Nova Zelândia, França, África do Sul e Inglaterra nas semis do Mundial Junior

ARTIGO COM VÍDEOS – Uma rodada final de alto nível foi vista hoje encerrando a primeira fase do Campeonato Mundial Junior. África do Sul e França venceram de forma contundente seus clássicos contra Austrália e Inglaterra, respectivamente, e asseguraram a primeira posição em seus grupos, assim como a Nova Zelândia, que superou a Irlanda na disputa do primeiro lugar. Apesar da derrota, os ingleses garantiram a classificação às semifinais como os melhores segundos colocados e seguem sonhando com o tricampeonato. A grande decepção foi a Argentina, que caiu diante da Escócia e jogará as semifinais contra o rebaixamento.

 

As semifinais serão disputadas na segunda-feira, dia 15, com a França tendo o desafio de enfrentar a sempre temível Nova Zelândia, ao passo que a África do Sul duelará com a Inglaterra, no embate dos dois últimos campeões (Inglaterra em 2013 e 2014, África do Sul em 2012). Contra o rebaixamento, a Argentina enfrentará na semifinal a dona da casa Itália, ao passo que Samoa pegará o Japão. Os perdedores farão o jogo de vida ou morte contra o descenso ao Troféu Mundial Junior de 2016.

 

Allez Les Bleuets

Foi uma vitória histórica da França sobre seus rivais europeus. Jamais na história do Mundial Junior os franceses haviam derrotado os ingleses, mas desta vez foi a França que cantou mais alto, mostrando força de campeã. Os Bleuets largaram na frente com dois penais de Ramos, seguraram os primeiros avanços da Inglaterra e guardaram o primeiro try aos 19′, com o asa e capitão Lucas Bachelier, após erro de Aaron Morris. Os campeões de 2013 e 2014 reagiram com um penal de Jennings, mas o nocaute veio aos 25′, com o centro Penaud interceptando passe para correr para o segundo try azul no jogo. A Inglaterra ainda reagiu com try de James Chisholm, após penal francês no scrum, mas a partida foi para o intervalo com grande frente para os azuis, 20 x 8. E o domínio dos franceses não seria abalado, pois, aos 44′, o pilar Thibault Estorge cravou o terceiro try, em maul após lateral.

 

Os ingleses ainda tiveram seus lampejos, mas a defesa francesa falou mais alto, com destaque para o grande tackle de Sekou Macalou impedindo o try inglês pouco após o tento de Estorge. A Inglaterra ainda garantiu um penal try, mostrando força também em seu pack, mas havia pouco tempo para a virada. Meret ainda acabou com qualquer esperança inglesa com um drop goal, fechando o marcador em 3o x 18.

 

Na outra partida do grupo, Gales escapou de ter que brigar contra o rebaixamento ao atropelar o Japão por 66 x 3, em partida de dez tries. Os japoneses seguem como o pior time do torneio.

 


 

Baby Boks on fire

A derrota da Inglaterra só não custou aos atuais campeões a eliminação porque a Austrália, concorrente direta pela vaga, fez pior diante da poderosa África do Sul que, junto da França, foi a seleção que melhor jogou até o momento. O diagnóstico do primeiro tempo foi um só: os Baby Boks moeram os Young Wallabies no pack. 20 x 3 antes do intervalo sem cerimônias, com tries do asa Jacques Vermeulen e do pilar Ox Nche. A situação australiana degringolou no segundo tempo, com Khanyo Ngcukana cravando o terceiro try após lindo tackle de Nche, armando contra-ataque de 30 metros para os verdes. E, em seguida, o pilar australiano Cameron Orr levou amarelo, deixando a defesa amarela ainda mais frágil. Com isso, o asa Thomson adicionou novo try, garantindo o bônus, e o segunda linah Jason Jenkins mostrou dotes de ponta e arrancou para mais um try sul-africano. E tinha mais, com o ponta Leolin Zas anotando o 46 x 8. No fim, os Young Wallabies descontaram com o try do ponta e capitão Andrew Kellaway, que chegou a seu 12º try no Mundial Junior, mantendo-se como o maior tryman da história do campeonato. Um alento. África do Sul 48 x 13 Austrália.

 

Fechando o grupo,  Samoa frustrou a torcida da casa derrotando a Itália por 30 x 24, em jogo empolgante e equilibrado. Os samoanos, entretanto, não conseguiram o bônus ofensivo e, com isso, terminaram como os piores terceiros colocados e terão que jogar contra o rebaixamento.

 


 

Pumitas en peligro!

No Grupo C, a primeira colocação da Nova Zelândia não foi ameaçada. Os Baby Blacks enfrentaram a Irlanda pela classificação e se impuseram por 25 x 3. Os irlandeses começaram forte no contato e arrancaram três penais em 15 minutos, mas Joey Carbery apenas acertou um. Os pontos fizeram falta assim que os kiwis puniram os erros irlandeses com try de Tevita Li, arrancando após longo passe de Otere Black. O abertura Black ainda faria mais dois penais, levando a partida ao intervalo em 11 x 3 para os neozelandeses, que não brilharam, mas mostraram eficiência.

 

A Irlanda sofreu um grande revés com a lesão do capitão Nick McCarthy e a Nova Zelândia aproveitou para fazer mais um try, de novo com o imparável Li, rompendo os tackles. Os neozelandeses não tardaram a matar o jogo com o try do asa Blake Gibson, mostrando sua potência. Porém, os Baby Blacks, do técnico Scott Robertson, o “Razor”, ex-seleção brasileira, novamente, não praticaram o jogo que se espera deles, sobretudo entre os forwards, perdendo mauls e laterais.

 


 

O jogo que mais chamou a atenção no grupo, no entanto, foi entre Argentina e Escócia. Os Pumitas, apesar de duas derrotas, estavam praticando um rugby de qualidade, perdendo apenas no detalhe para Irlanda e Nova Zelândia. Contra a Escócia, porém, a Argentina afundou. Apáticos, os argentinos não conseguiram desenvolver seu jogo e sofreram com o pack da Escócia, que abriu vantagem de 9 x 0 com três penais bem batidos por Blair Kinghorn. Antes da ida aos vestiários, Domingo Miotti reduziu a diferença com dois penais para os sul-americanos, mas o golpe fatal veio aos 44′, com contra-ataque mortal dos escoceses concluído com try de Robbie Nairn. A Argentina se desnorteou e o ponta Richard Galloway correu para o segundo try escocês aos 52′, após scrum. Não havia mais reação para os Pumitas e o placar foi selado aos 68′ com o asa Wynne fazendo o terceiro try britânico. 29 x 6, que asseguraram à Escócia a salvação da luta contra o rebaixamento.

 

world rugby copy

World Rugby U20s Championship – Campeonato Mundial Junior 2015 – na Itália

3ª rodada

Argentina 6 x 29 Escócia, em Calvisano

Inglaterra 18 x 30 França, em Viadana

Gales 66 x 3 Japão, em Viadana

Samoa 30 x 24 Itália, em Calvisano

Nova Zelândia 25 x 3 Irlanda, em Viadana

África do Sul 46 x 13 Austrália, em Calvisano

 

Classificação final

Grupo A: 1 França, 13 pontos; 2 Inglaterra, 10 pts; 3 Gales, 5 pts; 4 Japão, 0 pts;

Grupo B: 1 África do Sul, 15 pts; 2 Austrália, 10 pts; 3 Samoa, 4 pts; 4 Itália, 2 pts;

Grupo C: 1 Nova Zelândia, 14 pts; 2 Irlanda, 8 pts; 3 Escócia, 5 pts; 4 Argentina, 2 pts.

 

Semifinais – Segunda-feira, dia 15 de junho

11h30 – Argentina x Itália, em Calvisano – Disputa de 9º a 12º lugares

11h30 – Austrália x Escócia, em Viadana – Disputa de 5º a 8º lugares

13h30 – Samoa x Japão, em Viadana – Disputa de 9º a 12º lugares

13h30 – Nova Zelândia x França, em Calvisano – Disputa de 1º a 4º lugares

15h30 – Irlanda x Gales, em Viadana – Disputa de 5º a 8º lugares

15h30 – África do Sul x Inglaterra – Disputa de 1º a 4º lugares

 

*Horários de Brasília

Comentários