“Não é uma questão de ‘se’, é de ‘quando’ será”. É o que disse o CEO do PRO14, Martin Anayi, que pretende mudar de novo aos numerais do nome da liga.

Após incluir dois times sul-africanos em 2017-18, o PRO14 já planeja a continuidade de sua expansão para passar de Liga Celta para Liga Atlântica. A próxima fronteira é a América do Norte e Anayi deixou claro que a possibilidade de levar a liga aos Estados Unidos é concreta, com negociações em andamento. A cidade de Washington é a mais forte candidata no momento, com um novo estádio de futebol para ser inaugurado e um grupo de investidores interessados no rugby. O maior problema no momento é que até 2018 a USA Rugby conferiu uma licença para a PRO Rugby, a finada liga que foi disputada em 2017, como a detentora do monopólio de única competição profissional do país.

O PRO14, no entanto, não está sozinho na corrida pelo mercado norte-americano. No próximo fim de semana, a Premiership inglesa realizará uma partida na cidade da Filadélfia, com Newcastle Falcons e Saracens duelando no sábado e promovendo o rugby inglês por lá. Essa será a segunda partida da Premiership nos Estados Unidos, com Nova York tendo recebido no ano passado Saracens e London Irish.