Com drama, Nova Zelândia cresce na Série Mundial e é campeã em Wellington

ARTIGO COM VÍDEOS – A Nova Zelândia ressurgiu na Série Mundial de Sevens! Depois de dois torneios decepcionante em Dubai e na Cidade do Cabo, os All Blacks Sevens souberam fazer valer o apoio da torcida e conquistaram em casa a etapa de Wellington, pulando para o terceiro lugar da classificação geral.

 

Contudo, África do Sul e Fiji, que lideravam o circuito em igualdade, também foram bem e não deixaram os neozelandeses reduzirem muito a diferença. Os Boks terminaram com o vice e agora lideram isoladamente a temporada, seguidos de perto pelos fijianos, que acabaram com o terceiro lugar. O Japão, equipe convidada da etapa, e que estará no Qualificatório de Hong Kong, foi bem e alcançou o Bowl, estando hoje acima na classificação geral de Portugal e Rússia, equipes centrais.

 

O torneio que marcou a estreia de Sonny Bill Williams pela seleção neozelandesa de sevens começou quente na fase de grupos, mas sem surpresas. O duelo entre Nova Zelândia e África do Sul pelo Grupo A, fechando a primeira fase, era o mais aguardado, e foi coroado com emoção até o fim. Kolbe cruzou o in-goal para dar o try que parecia da vitória para os sul-africanos, a segundos do fim, mas a Nova Zelândia foi capaz de manter a bola viva com o tempo esgotado e Sonny Bill desferiu um offload para Webber correr para o try da vitória dos anfitriões, 19 x 14.

 

Nas quartas de final, novamente prevaleceram os favoritos. Nova Zelândia e Inglaterra não tiveram problemas para passarem por Quênia e Argentina, respectivamente, ao passo que a África do Sul se impôs sobre a Austrália por 26 x 14, com Senatla, artilheiro em tries da temporada, cruzando duas vezes o in-goal. Fiji teve vida mais dura contra o forte time dos Estados Unidos, mas venceu por 21 x 12, com Kunatani fazendo o try decisivo aos 5′ do segundo tempo. A decepção ficou por conta da França, que, depois de acabar em terceiro lugar em seu grupo, caiu diante do Japão nas quartas de final do Bowl, mesmo com Martial e Ouedraogo em campo.

 

As semifinais mostraram a força de All Blacks e Boks, e preocuparam os fijianos. No primeiro jogo, a Nova Zelândia atropelou a Inglaterra, 25 x 5, depois de abrir 20 x 0. Na sequência, foi a vez da África do Sul aplicar 31 x 0 sobre Fiji, em jogo irreconhecível do time de Ben Ryan. Kolbe, com três tries, foi o nome da partida para os verdes.

 

Fiji ainda se recuperaria nas finais menores, vencendo a Inglaterra na decisão de terceiro lugar, 24 x 12. O Plate ficou nas mãos da Austrália, que bateu os Estados Unidos na semifinal, 17 x 5, e a Argentina na decisão, por 21 x 5, ao passo que o Bowl foi assegurado por Samoa, em 19 x 7 sobre a Escócia. A França se redimiu no fim e ficou com o Shield, com magros 14 x 7 sobre a Rússia.

 

Na grande final, entre rivais ferrenhos e históricos, foram os Boks largaram na frente, com Juan de Jongh aproveitando erro neozelandês, e Specman ampliando o placar, 14 x 0. A resposta foi imediata, com o jovem Akira Ioane brilhando, mas não tardou para os Boks abrirem 21 x 7, com François Hougaard apanhando bola de passe errado de Sonny Bill Williams e deixando com Senatla para fazer o quarto try.

 

A final tão aguardada foi marcada por reclamações sobre a arbitragem da parte dos sul-africanos e o cartão amarelo dado a Specman no segundo tempo se provou decisivo. Com um homem a mais, a Nova Zelândia não perdoou e Rieko Ioane cravou dois tries em sequência, deixando os All Blacks apenas 2 pontos atrás dos Boks, com o tempo quase esgotado. E, assim como na primeira fase, os neozelandeses tiveram a capacidade de manter a bola viva e virar a partida sobre os Boks nos acréscimos. Novamente Joe Webber foi o herói, fazendo explodir a torcida na capital neozelandesa. 24 x 21.

 

A próxima etapa acontece nos dias 6 e 7 de fevereiro, em Sydney, na Austrália.

 

SWS 2015-16 logo

Wellington Sevens – 3ª etapa da Série Mundial de Sevens Masculina 2015-16 – em Wellington, Nova Zelândia

Grupo A: África do Sul, Nova Zelândia, Escócia e Rússia

Grupo B: Argentina, Fiji, Gales e Japão

Grupo C: França, Estados Unidos, Inglaterra e Samoa

Grupo D: Quênia, Austrália, Canadá e Portugal

 

Sexta-feira, dia 29 de janeiro / Sábado, dia 30 de janeiro

*Das 20h30 às 05h50, hora de Brasília

França 14 x 17 Inglaterra

Estados Unidos 24 x 20 Samoa

Argentina 19 x 12 Gales

Fiji 45 x 07 Japão

Quênia 31 x 07 Canadá

Austrália 19 x 12 Portugal

África do Sul 29 x 05 Escócia

Nova Zelândia 38 x 07 Rússia

 

França 28 x 12 Samoa

Estados Unidos 05 x 19 Inglaterra

Argentina 31 x 14 Japão

Fiji 33 x 07 Gales

Quênia 26 x 05 Portugal

Austrália 26 x 22 Canadá

África do Sul 54 x 00 Rússia

Nova Zelândia 27 x 07 Escócia

 

Inglaterra 14 x 17 Samoa

França 21 x 29 Estados Unidos

Gales 33 x 28 Japão

Argentina 10 x 31 Fiji

Canadá 42 x 07 Portugal

Quênia 12 x 17 Austrália

Escócia 19 x 17 Rússia

África do Sul 14 x 19 Nova Zelândia

 

Classificação:

Grupo A: 1 Nova Zelândia, 2 África do Sul, 3 Escócia, 5 Rússia

Grupo B: 1 Fiji, 2 Argentina, 3 Gales, 4 Japão

Grupo C: 1 Inglaterra, 2 Estados Unidos, 3 França, 4 Samoa

Grupo D: 1 Austrália, 2 Quênia, 3 Canadá, 4 Portugal

 

Sábado, dia 30 de janeiro / Domingo, dia 31 de janeiro

*Das 20h30 às 06h00, hora de Brasília

Quartas de final Bronze

Escócia 29 x 12 Portugal

França 14 x 19 Japão

Canadá 35 x 12 Rússia

Gales 24 x 29 Samoa

 

Quartas de final Ouro

Nova Zelândia 36 x 00 Quênia

Inglaterra 33 x 07 Argentina

Austrália 14 x 26 África do Sul

Fiji 21 x 12 Estados Unidos

 

Semifinais Shield (Estímulo)

Portugal 17 x 22 França

Rússia 17 x 00 Gales

 

Semifinais Bowl (Bronze)

Escócia 31 x 26 Japão

Canadá 07 x 26 Samoa

 

Semifinais Plate (Prata)

Quênia 14 x 35 Argentina

Austrália 17 x 05 Estados Unidos

 

Semifinais Cup (Ouro)

Nova Zelândia 25 x 05 Inglaterra

África do Sul 31 x 00 Fiji

 

Final Shield (Estímulo)

França 14 x 07 Rússia

 

Final Bowl (Bronze)

Escócia 07 x 19 Samoa

 

Final Plate (Prata)

Argentina 05 x 21 Austrália

 

3º lugar

Inglaterra 12 x 24 Fiji

 

Final Cup (Ouro)

África do Sul 21 x 24 Nova Zelândia

 

Seleção* Pontos – Classificação Geral Etapa 10 (Inglaterra) Etapa 9 (França) Etapa 8 (Singapura) Etapa 7 (Hong Kong) Etapa 6 (Canadá) Etapa 5 (Estados Unidos) Etapa 4 (Austrália) Etapa 3 (Nova Zelândia) Etapa 2 (África do Sul) Etapa 1 (Emirados Árabes)
Fiji 181 15 19 19 22 15 22 17 17 13 22
África do Sul 171 19 13 17 17 19 17 15 19 22 13
Nova Zelândia 158 13 10 12 19 22 13 22 22 10 15
Austrália 134 07 12 10 15 17 19 19 13 10 12
Argentina 119 12 15 15 08 05 10 13 12 19 10
Estados Unidos 117 17 05 07 12 12 15 10 10 12 17
Quênia 98 03 10 22 10 01 10 12 10 15 05
Inglaterra 92 10 07 05 13 05 01 10 15 07 19
Samoa 89 05 22 13 05 13 03 07 08 03 10
Escócia 87 22 08 08 07 10 05 05 07 08 07
França 85 10 17 10 05 07 07 01 03 17 08
Gales 54 08 02 02 10 10 08 03 01 05 05
Canadá 40 05 01 01 02 08 02 08 05 05 03
Rússia 28 02 05 03 03 03 05 02 02 02 01
Portugal 21 01 03 05 01 02 01 05 01 01 01
*Apenas as seleções centrais
Etapa Campeão
Etapa 1 (Emirados Árabes) Fiji
Etapa 2 (África do Sul) África do Sul
Etapa 3 (Nova Zelândia) Nova Zelândia
Etapa 4 (Austrália) Nova Zelândia
Etapa 5 (Estados Unidos) Fiji
Etapa 6 (Canadá) Nova Zelândia
Etapa 7 (Hong Kong) Fiji
Etapa 8 (Singapura) Quênia
Etapa 9 (França) Samoa
Etapa 10 (Inglaterra) Escócia

– 15º colocado = rebaixamento.

Pontuação:
1º – 22 pontos; 2º – 19 pts; 3º – 17 pts; 4º – 15 pts;
5º – 13 pts; 6º – 12 pts; 7º e 8º – 10 pts;
9º – 8 pts; 10º – 7 pts; 11º e 12º – 5 pts;
13º – 3 pts; 14º – 2 pts; 15º e 16º – 1 pt.



Foto:Hagen Hopkins/Getty Images

Comentários