ARTIGO COM VÍDEO – Se você é fã de Rugby League, o rugby de 13 jogadores, uma boa notícia: a ação da modalidade volta em fevereiro! Quinta-feira, dia 1º, será de largada para a Super League, o Campeonato Inglês de Rugby League, uma das duas grandes ligas do mundo – a outra é a NRL australiana, que começa em março.

Mas, como funciona o Rugby League inglês?

  • A Super Legue é a primeira divisão inglesa, enquanto o Championship é a segunda divisão. Essas são as grandes ligas profissionais da Europa, cada uma tendo 12 clubes cada;
  • Fundada em 1895 e longe a mais importante da Europa, a liga inglesa atrai clubes de outros países. A Super League conta com 11 times ingleses e 1 francês. O Championship conta com 10 clubes ingleses, 1 francês e 1 canadense;
  • A Super League é divida em 3 fases:
    • Na temporada regular, os 12 clubes se enfrentam em turno e returno e ainda fazem uma rodada extra de clássicos, a “Magic Weekend”, totalizando 23 rodadas, de fevereiro a julho. O Championship tem o mesmo formato;
    • A Magic Weekend acontecerá nos dias 19 e 20 de maio, com todos os jogos rolando no estádio St. James’ Park, em Newcastle, campo neutro;
    • Os 8 primeiros colocados da Super League se enfrentam mais uma vez no “Super 8“, o octogonal final, entre agosto e setembro, carregando os pontos que obtiveram na temporada regular. Com mais 7 rodadas, totalizam-se 30 rodadas para cada clube;
    • Os 4 primeiros colocados do Super 8 se classificarão para as Semifinais, em jogos únicos, no fim de setembro, nas casas do 1º e do 2º colocados. A Grande Final será no dia 6 de outubro, em Manchester, no Old Trafford Stadium;
    • Por sua vez, os 4 últimos colocados da temporada regular da Super League se somam aos 4 primeiros colocados do Championship e disputam o octogonal de promoção e rebaixamento, “The Qualifiers“. As 8 equipes se enfrentam apenas 1 vez, começando com a pontuação na classificação zerada. os 3 primeiros colocados se garantirão na Super League de 2019. O quarto e o quinto colocados duelarão em um jogo final, o Million Pound Match, valendo a última vaga;
    • Enquanto isso, os 8 últimos colocados da temporada regular do Championship fazem um octogonal final de permanência, com os 2 últimos colocados sendo rebaixados à terceira divisão;

O campeão da Super League 2018 enfrentará em fevereiro de 2019 o campeão da NRL australiana no Mundial de Clubes (World Club Challenge).

Além da liga, a Inglaterra conta com uma tradicional copa, a Challenge Cup, disputada em paralelo no formato de mata-mata, com clubes de todas as divisões profissionais, das divisões amadoras e também de Gales, Escócia e Irlanda. Na Challenge Cup, os clubes da Super League entram apenas na fase 5ª fase ou nas oitavas de final, entrando na briga a partir de abril ou maio. A grande final será no dia 25 de agosto, no estádio de Wembley, em Londres.

- Continua depois da publicidade -

Quem são os clubes da liga inglesa?

Super League:

  • Wigan Warriors (2017: 6º colocado): maior campeão da Super League, 21 títulos (último em 2016);
  • St. Helens Saints (2017: Semifinalista): 2º maior campeão inglês, 13 títulos (último em 2014);
  • Leeds Rhinos (2017: campeão): detentor da taça no ano passado e dono de 11 títulos;
  • Huddersfield Giants (2017: 8º colocado): 7 títulos (último em 1962);
  • Salford Red Devils (2017: 7º colocado): 6 títulos (último em 1976);
  • Hull FC (2017: Semifinalista e campeão da Challenge Cup): 6 títulos (último em 1983);
  • Hull Kingston Rovers, ou Hull KR (2017: campeão do Championship, promovido): 4 títulos (último em 1985);
  • Warrington Wolves (2017: 9º colocado): 3 títulos (último em 1955);
  • Widnes Vikings (2017: 10º colocado): 3 títulos (último em 1989);
  • Wakefield Trinity Wildcasts (2017: 5º colocado): 2 títulos (último em 1968);
  • Castleford Tigers (2017: vice-campeão): 0 títulos;
  • Catalans Dragons (2017: vencedor do Million Pound Match): 0 títulos – time francês

 

Championship:

  • Leigh Centurions (2017: rebaixado da Super League);
  • London Broncos
  • Featherstone Rovers;
  • Halifax RLFC;
  • Batley Bulldogs;
  • Sheffield Eagles;
  • Dewsbury Rams;
  • Rochdale Hornets;
  • Swinton Lions;
  • Barrow Raiders;
  • Toulouse Olympique – time francês
  • Toronto Wolfpack (2017: campeão da 3ª divisão) – time canadense

 

Curiosidades:

  • Todos os clubes da Super League se localizam no Norte da Inglaterra, ao redor das metrópoles de Liverpool, Manchester e Leeds, região onde nasceu o Rugby League.;
  • A exceção é o clube francês, o Catalan Dragons, de Perpignan, que se localiza na região da Catalunha francesa, onde o rugby de 13 jogadores tem força;
  • No Championship, dos 10 clubes ingleses, 9 são também do Norte. A exceção é o London Broncos, de Londres;
  • O Toronto Wolfpack, do Canadá, debutou em 2017 na terceira divisão e já foi promovido ao Championship, fazendo parte de um projeto de expansão da liga à América do Norte;
  • A cidade de Kingston upon-Hull é a única com 2 clubes na Super League, Hull FC e Hull KR, que fazem dérbi;
  • Wigan Warriors e St. Helens Saints fazem o maior clássico da Inglaterra;
  • O quarto maior campeão inglês, o Bradford Bulls, rival do Leeds, foi rebaixado para a terceira divisão;
  • O único clube inglês hoje na Super League que jamais foi campeão é o Castleford Tigers, que flertou com o título em 2017, liderando a competição até cair na final;
  • Matt Gardner, que atuou pela Seleção Brasileira de Sevens até 2015, joga hoje no Swinton Lions, do Championship;

 

O que é o Rugby League?

O Rugby League é uma modalidade do rugby que nasceu em 1895 no Norte da Inglaterra. Na época, o rugby (o Rugby Union) proibia o profissionalismo no mundo todo, mas um grupo de clubes ingleses se opôs à proibição de pagamentos a jogadores e romperam com a federação inglesa, formando uma liga independente. A fim de mudar a dinâmica do jogo e torná-lo mais aberto, a liga passou a promover mudanças nas suas regras, criando uma modalidade distinta, jogada com regras diferentes e organizada por entidades distintas do Union. O League, no entanto, se difundiu fortemente apenas no Norte da Inglaterra e na Austrália, onde é mais popular que o Union. O esporte ganhou popularidade ainda na Papua Nova Guiné (país da Oceania onde é o League e não o Union que reina) e, em menor dimensão, na Nova Zelândia e em algumas partes da França, onde segue bem abaixo do Union.

Quais as principais diferenças do League para o Union?

  • O League é jogado por 2 times de 13 jogadores cada, com 4 reservas, sendo que um atleta que foi substituído poderá retornar a campo;
  • No League, o try vale 4 pontos, a conversão 2, o penal 2 e o drop goal (chamado também de field goal) 1 ponto;
  • Não é usado sistema de pontos bônus nas tabelas de classificação. A vitória vale 2 pontos, o empate 1 e a derrota 0;
  • Não existem rucks. Quando um atleta sofre o tackle, é seguro e vai ao chão o jogo é parado. O atleta com a bola é liberado, rola a bola com os pés para trás e o jogo é reiniciado. É o chamado “play the ball”;
  • Cada equipe tem direito a realizar 5 vezes o play the ball e, na sexta vez que um atleta é derruba, a posse da bola troca de equipe. É a chamada “Regra dos 6 tackles”. Com isso, é comum após o 5º tackle a equipe com a posse da bola chutá-la;
  • Se a equipe defensora tocar na bola entre um play the ball e outro a contagem de tackles é zerada. Quando uma equipe com a posse de bola comete um erro de manuseio e a bola troca de posse o primeiro tackle é considerado “tackle zero” e a contagem se inicia apenas após ele;
  • Não há lineouts. A reposição da bola que saiu pela lateral é feita a partir de um scrum. Penais chutados para a lateral são cobrados com free kick;
  • Na prática, os scrums não possuem disputas, pois a equipe que introduz a bola na formação pode introduzi-la diretamente no pé de sua segunda linha. Porém, a equipe sem a bola pode tentar empurrar a formação para roubar a bola (o que é raro de acontecer);
  • Não existe o mark. Com isso, chutes no campo ofensivo são frequentes;
  • Um chute dado atrás da linha de 40 metros do campo de defesa que saia pela lateral após a linha de 20 metros do campo ofensivo é chamado de “40/20” e premia a equipe chutadora com a manutenção da posse da bola e com a contagem de tackles zerada;
  • A numeração dos atletas no League muda. Os números mais altos são para os forwards e os números menos são para a linha. O fullback é o camisa 1 e o pilar o 13, por exemplo;

Foto: Castleford x Wigan – 2017 – Super League