenianos) usarão o duelo para testar alguns nomes, já de olho na Copa da África, que começa para os Simbas no dia 9 de julho, quando visitam o Zimbábue. O treinador Jerome Paarwater 11 de seus 23 jogadores que disputaram a Copa da África de 2015, na qual os Simbas terminaram com o terceiro lugar, vencendo a Tunísia e caindo contra Zimbábue e Namíbia. Este é também o início de um novo ciclo de trabalho para os quenianos de olho na construção de um time capaz de vencer a Copa da África de 2018, que valerá vaga na Copa do Mundo de 2019. Pelo foco histórico dos quenianos no sevens, é esperável uma linha muito perigosa, unindo velocidade e potência. Porém, a tendência da partida é ver o Brasil levar superioridade no pack de forwards, setor que os quenianos mais sofrem na Copa da África contra adversários físicos como a Namíbia.

 

Sexta-feira, dia 17 de junho

tupi logoversus copiarquenia%282%29

17h00 – Brasil x Quênia, em Macapá – SporTV AO VIVO

Árbitro: Alejandro Longres (Uruguai) / Assistentes: Murilo Bragotto e Régis Dantas (Brasil)

 

Brasil

Avançados: Alexandre ‘Texugo’ Alves (Desterro), Caique Silva (NaFor), Jonatas ‘Chabal’ Paulo (Bandeirantes Saracens), Luan ‘Big Mike’ Almeida (Jacareí), Lucas Abud (SPAC), Pedro Bengalo (Cascais, Portugal), Yan Rosetti (CUBA, Argentina), Wilton Rebolo (São José), Luiz Gustavo ‘Monstro’ Lemes Vieira (Oyonnax, França), Matheus Wolf (Joaca), Mark “Wacko” Jackson (Desterro), André Arruda (Desterro), Cleber ‘Gelado’ Dias (Wallys), João Luis da Ros ‘Ige’ (Desterro), Luan Soares Smanio (NaFor), Nick Smith (SPAC).

 

Linha: Beukes Cremer (Poli), Matheus Cruz (Jacareí), Leonardo Cecarelli (Jacareí), Moisés Duque (São José), Laurent Bourda-Couhet (Bandeirantes Saracens), Felipe Sancery (São José), Mateus Estrela (Niterói), Guilherme Coghetto (Desterro), Robert Tenório (Pasteur), Daniel Sancery (São José).

 

Quênia

Avançados: Moses Amusala (KCB), Curtis Lilako (KCB), Joseph Kang’ethe (Nairobi Harlequins), James Kang’ethe (Nairobi Harlequins), Sammy Warui (Top Fry Nakuru), Peter Karia (KCB), Oliver Mang’eni (KCB), Simon Muniafu (Impala Saracens), Eric Kerre (Impala Saracens), Brian Nyikuli (Pan Africa Strathmore Leos), Tony Owuor (Pan Africa Strathmore Leos), Dan Sikuta (Mwamba), Mike Okombe (Top Fry Nakuru)


Linha: Edwin Achayo (Kabras Sugar), Samson Onsomu (Impala Saracens), Nato Simiyu (Resolution Impala Saracens), Isaac Adimo (Nairobi Harlequins), Nick Barasa (Kabras Sugar), David Ambunya (Nairobi Harlequins), Darwin Mukidza (KCB), Dennis Muhanji (Nairobi Harlequins), Vincent Mose (Impala Saracens), Tony Onyango (Pan Africa Strathmore Leos).

Foto: Brasil x Quênia, 2011.

Comentários