Inglaterra faz história na Austrália, enquanto All Blacks vencem Gales

ARTIGO COM VÍDEOS – O sábado de amistosos largou com Nova Zelândia e Inglaterra festejando suas vitórias nas séries contra Gales e Austrália. Os All Blacks se impuseram contra Gales por 36 x 22 em Wellington, garantindo a segunda vitória em dois jogos contra os Dragões. Depois, veio o grande jogo do dia, em Melbourne, onde a Inglaterra bateu pela segunda vez seguida a Austrália em solo australiano e assegurou a conquista da série. 23 x 7, menos de um ano depois dos ingleses caírem em casa na Copa do Mundo contra a Austrália, que viria a ser a vice campeã mundial. Eddie Jones em graça com a torcida.

 

All Blacks vencem série, mas Gales segue de cabeça erguida

No Westpac Stadium, a Nova Zelândia manteve sua invencibilidade histórica em casa contra Gales com uma vitória por 36 x 22 sem grandes sustos.

 

A partida começou parelha. Biggar abriu o placar com penal aos 17′ para os galeses, mas os All Blacks responderam com uma linha fulminante completada por Israel Dagg, voltando a marcar com a camisa preta. Aaron Cruden ampliou ao 30′ com penal para os donos da casa, mas antes do intervalo Alun Wyn Jones deixou tudo igual, em jogada muito bem trabalhada que teve passe longo de Jonathan Davies para o segunda linha aparecer na ponta para o try. 10 x 10 no intervalo.

 

Contudo, a reação vermelha parou. A Nova Zelândia aplicou 26 pontos sem resposta em um segundo tempo avassalador. O primeiro saiu com Ben Smith, aos 52′, depois de brilhante quebra de linha de Beauden Barrett. O próprio Barrett acharia o espaço pelo meio da defesa galesa aos 55′ para o segundo try. O atropelo seguiu e, aos 60′, Naholo finalizou outra linha de passes perfeita. Já aos 66′ veio a cereja no bolo, com uma linha de passes saindo das 22 de defesa e sendo completada por Ardie Savea, que correu para seu primeiro try com a camisa dos All Blacks. 36 x 10.

 

No fim, Gales ainda teve seu brilho com Liam Wlliams e Jonathan Davies fazendo dois tries de honra. Crotty ainda cruzaria o in-goal para a Nova Zelândia, mas seu try seria anulado por pisar na linha. Fim de jogo, 36 x 22. As duas seleções fecham a série em Dunedin no próximo sábado.

 

all blacks logo36versus copiar22gales

Nova Zelândia 36 x 22 Gales, em Wellington

Árbitro: Jaco Peyper (África do Sul)

 

Nova Zelândia

Tries: Dagg, Ben Smith, Barrett, Naholo e Ardie Savea

Conversões: Cruden (1) e Barrett (3)

Penais: Cruden (1)

15 Israel Dagg, 14 Ben Smith, 13 Malakai Fekitoa, 12 Ryan Crotty, 11 Waisake Naholo, 10 Aaron Cruden, 9 Aaron Smith, 8 Kieran Read (c), 7 Sam Cane, 6 Jerome Kaino, 5 Sam Whitelock, 4 Brodie Retallick, 3 Owen Franks, 2 Dane Coles, 1 Joe Moody.

Suplentes: 16 Nathan Harris, 17 Wyatt Crockett, 18 Charlie Faumuina, 19 Patrick Tuipulotu, 20 Ardie Savea, 21 TJ Perenara, 22 Beauden Barrett, 23 Seta Tamanivalu.

 

Gales

Tries: Alun-Wyn Jones, Liam Williams e Jonathan Davies

Conversões: Biggar (2)

Penais: Biggar (1)

15 Rhys Patchell, 14 Liam Williams, 13 Jonathan Davies, 12 Jamie Roberts, 11 Hallam Amos, 10 Dan Biggar, 9 Rhys Webb, 8 Taulupe Faletau, 7 Sam Warburton (c), 6 Ross Moriarty, 5 Alun Wyn Jones, 4 Luke Charteris, 3 Samson Lee, 2 Ken Owens, 1 Gethin Jenkins.

Suplentes: 16 Scott Baldwin, 17 Rob Evans, 18 Tomas Francis, 19 Bradley Davies, 20 Ellis Jenkins, 21 Gareth Davies, 22 Rhys Priestland, 23 Scott Williams.

Inglaterra pela primeira vez vence série fora de casa contra os Wallabies

Em Melbourne, a Inglaterra provou ao mundo que hoje briga de vez pela condição de uma das melhores equipes do mundo. Sob o comando de Eddie Jones, os fantasmas da Copa do Mundo foram de vez espantados com uma grande vitória sobre a Austrália de Michael Cheika, que já recebe críticas e precisa mexer em seu time até o Rugby Championship para não virar coadjuvante. Foi a primeira vez na história que a Inglaterra venceu uma série de tests contra os Wallabies na Austrália.

 

A primeira chance de pontuar foi inglesa, com Farrell desperdiçando o primeiro penal. Mas, o primeiro try dos visitantes saiu aos 18′, com maul poderoso finalizado pelo capitão Dylan Hartley, depois de penal chutado para a lateral.

 

Farrell ampliou com penal aos 31′, mas os Wallabies passaram a dominar por completo as ações e responderam na mesma moeda, com maul devastador finalizou pelo também capitão Stephen Moore, levando o duelo em 10 x 7 para o intervalo, com o primeiro tempo se encerrando em avassaladores 69% de posse de bola para os Wallabies, que mostraram força no jogo de contato, alcançando 98% de sucesso nos rucks, mas cederam mais que o dobro de turnovers aos ingleses, com brilhante partida do inglês Haskell, com 21 tackles certeiros.

 

O segundo tempo seguiu com a Austrália dominando a posse de bola, mas parando no ferrolho defensivo inglês e caindo em seus próprios erros com a bola em mãos. Farrell puniu os Wallabies com novo penal aos 52′, quando a linha aussie levava perigo, em especial com Kerevi.

 

O golpe fatal inglês veio aos 73′, com Courtney Lawes causando estrago na linha australiana e Jamie George surpreendendo os aussies com um chute apanhado por Farrell. Try e jogo ganho para a Rosa. No fim, Farrell ainda chutaria um último penal, fechando a vitória por 23 x 7. Muita festa do lado branco e decepção para os amarelos. A Inglaterra de Jones fez história.

 

Wallabies copy07versus copiar23england rugby

Austrália 07 x 23 Inglaterra, em Melbourne

Árbitro: Craig Joubert (África do Sul)

 

Austrália

Try: Moore

Conversão: Foley (1)

15 Israel Folau, 14 Dane Haylett-Petty, 13 Tevita Kuridrani, 12 Samu Kerevi, 11 Rob Horne, 10 Bernard Foley, 9 Nick Phipps, 8 Sean McMahon, 7 Michael Hooper, 6 Scott Fardy, 5 Sam Carter, 4 Rory Arnold, 3 Sekope Kepu, 2 Stephen Moore (c), 1 James Slipper.

Suplentes: 16 Tatafu Polota-Nau, 17 Toby Smith, 18 Greg Holmes, 19 Dean Mumm, 20 Ben McCalman, 21 Nick Frisby, 22 Christian Leali’ifano, 23 Luke Morahan.

 

Inglaterra

Tries: Hartley e Farrell

Conversões: Farrell (2)

Penais: Farrell (3)

15 Mike Brown, 14 Anthony Watson, 13 Jonathan Joseph, 12 Owen Farrell, 11 Jack Nowell, 10 George Ford, 9 Ben Youngs, 8 Billy Vunipola, 7 James Haskell, 6 Chris Robshaw, 5 George Kruis, 4 Maro Itoje, 3 Dan Cole, 2 Dylan Hartley (c), 1 Mako Vunipola.

Suplentes: 16 Jamie George, 17 Matt Mullan, 18 Paul Hill, 19 Joe Launchbury, 20 Courtney Lawes, 21 Jack Clifford, 22 Danny Care, 23 Elliot Daly.

Comentários