Pumas vencem Springboks pela primeira vez na história!

ARTIGO COM VÍDEO – Foram 33 anos de espera desde a vitória dos Jaguares sul-americanos em 1982, mas finalmente o torcedor argentino voltou a comemorar uma vitória contra os Springboks, a primeira oficialmente como Argentina. E logo no jogo que comemorou os 50 anos do nome Pumas para a seleção argentina, ganho justamente durante gira pela África do Sul em 1965. Foi um passeio dos argentinos durante boa parte da partida em Durban, encerrado com uma histórica vitória de 37 a 25 sobre os Springboks, a segunda na história dos Pumas na África do Sul.

 

Uma África do Sul irreconhecível, desarrumada e apática, uma Argentina inspirada e confiante, um árbitro em dia péssimo. Esse foi o resumo da partida, desde seu início, que teve o placar aberto logo a 1 minuto. Embalada pela emoção do hino nacional e da presença dos veteranos de 1965 no estádio, os Pumas foram logo para cima dos Boks e, após lateral, Imhoff avançou e deu um passe (duvidoso) para Marcelo Bosch correr para o primeiro try argentino no jogo. 7 x 0, início perfeito.

 

A África do Sul reduziu aos 9′ com penal de Pollard, mas a Argentina já mostrava para o que tinha ido a Durban e, após turnover de Creevy, Hernández, mostrando o fino de seu rugby, desferiu um drop goal, sem sucesso, mas com ousadia. O domínio seguiu argentino, que mantinha 60% de posse de bola e território, além de clara vantagem nos scrums. O resultado veio aos 22′, com Hernández começando a jogada com dummy e Cubelli girando sobre a defesa sul-africana para dar um passe magistral para Imhoff explodir rumo a mais um try argentino.

 

Pollard ainda voltou a reduzir com novo penal para os Boks, aos 28′, mas, aos 30′, com o scrum argentino demolindo os sul-africanos. Leonardo Senatore, o oitavo, saiu com maestria e criou o try no lado mais curto para Imhoff. 21 x 6, e Shark Tank calado. E Springboks pressionados a reagirem. A reação veio, com De Jager colidindo para o try sul-africano aos 35′. Porém, antes do intervalo, Marcelo Bosch arrematou penal de longa distância colocando 27 x 13 no placar na ida aos vestiários.

 

O segundo tempo largou com mais um try argentino logo aos 41′. E no lance mais polêmico do jogo. A partida é interrompida para atendimento médico e Hernández cobra rápido o penal e serve Imhoff para o try, seu hat-trick, enquanto os sul-africanos acreditavam que o jogo estava parado. Reclamação com razão do lado verde.

 

Os Boks ainda esboçaram reação, com Le Roux recebendo chute e arrancando pela ponta para o try aos 48′. Contudo, a África do Sul seguiu cometendo muitos erros e parou no jogo físico dos argentinos, que foram premiados aos 62′ com o try que matou o jogo. Cubelli derrubou a bola (knock-on?), Hernández reciclou e desferiu um offload para Bosch chutar lindo drop goal para os Pumas.

 

Mexendo muito mal na equipe, Heyneke Meyer não conseguiu mudar o curso da partida, mas a entrada ide Cobus Reinach ainda revigorou os ânimos dos Boks, que fizeram um try aos 70′, quando Reinach cobrou rápido penal e avançou para o try. Porém, o lance foi anulado por Romain Poite, após TMO, considerando Reinach a frente da marca. Após amarelo para Matera, Habana ainda teria tempo para um último try para os Springboks no fim, consumando o placar em 37 x 25 para os argentinos.

 

Com o resultado, pela primeira temporada até hoje a Argentina não encerrou o Rugby Championship no último lugar. As duas equipes voltarão a se enfrentar no próximo sábado em amistoso em Buenos Aires. Empolgação para a Copa do Mundo da parte argentina e muita preocupação para os Boks, que pareciam estar entre os favoritos, mas entraram em crise às vésperas do Mundial.

 

springboks logo%283%2925versus(16)37UAR_copy_copy.jpg

África do Sul 25 x 37 Argentina, em Durban

Árbitro: Romain Poïte (França)

 

África do Sul

Tries: De Jager, Le Roux e Habana

Conversões: Pollard (2)

Penais: Pollard (2)

15 Willie le Roux, 14 Jesse Kriel, 13 Jean de Villiers (c), 12 Damian de Allende, 11 Bryan Habana, 10 Handré Pollard, 9 Ruan Pienaar, 8 Schalk Burger, 7 Marcell Coetzee, 6 Heinrich Brüssow, 5 Lood de Jager, 4 Eben Etzebeth, 3 VIncent Koch, 2 Bismarck du Plessis, 1 Tendai Mtawarira.

Suplentes: 16 Adriaan Strauss, 17 Trevor Nyakane, 18 Marcel van der Merwe, 19 Pieter-Steph du Toit, 20 Siya Kolisi, 21 Cobus Reinach, 22 Pat Lambie, 23 Lwazi Mvovo.

 

Argentina

Tries: Imhoff (3) e Bosch

Conversões: Hernández (4)

Penais: Hernández (1) e Bosch (1)

Drop goals: Bosch (1)

15 Joaquin Tuculet, 14 Horacio Agulla, 13 Marcelo Bosch, 12 Jeronimo de la Fuente, 11 Juan Imhoff, 10 Juan Martin Hernandez, 9 Tomas Cubelli, 8 Leonardo Senatore, 7 Juan Manuel Leguizamon, 6 Pablo Matera, 5 Tomas Lavanini, 4 Guido Petti, 3 Nahuel Tetaz Chaparro, 2 Agustin Creevy (c), 1 Marcos Ayerza.

Suplentes: 16 Julian Montoya, 17 Lucas Noguera, 18 Matias Diaz, 19 Matias Alemanno, 20 Tomas Lezana, 21 Martin Landajo, 22 Santiago Gonzalez Iglesias, 23 Lucas Amorosino.
 

 

País Apelido Jogos Pontos
Austrália Wallabies 3 13
Nova Zelândia All Blacks 3 9
Argentina Pumas 3 5
África do Sul Springboks 3 2

Comentários