Springboks emergem vitoriosos contra Irlanda e Bleus liquidam Pumas

ARTIGO COM VÍDEOS – África do Sul e Argentina fecharam suas séries contra Irlanda e França de formas bem distintas. Os Springboks tiveram mais uma dura batalha de ponto a ponto com a Irlanda e conquistaram uma suada vitória por 19 x 13, com emoção até o fim, ao passo que os Pumas foram derrotados em casa pela França por 27 x 0, na primeira derrota da Argentina sem somar pontos desde 2000 – e a primeira de zero contra a França desde 1949.

 

Springboks derrotam Irlanda no sufoco

Não foi nada fácil, mas o técnico Allister Coetzee pode comemorar a vitória em sua primeira série de tests no comando da África do Sul. Em Porto Elizabeth, os Springboks

 

Os primeiro pontos foram chutados aos 5′ com penal por Jantjes, inaugurando o marcador a favor dos donos da casa. Porém, as dificuldades logo viriam, com Willie Le Roux recebendo amarelo por contato imprudente com atletas irlandês que está sem os pés no chão e levou amarelo aos 10′. Os Boks com 14 homens não seguraram o Trevo e, aos 15′, a pressão irlandesa nas 22 frutificou, com Luke Marshall aproveitando a preocupação sul-africana pelo homem a menos para correr e colidir para o primeiro try da partida, abrindo 7 x 3.

 

A Irlanda seguiu melhor e com mais volume menos com Le Roux de volta e, aos 22′, Paddy Jackson adicionou mais 3 pontos em penal para os verdes. Porém, antes do intervalo, a África do Sul achou seu try para levantar a torcida. Aos 39′, Kolisi ganhou um turnover precioso e Jantjes enxergou o espaço nas costas da defesa irlandesa para chutar cruzado e encontrar JP Pietersen, que fez uma recepção difícil e finalizou o try da virada, 13 x 10.

 

O segundo tempo começou morno e com muitos erros dos dois lados. A Irlanda foi superior, dominou por completo o território e a posse de bola – atingindo 76% de território na segunda etapa – mas o jogo de contato favoreceu os Springboks, que levaram os irlandeses aos penais e ganharam mais do que o dobro de turnovers do oponentes – 15 contra 7. Aos 59′, Combrinck quebrou o gelo e ampliou a frente sul-africana com penal certeiro de quase 50 metros. Aos 68′, veio mais um pontapé preciso, agora de Jantjes, que levantou a torcida local, abrindo 19 x 16.

 

Entretanto, a reta final foi tensa para os anfitriões. A Irlanda foi para cima, dominou por completo as ações, reduziu com penal de Jackson aos 69′ e passou 10 minutos pressionando os Boks, incluindo uma sequência de 22 fases sem sucesso nas imediações das 22. No fim, os Boks montaram sua barreira defensiva e o lance capital coube ao pequeno scrum-half Faf de Klerk, que já nos acréscimos, na condição de último homem, deu o tackle da vitória, levando depois ao penal irlandês. Fim de papo no Nelson Mandela Bay Stadium: Boks 19 x 13. E vitória na série por 2 x 1. A Irlanda, porém, mostrou sua força nos mares do sul.

 

springboks logo19versus copiar13irlanda copy

África do Sul 19 x 13 Irlanda, em Porto Elizabeth

Árbitro: Glen Jackson (Nova Zelândia)

 

África do Sul

Try: Pietersen

Conversão: Jantjes (1)

Penais: Jantjes (3) e Combrinck (1)

15 Willie le Roux, 14 Ruan Combrinck, 13 Lionel Mapoe, 12 Damian de Allende, 11 JP Pietersen, 10 Elton Jantjies, 9 Faf de Klerk, 8 Warren Whiteley, 7 Siya Kolisi, 6 Francois Louw, 5 Pieter-Steph du Toit, 4 Eben Etzebeth, 3 Frans Malherbe, 2 Adriaan Strauss (c), 1 Tendai Mtawarira.

Suplentes: 16 Bongi Mbonambi, 17 Steven Kitshoff, 18 Julian Redelinghuys, 19 Franco Mostert, 20 Jaco Kriel, 21 Rudy Paige, 22 Morne Steyn, 23 Lwazi Mvovo.

 

Irlanda

Try: Marshall

Conversão: Jackson (1)

Penais: Jackson (2)

15 Tiernan O’Halloran, 14 Andrew Trimble, 13 Stuart Olding, 12 Luke Marshall, 11 Keith Earls, 10 Paddy Jackson, 9 Conor Murray, 8 Jamie Heaslip, 7 Rhys Ruddock, 6 CJ Stander, 5 Devin Toner, 4 Iain Henderson, 3 Mike Ross, 2 Rory Best (c), 1 Jack McGrath.

Suplentes: 16 Richardt Strauss, 17 Finlay Bealham, 18 Tadhg Furlong, 19 Ultan Dillane, 20 Rhys Ruddock, 21 Eoin Reddan, 22 Ian Madigan, 23 Matt Healy.

Pumas apáticos caem diante da França….

Tucumán recebeu o segundo confronto entre Pumas e Bleus na série de amistosos de junho, o primeiro vencido pelos argentinos na semana anterior. Para aumentar o favoritismo dos donos da casa, a França não contaria com jogadores dos quatro clubes semifinalistas do Top 14 (Clermont, Toulon, Racing e Montpellier), mas a performance apática dos argentinos resultou numa vitória tranquila para os franceses e um jogo apenas morno entre duas equipes que não apresentaram seu melhor.
 
Mesmo com os desfalques, a França começou com mais posse de bola e domínio territorial, porém sem uma superioridade clara, conseguindo apenas uma boa subida pela esquerda. Serin desperdiçou a primeira chance de abrir o placar para os visitantes aos seis minutos, seguido de mais uma tentativa errada aos nove, desta vez por Fickou em um chute de 50m. A Argentina nivelou as ações mas a partida seguiu jogada na intermediária, sem nenhum lance mais perigoso para nenhum dos lados, até que Serin finalmente tirasse o placar do zero com um penal frontal de pouco mais de 20m. O bom momento dos franceses seguiu até o fim da etapa inicial, culminando no try de Mignot no último lance, após Serin sair em boa corrida pela ponta esquerda e abrir passar para o ponta apoiar sem marcação, e levar uma vantagem de 10 pontos para o intervalo.
 
O jogo continuou no mesmo ritmo no início do segundo tempo, e a situação dos Pumas piorou com novo penal dos franceses no quarto minuto de jogo e aos nove minutos, Serin cobrou rapidamente um free kick de seus 22m do campo de defesa levando a bola até a linha de 5m do seu campo de ataque, resultando em try de Lamerat, dobrando a vantagem a favor da França. Perdida em campo, os Pumas não reagiram e tiveram sorte ao ver a França um try anulado com Medard, mas logo depois, Goujon ampliou depois de boa sequência pelo centro, selando a vitória dos Bleus, que manteve domínio territorial até o final da partida e aplicando a primeira vitória sem sofrer pontos da Argentina desde a década de 40, um marco.
 
UAR_copy_copy.jpg00versus copiar27França vermelho

Argentina 00 x 27 França, em Tucumán

Árbitro: Wayne Barnes (Inglaterra)

 

França
Tries: Mignot, Lamerat, Goujon
Conversões: Serin (3)
Penais: Serin (2)
 
Argentina

1- Nahuel Tetaz Chaparro, 2- Agustín Creevy (c), 3- Ramiro Herrera; 4- Guido Petti, 5- Tomás Lavanni; 6- Pablo Matera, 7- Javier Ortega Desio, 8- Facundo Isa; 9- Tomás Cubelli, 10- Nicolás Sánchez; 11- Manuel Montero, 12- Jerónimo de la Fuente, 13- Matías Moroni, 14- Santiago Cordero, 15- Joaquín Tuculet.

Suplentes: 16- Julián Montoya, 17- Santiago García Botta, 18- Enrique Pieretto, 19- Tomás Lezana, 20- Juan Manuel Leguizamón, 21- Martín Landajo, 22- Matías Orlando y 23- Lucas González Amorosino.

 

França

1- Jefferson Poirot, 2- Rémi Bonfils, 3- Uini Atonio; 4- Julien Le Devedec, 5- Yoann Maestri; 6- Loann Goujon, 7- Kevin Gourdon, 8- Louis Picamoles; 9- Baptiste Serin, 10- François Trinh-Duc; 11- Djibril Camara, 12- Remi Lamerat, 13- Gaël Fickou, 14- Xavier Mignot, 15- Maxime Médard.

Suplentes: 16- Clément Maynadier, 17-Lucas Pointud, 18- Rabah Slimani, 19- Paul Jedrasiak, 20- Kelian Galletier, 21- Sébastien Bézy, 22- Jules Plisson y 23- Julien Rey.
 

 

 

Comentários