Cada dia mais profissional, a Top League, o Campeonato Japonês, chega a sua 15ª temporada profissional e os 16 times da elite japonesa (todos ligados a grandes empresas) estão recheados de estrelas internacionais! A competição larga nessa sexta e nós passamos a limpo.

Como vem acontecendo nas últimas edições do maior torneio de clubes da Ásia, cinco equipes brigam de fato pela taça. Sungoliath, Wild Knights, Brave Lupus, Júblio e Steelers apresentam equipes montadas de longa data com poucas alterações significativas nas viradas de temporada. Contudo, as outras onze possuem peças de destaque em seus elencos, jogadores internacionais de sucesso que farão suas estreias na liga, assim como outros talentos que lá continuam.

 

Suntory Sungoliath: Os imperadores Amarelos

- Continua depois da publicidade -

O Sungoliath, equipe da famosa marca de cerveja Suntory, é um multicampeão respeitado. Uma instituição que projetou atletas como Kotaro Matsushima e que ficou internacionalmente conhecida após ser a casa do campeão mundial George Gregan por três temporadas.

Os amarelos são o time a ser batido. O pack de fowards é formado basicamente do rugby local mas há na terceira linha três atletas de nível internacional, nada menos que George Smith, Hendrik Tui e Jordan Smiler. Nos backs temos Matt Giteau e Derek Carpenter, de centro, o fullback do time é Kotaro Matsushima. São vários “jogadores de super rugby” no plantel como Campbell Magnay, Joe Wheeler, Shinnosuke Kakinaga, Shinya Makabe. Seria possível montar um time titular com todos os jogadores em nível de Super Rugby não é mesmo?

Os atuais campeões possuem quatro títulos e mandam seus jogos no Príncipe Chichibu, no coração de Tóquio, grande palco do rugby nacional daquele país.

 

Yamaha Júbilo: O retorno do Ninja

Pode ser que isso um dia mude, mas por enquanto sabemos bem que ainda não surgiu um atleta japonês tão icônico neste esporte como ele, Ayumu Goromaru. O intitulado ninja, o principal rosto que elevou o nível da seleção está de volta, mas sua titularidade não está garantida.

Depois de campanhas desastrosas nos Reds e Toulon, respectivamente, outro fullback acabou se firmando em seu lugar na equipe. O competente Gehard van den Heever pode muito bem ganhar a 15 para sí. Contando Sunwolves e as 16 equipes da Top League, somente o Yamaha Júbilo tem qualidade de sobra no ultimo homem e parece que contará com dois fullbacks de altíssimo nível, assim como boa parte do plantel.

No restante da equipe nada de muito relevante será diferente, eles têm a faca e o queijo nas mãos, só precisam aprender a ganhar títulos. Eles são fortes jogando no Yamaha Stadium, em Iwata, e estão sempre brigando nas cabeças pelo título inédito.

Panasonic Wild Knights: Os mais temidos

Teoricamente o Sunwolves deveria ser a equipe de nível mais alto no sistema adotado pelo Japão, porém quem acompanha a competição local sabe que não há time mais temido que os azuis de Gunma.

Não há “bobo” nesta equipe. Somente os fullbacks Miwa, Sasakura e Moriya deixam um pouco, mas não muito, a desejar. O restante do plantel faz o treinador Robbie Deans ter aquela “dor de cabeça boa”. Para simplificar esta análise, será listado nas próximas linhas alguns atletas da equipe e você, leitor antenado, tirará suas próprias conclusões. Entre os backs estão Fumiyaki Tanaka, Berrick Barnes, Akihito Yamada, Kenki Fukuoka e Digby Ioane. Nos fowards Keita Inagaki, Shota Horie,  Daniel Heenan, Ryu Koliniasi Holani e  David Pocock.

Nos últimos anos em que o Japão vive a melhor fase das seleções e dos clubes, são deles, os cavaleiros selvagens de Gunma, as melhores campanhas. Quatro títulos vencidos, todos nesta década. Se os vacilos da última temporada não forem cometidos nesta, já será possível começar os trabalhos com uma não na taça.

 

Toshiba Brave Lupus: Os Crusaders nipônicos

Um time vermelho, o maior campeão da liga está há tantas temporadas sem vencer que temos que voltar várias edições atrás. Não estamos falando dos Crusaders neozelandeses e sim do Toshiba Brave Lupus. O time do ídolo Michael Leitch teve uma campanha apagada na última edição e sonha com o retorno das glórias.

Ao que indica, os vermelhos de Fuchu não apostam na compra de mais jogadores e sim em uma mudança de postura. O elenco é de qualidade, mesmo tendo decepcionado na última edição da liga. Eles contarão com três All Blacks no plantel: Richard Kahui, Cory Jane e Liam Messam. Seis Sunwolves: Mikami, Asahara, Ono, Kajikawa, Tokunaga e Ogawa.

 

Kobelco Steelers: Aposta na simplicidade

Adam Ashley Cooper, atleta australiano, desembarca na grande equipe com o menor número de atletas renomados estrangeiros, os vermelhos de Kobe. Outro Aussie é Jim McKay, um treinador que conta com passagens em várias grandes agremiações ao redor do planeta. Esta mesma equipe terminou em quarto lugar na última temporada e tem estrutura suficiente para brigar na parte de cima da tabela.

Onde estão as estrelas internacionais? A gente responde!

Além dos já citados, o experiente inglês Geoff Parling agora é jogador dos Blues de Munakata que já contam com Andrew Everingham e os sul-africanos Jacques Potgieter, Estherhuizen e Hencus Van Wyk.

Scott Higginbotham faz parte do sempre aguerrido NEC Green Rockets. Os verdes hoje só contam com um sunwolf no elenco, Teruya Goto. Eles perderam um substancial poder de fogo. Jogadores como Yu Tamura e Kaito Shigeno trocaram de camisa.

O guerreiro Luke Thompson estará em ação pelo Kintetsu Liners, time que conta com Anthony Fainga’a no centro. O Ricoh Black Rams está bem mais modesto nesta temporada, mas terá o springbok Franco Mostert no elenco.

Um time que pode surpreender é o NTT Shining Arcs. O meia Elton Jantjies comanda os amarelos que ainda contam com Willie Britz e Shane Gates. O outro NTT, o Red Hurricanes, está mais modesto, mas conta com Heinrich Brussow e Riaan Viljoen.

Tatekawa permanece no Kubota Spears por mais uma temporada, Jaco Kriel também faz parte deste plantel. JJ Engelbrecht é destaque no fraco elenco dos Shuttles. A outra equipe de Toyota, o Verblitz, tem Juan Smith vestindo sua tradicional camisa.

 

O Regulamento

Serão 16 equipes divididas em dois grupos de 8. sendo que os 4 primeiros classificam em cada grupo, enquanto as outras 8 restantes disputam o playoff  do descenso. Cada time jogará 13 partidas na primeira fase, sendo todas dentro do seu grupo mais 5 do grupo oposto.

Calendário

A primeira rodada começa nesta sexta, 18 de agosto, com os derbys de Tóquio no Príncipe Chichibu. Black Rams dá o pontapé inicial contra o Shining Arcs, mais tarde o Canon Eagles enfrenta o atual Campeão Suntory Sungoliath.

1ª rodada

18/08 – Ricoh Black Rams x NTT Shining Arcs, em Tóquio

18/08 – Canon Eagles x Suntory Sungoliath, em Tóquio

18/08 – Toyota Verblitz x Yamaha Jubilo, em Toyota (Nagoya)

18/08 – Kobelco Steelers x NTT-Docomo Red Hurricanes, em Osaka

18/08 – Kintetsu Liners x Toyota Industries Shuttles, em Osaka

19/08 – Toshiba Brave Lupus x NEC Green Rockets, em Tóquio

19/08 – Kubota Spears x Panasonic Wild Knights, em Tóquio

20/08 – Coca-Cola Red Sparks x Munakata Sanix Blues, em Fukuoka

 

ClubePrefeituraJogosPontos
Grupo A
Suntory SungoliathTóquio1355
Toyota VerblitzToyota1346
Toshiba Brave LupusTóquio1339
Kobelco SteelersKobe1337
NTT Shining ArcsChiba1331
Kubota SpearsChiba1326
NTT-Docomo Red HurricanesOsaka1326
Kintetsu LinersOsaka1317
Grupo B
Panasonic Wild KnightsGunma1363
Yamaha JubiloShizuoka1346
Ricoh Black RamsTóquio1343
NEC Green RocketsChiba1326
Canon EaglesTóquio1320
Toyota Industries ShuttlesNagoya1311
Munakata Sanix BluesMunakata 138
Coca-Cola West Red SparksFukuoka133
- Vitória = 4 pontos;
- Empate = 2 pontos;
- Derrota = 0 pontos;
- Anotar 4 ou mais tries = 1 ponto extra;
- Perder por 7 pontos ou menos de diferença = 1 pontos extra;

- 1º e 2º colocados de cada grupo vão às semifinais;

Escrito por: Leandro Vieira