A França conheceu neste fim de semana os finalistas do Top 14! Enquanto a Premiership e o PRO12 vivam suas fiinais, a França estava uma rodada “atrás”, respirando a fase de semifinais. E o Campeonato Francês terá dois rivais recentes na decisão, Clermont e Toulon, que fizeram a grande final da Copa Europeia duas vezes, em 2013 e 2015 (com vitórias do Toulon nas duas vezes), mas que, curiosamente, jamais se enfrentaram na final do Top 14. Para alcançar a decisão, o Toulon despachou o melhor time da primeira fase, o La Rochelle, vencendo na sexta-feira por 18 x 15, ao passo que o Clermont resistiu ao atual campeão Racing e triunfou por 37 x 31, recuperando-se do baque da derrota na final europeia há duas semanas contra o Saracens.

 

A grande final será no domingo que vem, no Stade de France, em Paris, casa neutra para os dois clubes.

 

- Continua depois da publicidade -

La Rochelle desaba quando não podia

Dono da melhor campanha na temporada regular, o La Rochelle sofreu o revés que é motivo sempre das reclamações dos críticos dos mata-mata. Em uma só partida, todo o trabalho da temporada do pequeno notável da costa atlântica foi por água abaixo diante do milionário Toulon, que fez temporada sofrida ao longo do ano.

 

As semifinais aconteceram em Marselha, campo neutro no papel, mas vizinha de Toulon. Portanto, o Stade Vélodrôme esteve mais rubronegro do que aurinegro e o La Rochelle cedeu à pressão. O Toulon levou a partida a se desenrolar do jeito que prefere, na base, no contato físico e nas penalidades, produzindo uma batalha de penais entre Leigh Halfpenny e Brock James e reduzindo a efetividade do aclamado jogo aberto de offloads do La Rochelle. O australiano deu o ar da graça no primeiro tempo com um drop goal preciso aos 20′ e mais 2 penais levou a peleja em 9 x 6 a favor dos Rochellais ao intervalo.

 

James ampliou a vantagem para 15 x 6 em questão de 5 minutos da volta dos vestiários, mas tudo mudou aos 51′ quando o centro do La Rochelle Pierre Aguillon recebeu cartão vermelho por tackle perigoso em James O’Connor. Halfpenny não perdoou e precisou de 17 minutos para empatar a partidas em 15 x 15 com mais 3 penais, jogando com instabilidade do La Rochelle. James saiu de campo e coube a Zack Holmes os chutes ao H. O outro australiano do La Rochelle, no entanto, não estava em seu dia e teve duas chances de ouro para dar a vitória a seu time, com penais aos 72′ e aos 75′, mas jogou ambos para fora. E aos 80′, o time das estrelas foi salvo por uma jovem promessa. Anthony Belleau, de 21 anos, assumiu a responsabilidade e chutou o drop goal da vitória do Toulon por 18 x 15.

 

la rochelle15versus copiar18Toulon copy

La Rochelle 15 x 18 Toulon, em Marselha

 

Clermont renasce mais uma vez

No sábado, foi a vez de Marselha assistir ao Clermont, segundo melhor da temporada regular, encarar o Racing, atual campeão francês. Os dois times chegavam ao jogo com anos marcantes negativamente. O Racing ainda tinha à sua sombra a crise gerada pela tentativa de fusão com o Stade Français, enquanto o Clermont vinha de mais um insólito vice campeonato europeu, quando caiu pela terceira vez na final da Champions Cup, perdendo desta vez para o Saracens.

 

A derrota na final continental era justamente a última partida que o Clermont havia disputado, mas a semana a mais de folga fez bem aos comandados do técnico Franck Azéma. Porém, o Racing também vinha embalado com vitória sobre o Montpellier fora de casa na repescagem para as semifinais. O saldo foi um jogão entre os dois gigantes que terminou com a recuperação do Clermont, agora na busca de seu primeiro título francês desde 2010.

 

O jogo começou todo favorável aos amarelos. Dan Carter começou colocando pressão a favor do Racing, com penal aos 9′, mas o Clermont jogava mais solto e, aos 18′, Penaud marcou o primeiro try, depois de boa jogada de Strettle. Carter descontou novamente para os parisienses, mas o ataque dos Vulcões era insaciável e, aos 27′, Camille Lopez guardou o segundo try, com armação de Morgan Parra. 19 x 06 na primeira etapa.

 

O segundo tempo, todavia, começou desastroso para o Clermont, com o sul-africano Flip van der Merwe recebendo cartão vermelho logo aos 41′. A situação, no entanto, não deteriorou e Lopez correu para seu segundo try no jogo aos 47′, premiando a ofensividade amarela, que optou por sair jogando em penal nas 22. E o Racing jogou fora a chance de capitalizar com o homem a mais quando logo depois Chris Masoe recebeu amarelo, deixando a partida em 14 contra 14. Na ausência do neozelandês, Fritz Lee cravou o quarto try do Clermont, parecendo liquidar a fatura.

 

Mas o Racing não havia morrido. Com 15 homens de novo no fim do jogo, o time de Paris foi para cima e conquistou uma sequência de 3 tries, com o próprio Masoe fazendo 2 e Tameifuna marcando o último, mas já com o tempo esgotado. Sem chance para a virada e vitória heroica do Clermont por 37 x 31. Agora, o time da Auvérnia terá mais uma chance de superar a síndrome de vice.

 

clermont copy copy37versus copiar31

Clermont 37 x 31 Racing, em Marselha

 

Final – domingo, dia 04 de junho

clermont copy copyversus copiarToulon copy

15h45 – Clermont x Toulon, em Paris

 

Foto: Clermont x Racing – LNR