ARTIGO COM VÍDEOS – ATUALIZADO – Singapura é uma etapa nova na Série Mundial de Sevens e no ano passado produziu logo uma surpresa com o Quênia sendo campeão. Em 2017, não foi diferente e pela primeira vez em sua história o Canadá se sagrou campeão de uma etapa do circuito masculino, vencendo os Estados Unidos em uma inusitada grande final norte-americana no Sudeste Asiático.

 

A África do Sul, líder do circuito, caiu nas quartas de final, mas derrotou Fiji nas semifinais pelo 5º lugar e conseguiu aumentar sua frente para o vice líder para 25 pontos, com apenas duas etapas para o final, tendo tudo para levantar a taça em Paris, no penúltimo torneio, nos dias 13 e 14 de maio. E na luta contra o rebaixamento a Rússia deu um passo crucial para se livrar da rabeira batendo o Japão nas semifinais pelo 13º lugar, abrindo 9 pontos de frente sobre o lanterna. O destaque negativo do torneio foi o público baixo no lindo Singapore Sports Hub.

 

- Continua depois da publicidade -

Tudo normal no primeiro dia

O primeiro dia de disputas em Singapura não produziu grandes surpresas, com os favoritos prevalecendo. Fiji levou a melhor no Grupo A, Austrália ficou em primeiro no Grupo C (batendo o campeão de 2016, Quênia), enquanto a Nova Zelândia foi sólida e ficou na ponta no Grupo D. O destaque ficou com o Grupo B, que teve a Inglaterra derrotando a África do Sul na disputa pelo primeiro lugar. 17 x 12, com Dan Norton fazendo o try da vitória inglesa. Nota também para o triunfo do convidado Hong Kong sobre a Rússia, 26 x 19, sendo mais um time convidado a deixar um torneio com vitória.

 

Tudo atípico nas quartas de final

As quartas de final começaram com surpresas. Primeiro, os Estados Unidos voltaram a brilhar derrotando Fiji, 24 x 19, com Tomasin e Pinkelman brilhando com 2 tries cada. Depois, foi a vez da Austrália despachar a África do Sul com 19 x 17, graças ao try decisivo do novato Lachie Anderson no apagar das luzes. A sequência foi mais surpreendente, com o Canadá frustrando a Nova Zelândia, 26 x 14, com um show de Nathan Hirayama, guardando um hat-trick (3 tries). Por fim, a Inglaterra comemorou sofrida vitória sobre o Quênia, 13 x 12, decidida com um atípico penal de Bibby com o tempo esgotado.

 

Nas disputas menores, a Rússia festejou uma vitória crucial nas semifinais pelo 13º lugar sobre o Japão, 24 x 21, mas caiu na decisão contra a Argentina. Os Pumas fizeram um torneio ruim, perderam nas quartas para a França e só se recuperaram com o 13º lugar. Já na disputa pelo Challenge Trophy, a França logo caiu contra a Escócia, mas quem emergiu triunfante com o 9º lugar foi Gales, vencendo os escoceses em dérbi britânico por 24 x 12.

 

Pelo 5º lugar, a África do Sul se reergueu do tombo nas quartas batendo Fiji em partida importante pelo campeonato geral, 19 x 14, com Cecil Afrika correndo para 2 tries. Do outro lado, deu All Blacks sobre o Quênia. Já na decisão, os neozelandeses, enfim, festejaram um triunfo sobre os sul-africanos, vencendo por 17 x 12.

 

Momento norte-americano

Nas semifinais principais, os Estados Unidos largaram avassaladores, aplicando 40 x 07 para cima da Austrália, com Tomasin fazendo 2 tries e o craque Perry Baker cravando outros 2. Já o Canadá produziu nova zebra batendo a Inglaterra por 17 x 05, com Douglas, a 1 minuto do fim, e Fuailefau, no lance final, cravando os tries de uma emocionante vitória dos Canucks. Os ingleses ainda se reergueriam ficando com o bronze, com vitória sobre os nocauteados aussies, 14 x 12.

 

A grande final foi do mais alto nível entre os vizinhos. O Canadá começou atropelando, cravando 3 tries em questão de 2 minutos, com Mullens, Jones e Fuailefau, abrindo 19 x 00. A resposta das Águias começou antes do intervalo, com tries de Baker e Hughes, reduzindo a 19 x 12. E no segundo tempo o imparável Baker correu para o try do empate. Os EUA pressionaram e tiveram tudo para virar, com um try anulado no limite. E quem não faz, leva. O Canadá teve sua chance e não desperdiçou, com Hammond guardando o try do histórico primeiro título canadense. 26 x 19.

 

O canadense Hirayama foi eleito o melhor do torneio, enquanto o galês Sam Cross liderou as estatísticas de performance. Para o “dream team” do torneio foram nomeados três estadunidenses, Tomasin, Baker e Barrett, e dois canadenses, Hirayama de Justin Douglas. O ótimo Kennewell, da Nova Zelândia, e Nacuqu, de Fiji, fecharam o grupo dos melhores.

 

Singapore Sevens – 8ª etapa da Série Mundial de Sevens Masculina 2016-17

Sábado, dia 15 de abril

Argentina 07 x 22 Quênia

Austrália 19 x 12 Samoa

Inglaterra 14 x 24 França

África do Sul 52 x 00 Japão

Canadá 28 x 15 Rússia

Fiji 40 x 00 Hong Kong

Nova Zelândia 22 x 21 Escócia

Estados Unidos 35 x 19 Gales

 

Argentina 17 x 07 Samoa

Austrália 29 x 07 Quênia

Inglaterra 40 x 10 Japão

África do Sul 10 x 07 França

Canadá 34 x 00 Hong Kong

Fiji 38 x 07 Rússia

Nova Zelândia 36 x 14 Gales

Estados Unidos 33 x 26 Escócia

 

Quênia 17 x 07 Samoa

Austrália 19 x 07 Argentina

França 14 x 21 Japão

África do Sul 12 x 17 Inglaterra

Rússia 19 x 26 Hong Kong

Fiji 35 x 07 Canadá

Escócia 19 x 21 Gales

Estados Unidos 14 x 21 Nova Zelândia

 

Grupo A: 1 Fiji, 2 Canadá, 3 Hong Kong, 4 Rússia

Grupo B: 1 Inglaterra, 2 África do Sul, 3 Japão, 4 França

Grupo C: 1 Austrália, 2 Quênia, 3 Argentina, 4 Samoa

Grupo D: 1 Nova Zelândia, 2 Estados Unidos, 3 Gales, 4 Escócia

Domingo, dia 16 de abril

Quartas de final do Challenge Trophy – 9º lugar

Hong Kong 15 x 26 Escócia

Argentina 24 x 26 França

Gales 19 x 12 Rússia

Japão 14 x 26 Samoa

 

Quartas de final Ouro

Fiji 19 x 24 Estados Unidos

Austrália 19 x 17 África do Sul

Nova Zelândia 14 x 26 Canadá

Inglaterra 13 x 12 Quênia

 

Semifinais pelo 13º lugar

Hong Kong 07 x 33 Argentina

Rússia 24 x 22 Japão

 

Semifinais pelo Challenge Trophy (9º lugar)

Escócia 31 x 12 França

Gales 19 x 14 Samoa

 

Semifinais pelo 5º lugar

Fiji 14 x 19 África do Sul

Nova Zelândia 24 x 21 Quênia

 

Semifinais pelo Ouro

Estados Unidos 40 x 07 Austrália

Canadá 17 x 05 Inglaterra

 

Finais

Decisão do 13º lugar – Argentina 40 x 19 Rússia

Final do Challenge Trophy – Escócia 12 x 24 Gales

Decisão do 5º lugar – África do Sul 12 x 17 Nova Zelândia

Decisão do Bronze – Austrália 12 x 14 Inglaterra

FINAL Ouro – Estados Unidos 19 x 26 Canadá

 

SeleçãoPontuação totalEtapa 1Etapa 2Etapa 3Etapa 4Etapa 5Etapa 6Etapa 7Etapa 8Etapa 9Etapa 10
África do Sul19222192222221919122213
Inglaterra16417221019132210171519
Fiji1501913191319172210108
Nova Zelândia13710171217151313131710
Estados Unidos129810512171515191315
Austrália11313571512101715712
Escócia109121517153871922
Canadá983315310101022517
Argentina905713101012123810
Gales731510510382857
França661081075155105
Quênia63512828571015
Samoa5171357715123
Rússia291528115222
Japão201115223131
- 4 melhores entre Argentina, Samoa, Escócia, Canadá, Rússia e Japão irão à Copa do Mundo de Sevens de 2018;
- 15º colocado = rebaixamento;
PS: nossa tabela não mostra a pontuação das equipes convidadas


Pontuação:
1º - 22 pontos; 2º - 19 pts; 3º - 17 pts; 4º - 15 pts;
5º - 13 pts; 6º - 12 pts; 7º e 8º - 10 pts;
9º - 8 pts; 10º - 7 pts; 11º e 12º - 5 pts;
13º - 3 pts; 14º - 2 pts; 15º e 16º - 1 pt.

 

Foto: Martin Seras Lima/World Rugby